Percepção de pais sobre desenvolvimento de crianças de 3 a 6 anos praticantes de natação / Perception of parents about children's development from 3 to 6 years old swimmers

Welmo Alcântara Barbosa, Vitória Régia de Souza Elias, Joel de Andrade Gonzaga, Carlos Henrique de Oliveira Reis, Danilo Sales Bocalini, Roberto Gimenez, Roberta Luksevicius Rica

Abstract


Embora haja consenso sobre a representação social acerca das modalidades aquáticas para crianças, pouco se sabe sobre a percepção dos pais nos impactos da participação em atividades associadas a esta modalidade para o comportamento de seus filhos. O objetivo do presente estudo foi avaliar a percepção de pais/responsáveis sobre desenvolvimento de crianças de 3 a 6 anos praticantes de natação. Pais e responsáveis de 16 crianças de ambos os sexos com idade de média de 4 ± 1 ano praticantes de natação a no mínimo 1 ano de prática participaram voluntariamente do estudo. Foi um utilizado um questionário composto por 14 questões elaboradas de forma direta referentes ao desenvolvimento cognitivo, afetividade, desenvolvimento motor e repertorio motor foram direcionadas aos pais/responsáveis das crianças.  O questionário foi respondido considerando que fosse analisado a percepção do antes e depois do início da pratica de natação. Considerando os aspectos cognitivos, os pais perceberam mudanças no entendimento de números e objetivos em aula, no entendimento de ordens de duas ou mais ações e mudança em relação a, organizar objetos em sequência por tamanho ou formato. Afetivamente, foi observado maior interação com os amigos, melhor relação com novidades e acontecimentos do cotidiano e segurança no ambiente aquático. Sobre o aspecto motor, os pais afirmam melhora na motricidade ampla e fina. De modo geral, pais julgam que os seus filhos se beneficiam substancialmente da prática da natação.
 

 


Keywords


atividades aquáticas, desenvolvimento, percepção, motricidade, infância

References


ABP-Associação Brasileira de Psicomotricidade. Disponível em: https://psicomotricidade.com.br/sobre/o-que-e-psicomotricidade/Acesso em: 4de maio de2018.

AZEVEDO, A., MORAIS, L., RODRIGUES, L., BARBACENA, M. GRISI, R. Os benefícios da natação para bebés de 6 a 24 meses de idade. Em: XI encontro de iniciação à docência. Universidade Federal da Paraíba, 9-11 de Abril, Centro de Ciências da Saúde/Departamento de Educação Física/Monitoria, Paraíba, Brasil, pp.1-7.2008.

BARBOSA G.S. Estratégias motivacionais: possibilidade de inclusão do lúdico no processo de ensino aprendizagem da natação. Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências. Departamento de Educação Física. Bauru.2007.

DAMASCENO,L.G.Natação–Psicomotricidade e desenvolvimento. Campinas: Autores Associados,1997

DAMASCENO, L. G. Natação para bebes: dos conceitos fundamentais a prática sistematizada. 2. Ed. Rio de Janeiro: Sprint,1997

GALLAHUE, D.L; OZMUN, J. C. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, adolescentes e adultos. São Paulo: Phorte, 2005.

PENHA, Juliana Bueno Brandão. A Influência da psicomotricidade na natação infantil. Disponível em http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/t206219.pdf ,2010 Acesso em: 7 de junho de 2018

ROSA NETO, F. Manual de avaliação motora. Porto Alegre: Artmed,2002

SOUZA GC. Benefícios da utilização de materiais para o desenvolvimento psicomotor dentro do ensino natação em crianças até 06 anos. Universidade Candido Mendes. Rio de Janeiro. 2004.

TEIXEIRA-Arroyo, Claudia, and Sandra Regina Garijo de Oliveira. "Atividade aquática e a psicomotricidade de crianças com paralisia cerebral. Motriz. 13.2 (2007):97-105.

FREUNDENHEIM, A.M. O nadar: uma habilidade motora revisitada. São Paulo: EPU/EDUSP, 1995.

VENDITTI, Rubens. Ludicidade, diversão e motivação como mediadores da aprendizagem infantil em natação: propostas para iniciação em atividades aquáticas com crianças de 3 a 6 anos, disponível em:, Acesso em: 08 de abril de 2018.

ZULIETTI, Luis Fernando; SOUSA, Ive Luciana Ramos. A aprendizagem da natação do nascimento aos 6 anos: fases de desenvolvimento. Revista Universitária, São José dos Campos, v. 9, n. 17, p. 12-17,2002.

DAMASCENO, L. G. Natação, psicomotricidade desenvolvimento: capinas: Autores Associados, 1997.

PENHA, J. B. B.; ROCHA, M. D. L. C. A influência da psicomotricidade na educação infantil. Rio de Janeiro: Universidade Candido Mendes, 2010.

DOS SANTOS, A.; COSTA, G. M. T. A psicomotricidade na educação infantil: um enfoque psicopedagógico. Getúlio Vargas: REI, 2015.

SAVAREZZI, G.R., NOVAES, A. & GIMENEZ, R. Representações sociais do componente curricular educação física: uma análise sobre os níveis de ensino fundamental e médio. Eccos, v.48, n.8, p.210-230.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-636

Refbacks

  • There are currently no refbacks.