Avaliação do Risco de Crédito em Agências de Rating: uma Abordagem em Corporações Brasileiras / Credit Risk Assessment in Rating Agencies: an Approach in Brazilian Corporations

Edilson Bacinello, Cíntia Rosina Flores, Josmar Almeida Flores, Marlene Valério dos Santos Arenas, Gleimiria Batista da Costa Matos

Abstract


RESUMO

A avaliação do risco de crédito se baseia em critérios e metodologias independentes, buscando demonstrar a opinião das agências de ratings sobre a capacidade das corporações em honrar seus compromissos. Dentre uma gama de instrumentos, os indicadores financeiros podem fornecer informações confiáveis sobre a estabilidade da empresa. Esse estudo tem como objetivo avaliar a influência dos indicadores financeiros nas diferentes classificações de ratings das agências Standard & Poor’s (S&P), Fitch e Moody’s. O método se pautou na Análise de Componentes Principais e Fatorial, com base nos indicadores financeiros de 68 empresas brasileiras. Verificou-se que boa parte dos indicadores financeiros apresentaram, alternativamente, resultados satisfatórios nas análises dos componentes. Embora os indicadores financeiros possam auxiliar nas classificações dos ratings, não apresentam, de forma geral, subsídios que permitam explicar sua influência nos mecanismos de classificação utilizados pelas agências.

 


Keywords


Rating, Indicadores Financeiros, Análise Fatorial, Brasil.

References


ADAMS, M.; BURTON, B.; HARDWICK, P. The Determinants of Credit Ratings in the United Kingdom Insurance Industry. Journal of Business Finance & Accounting, v. 30, n. 3 e 4, 2003.

BEAVER, W. H. Financial reporting: an accounting revolution. 3rd ed. New Jersey: Prentice Hall, 1998.

BHOJRAJ, S.; SENGUPTA, P. Effect of Corporate Governance on Bond Ratings and Yields: The Role of Institutional Investors and Outside Directors. The Journal of Business, v. 76, n. 3. p. 455-475, 2003.

BOUZOUITA, R.; YOUNG, A. A probit analysis of best ratings. Journal of Insurance Issues, v. 21, n. 1, p. 23-34, 1998.

CANTOR, R.; PACKER, F. "The credit rating industry," Quarterly Review, Federal Reserve Bank of New York, v. 19, p. 1-26, 1994.

CAOUETTE, J. B.; ALTMAN, E. I.; NIMMO, R. Gestão de risco de crédito: o grande desafio dos mercados financeiros globais. Rio de Janeiro: Qualitymark, SERASA, 2009.

CORRAR, J. C; PAULO, E.; DIAS FILHO, J. M. Análise Multivariada: para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. 1. ed. 4. reimp - São Paulo: Atlas, 2012.

DAMASCENO, D. L.; ARTES, R.; MINARDI, A M. O. F. Determinação de rating de crédito de empresas brasileiras com a utilização de índices contábeis. R. Adm., v.43, n.4, p.344-355, 2008

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P.; SILVA, F. L.; CHAN, B. L. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

FITCHRATINGS. Informações Relevantes. Disponível em: . Acesso em 15/06/2015.

FROST, C. A. Credit Rating Agencies in Capital Markets: A Review of Research Evidence on Selected Criticisms of the Agencies. Journal of Accounting, Auditing,and Finance, v. 22, n. 3, p. 469–92, 2007.

HAIR, J. F. Jr.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R.L.; BLACK, W. C. Multivariate Data Analysis, (5th Edition). Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall, 1998.

HILL, C. Why Did Rating Agencies Do Such a Bad Job Rating Subprime Securities? 71 U. Pitt. L. Rev., n. 585, 2010.

JORION. P.; LIU, Z.; SHI, C. Informational effects of regulation FD: evidence from rating agencies. Journal of Financial Economics, n. 76, p. 309–330, 2005.

LANGOHR, H.; LANGOHR, P. The rating agencies and their credit ratings: wath there are, how they work and why they are relevant. Chichester: Wiley, 2008.

LYNCH, T. E. Deeply Persistently Conflicted: Credit Rating Agencies in the Current Regulatory Environment. 59 Case W. Res. L. Rev., v. 227, 2009.

MATOUSEK, R.; STEWART, C. A note on ratings of international banks. Journal of Financial Regulation and Compliance, v. 17, n. 2, p. 146–155, 2009.

MCGUIRRE, J. B.; SUNDGREN, A.; SCHNEEWEIS, T. “Corporate Social Responsibility and Firm Financial Performance.” Academy of Management Journal, v. 31, n. 4, pp. 854-72, 1988.

MINARDI, A.; SANVICENTE, A.; ARTES, R. Determinação de crédito de unidades de negócio visando estimar o custo de capital de terceiros. São Paulo: Ibmec, 2006.

MOODY’S. About Moddy’s. Disponível em: . Acesso em 14/06/2015.

MURCIA, F, C, S.; MURCIA, F. D.; ROVER, S.; BORBA, J. A. The Determinants of Credit Rating: Brazilian Evidence. BAR, v. 11, n. 2, p. 188-209, 2014.

NEVES, S.; VICECONTI, P. E. Contabilidade Avançada e análise das demonstrações financeiras. 15 ed. São Paulo: Frase Editora, 2007.

PAPAIKONOMOU, V. L. Credit rating agencies and global financial crisis: need for a paradigm shift in financial market regulation. Studies in Economics and Finance, v. 27, n. 2, p. 161-174, 2010.

REILLY, F. K. Investment analysis and portfolio management. 4ª ed. Fort Worth: The Dryden Press, 1994.

SANTOS, J. O. Análise de Crédito: empresas, pessoas físicas, varejo, agronegócio e pecuária. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

SECURATO, J. R. Crédito: análise e avaliação do risco – pessoas físicas e jurídicas. São Paulo: Saint Paul, 2002.

SILVA, J. P. Gestão e análise de risco de crédito. 6. Ed. São Paulo: Atlas, 2008.

STANDARD & POOR’S. Critérios de rating. Disponível em: . Acesso em 15/06/2015.

WEISSOVA, I.; KOLLAR, B.; SIEKELOVA, A. Rating as a Useful Tool for Credit Risk Measurement. Procedia Economics and Finance, 26, p. 278–285, 2015.

WERNKE, R. Gestão Financeira: Ênfase em Aplicações e Casos Nacionais. Rio de Janeiro: Saraiva, 2008.

WHITE, L. J. The Credit Rating Agencies. Journal of Economic Perspectives, v. 24, n. 2, p. 211–226, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-325

Refbacks

  • There are currently no refbacks.