Aptidão física e índice de massa corporal em adolescentes do curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano/IF BAIANO/Campus Senhor do Bonfim/BA / Physical fitness and body mass index in adolescents of the Technical Course in Agriculture Integrated to High School of the Federal Institute of Education, Science and Technology of Bahia/IF BAIANO/Campus Senhor do Bonfim/BA

Gabriel de Oliveira Lima, João Luís Almeida Feitosa, José Aurimar dos Santos Angelim, Jaciara Gomes da Silva Lima, Jadson de Oliveira Lima

Abstract


Objetivou-se avaliar o nível de atividade física, aptidão física e o índice de massa corporal de adolescentes do curso Técnico Agropecuária Integrado ao Ensino Médio do IFBAIANO/Campus Senhor do Bonfim/BA. A amostra foi composta por 166 adolescentes de ambos os sexos com idades entre 13 e 18 anos. Destes, 67 são do sexo feminino e 99 do sexo oposto, com média de idades de 15,46 + 1,52 e 15,99 + 1,34, respectivamente. Foram realizados testes de resistência muscular, localizada, de flexão de braços (apoio) e resistência muscular, localizada, de abdome durante 01 (um) minuto e, estimado o consumo máximo de oxigênio (VO2máx) por meio do teste de PACER/LÉGER. Para avaliar o índice de massa corporal (IMC) foram coletados peso e estatura. A análise deu-se com o software SPSS for Windows, utilizando a estatística descritiva. Os resultados mostraram que a maioria dos alunos se encontra com o nível de atividade física classificada entre moderadamente ativa (85%) e fisicamente ativa (15%).  Entretanto, com baixa aptidão física, 52,4% com fraca e abaixo da média para flexão de braço; 73,5% com fraca e abaixo da média para resistência abdominal e 84,9% com capacidade cardiorrespiratória muito fraca. Para a composição corporal observou-se que a maioria das alunas 55,2% foi classificada como ótimo, porém 22,4% classificadas com sobrepeso. A ocorrência de alunos classificados como ótimo, foi menor que o sexo oposto, 47,5%; com ocorrência expressiva para baixo peso de 37,4%. Entre as alunas, as idades com maiores ocorrências de sobrepeso, com média de 40,0%, foram 16 e 18 anos de idade. Entre os alunos, as maiores ocorrências foram inversas, para baixo peso, cerca de 39,0% nas idades de 15,16 e 17 anos. Portanto, recomenda-se que sejam realizados novos estudos para permitir a observação da evolução do perfil desse alunado.

Keywords


atividade física, adolescentes, corpo, aptidão, risco, saúde.

References


AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE (ACSM) – Teste de Esforço e Prescrição de Exercício. American College of Sports Medicine. 5 ed. Rio de Janeiro: Revinter. 1999.

BARBETTA, PA. Estatística aplicada às ciências sociais. 3ed. Florianópolis: EDUFSC, 2001.

BAR-OR, O. Obesity. Champaing: Human Kinects Publishers. In Barry Goldberg. Sports and exercise for children with chronic health conditions. P.335-353, 1995.

BLUM, Robert. Saúde na adolescência; questões globais, desafios locais. eJournalUSA. Departamento de Estado dos Estados Unidos – Escritório de Programas de Informações Internacionais -10(1) p. 4-6, 2005. http://usinfo.state.gov/journals/itgic/0105/ijgp/ijgp0105.pdf - Acesso em 17 de fevereiro 2007.

CDC – Coordinated School Health Program Infrastructure Development: Process Evaluation Manual. Atlanta: U.S. Department of Health and Human Services, Centers for Disease Control and Prevention, 1997.

COLDITZ, Graham A.; MARIANI, Anna. O custo da obesidade e do sedentarismo nos Estados Unidos. In: BOUCHARD, C. Atividade física e obesidade. São Paulo: Manole, 2003. p. 63-75.

CORBIN, C. Youth fitness, exercise and health: there is much to be done. Research Quarterly for Exercise and Sport, v.58, n.4, p.308-14, 1987.

CROCKER, P. R. et al. Measuring general levels of Physical Activity: Preliminary evidence for the Physical Activity Questionnaire for Older Children. Medicine and Science in Sports and Exercise, 29. p. 1344-1349. 1997

FARIAS JÚNIOR, J. C. Estilo de vida de adolescentes do ensino médio no município de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Dissertação de Mestrado, CDPPEF/UFSC, Florianópolis, SC, 2002.

FERREIRA,VA; MAGALHÃES R. Obesidade no Brasil: tendências atuais, Revista Portuguesa de Saúde Pública, 24(2): p. 71-81, 2006.

GABRIEL, I.R.; MORAIS, G.L.; PEREIRA, E.V.; CAETANO, E.S.; VOLPATO, A.M.J.; FARIAS, J.M. Atividade física e aptidão física de adolescentes do Município de Criciúma. Braz. J. of Deveop., v. 6, n. 6, p. 34911-34920, 2020.

GUEDES, DP; GUEDES, JERP. Implementação de programa de educação física escolar direcionado à promoção da saúde. Revista Brasileira de Saúde Escolar. vol. 3, nº. 1-4, p. 67-77, 1994.

GUEDES, D.P; GUEDES, J.E.R.P; BARBOSA, D.S; OLIVEIRA, J.A; Níveis de prática de atividade física habitual em adolescentes, Rev Bras Méd Esporte, 7(6): p. 187-99, 2001.

GUEDES, E. R. P. & GUEDES, D. P. Características dos programas de educação física escolar. Rev Paulis de Educação Física, 11 (1); 49-62, jan/jun. SP, 1997.

IBGE - Pesquisa de orçamentos familiares 2002-2003: antropometria e análise do estado nutricional de crianças e adolescentes no Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão/IBGE, 2006.

LIMA, Jadson de Oliveira. Comportamentos de risco à saúde: estudo em adolescentes do ensino médio do município da Barra dos Coqueiros, Sergipe, Brasil. Dissertação de Mestrado. Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju – SE, 2008.

LOHMAN, T.G. The use of skinfolds to estimate body fatness on children and youth. Jounal of Physical Education, Recreation and Dance, 58 (9): 67,69, 1987.

MENDONÇA, C. P., ANJOS, L. A. Aspectos das práticas alimentares e da atividade física como determinante do crescimento do sobrepeso/obesidade no Brasil. Cad. Saúde Pública; Rio de Janeiro; 20(3): 698-709, mai-jun, 2004.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Resolução – RDC nº 40, de 21 de setembro de 2001. http://www.anvisa.gov.br/legis/resol/40_01rdc.htm. Acesso em 10 de Julho de 2012.

MONTEIRO CA; CONDE WL & CASTRO IRR. A tendência cambiante de relação entre escolaridade e risco de obesidade no Brasil, Cad. Saúde Pública, 1: 67-75, 2003.

OMS - Programación para la salud y el desarrollo de los adolescentes. Organización Mundial de La Salud, Genebra, 1999. http://www.who.int/bookorders/espagnol/dartprt3.jsp?sesslan=3&codlan=3&codcol=10&codcch=886# - Acesso em 23 de abril de 2008.

OPAS -. Doenças crônico-degenerativa e obesidade: estratégia mundial sobre alimentação saudável, atividade física e saúde Organização Panamericana Da Saúde – Brasília, 2003. http://www.opas.org.br/sistema/arquivos/d_cronic.pdf - Acesso em 17 de junho de 2006.

PALLONE, Simone. Programa internacional sugere políticas públicas para deter o aumento da obesidade na Europa. Cienc. Cult. [online]. 2007, vol.59, n.2, pp. 16-18. ISSN 0009-6725.

PROCHASKA, J.J.; SALLIS, J.F.; LONG, B. A physical activity screening measure for use with adolescents in primary care. Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine, Chicago, v.155, p.554-9, 2001.

SILVA, R. C. R; MALINA, RM. Nível de atividade física em adolescentes do Município de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saúde Pública, 16 (4): 1091-1097, 2000.

WHO – Obesity: preventing and managing the global epidemic. World Health Organization Geneva: WHO, 1998.

WHO - Conquering Suffering, Enriching Humanity. Executive Summary, World Health Organization Report Geneva, 1997.

U.S. Department of Health and Human Services. The surgeon general’s call to action to prevent and decrease overweight and obesity. Department of Health and Human Services, Public Health Service, Office of the Surgeon General. 2001.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-249

Refbacks

  • There are currently no refbacks.