Manejo sustentável e potencial econômico da extração da mauritia flexuosa / Sustainable management and economic potential of Mauritania flexuosa extraction

Zilmar Timoteo Soares, Ana Beatriz de Castro Silva, Iane Paula Rego Cunha Dias

Abstract


 O manejo sustentável é o aproveitamento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o aproveitamento que não esgota os recursos para o futuro. Esse conceito representa uma nova forma de desenvolvimento socioeconômico, que leva em conta o meio ambiente. O presente projeto apresenta a relação entre a prática econômica extrativista do buriti e o manejo sustentável, tomando como foco temporal, a atualidade. Foi traçado o panorama extrativista do buriti, demonstrando a potencialidade econômica desta espécie e sua viabilidade quanto à sustentabilidade dos recursos naturais e melhoria da qualidade de vida da população, dependente desta prática como complementação e principal fonte de renda. Diante deste contexto a pesquisa teve como objetivo contribuir para a conservação e o manejo sustentável das florestas nativas e da sociobiodiversidade, por meio do estímulo ao desenvolvimento da cadeia produtiva do buriti na zona rural dos municípios do sudoeste maranhense. Avaliando o potencial econômico dessa extração, buscando oferecer subsídio através de atividades, onde a população pôde compreender o manejo sustentável dos buritizais. Para o aproveitamento do fruto, iniciaram as atividades ensinando as condições de higiene, como lavar o fruto sem a perda da casca e do mesocarpo, a extração da polpa, produção do caldo e a extração do óleo. Neste aspecto, 30 famílias participaram das atividades, apesar do baixo nível de escolaridade das pessoas adultas (58%), para isso, as atividades foram desenvolvidas através de oficinas práticas. Nas análises químicas revelaram que a polpa de buriti dispõe em média de 62,93% de umidade, 8,25% de carboidratos totais, 7%, de ferro, sendo 5,17% desta fração de fibra alimentar. Já para extração da fibra e produção do artesanato, trabalhou-se com a comunidade de forma prática o manejo sustentável. Entre os produtos confeccionados pelas comunidades, o mais relevantes foi o artesanato (63%) seguido do sabonete (21%) e alimentos (12%). A extração da polpa, pecíolo e linho do buriti, foram atividades singulares e com alto potencial para contribuir com o bom desenvolvimento regional, por conjugar aspectos sociais, econômicos, culturais, ambientais, políticos, de relações de gêneros, entre outros. Assim, o projeto promoveu ações para estimular a organização de trabalho envolvendo os membros da sociedade, além de construir uma proposta de manejo sustentável das florestas nativas de buriti, contribuindo com os aspectos socioeconômico, nutricional e educacional da comunidade.


Keywords


Desenvolvimento sustentável, Potencial econômico, Sociobiodiversidade.

References


AFONSO, S.R.; ÂNGELO, H. A Cadeia Produtiva do Buriti (Mauritia sp). Disponível em:

. Acesso em: 20 mai. 2014.

ALMEIDA, S. P. et al., Cerrado, espécies vegetais úteis. Planaltina EMBRAPA-CPAC, 2005.

ALVIM, M.R.B. Artesanato, tradição e mudança social: um estudo a partir da “arte do ouro” de Juazeiro do Norte. In: RIBEIRO, Berta et al. O artesão tradicional e seu papel na sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: FUNARTE/Instituto Nacional do Folclore, 1983.

BOFF, L. Ecologia, Mundialização espiritualidade. Editora àtica, São Paulo: 2003.

BUARQUE, C. A desordem do progresso: fim da era dos economistas e a construção do futuro. Paz e terra. Rio de Janeiro: 1993.

BRASIL, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Foto áerea do Municipio de Governador Edison Lobão – Maranhão, Brasil: Brasília-DF. Fonte: http://www.ferias.tur.br/informacoes/2462/governador-edson-lobao-ma.htm, consulta em 20/ 02 /2010

CARVALHO, C. OLIVEIRA ; Scudeller, V. V. ; SARGENTINI JUNIOR, É. ; FERNANDES, O. C. C. ; BOLSON, M. A. . Características físicas, químicas e rendimento do óleo de buriti (Maurita flexuosa L..f. Arecaceae). Diversidade Biológica. 3ed.Manaus: editora Inpa, 2011, v. 03, p. 123-134

DIAS, G. F. Educação Ambiental. Princípio e Prática. Editora Gaia, São Paulo: 1992.

DURÃES, J. A. & SALES, M. J. A. Compósitos Fotoprotetores – Síntese e Caracterização de Poliestireno e Poli (metacrilato de metila) Dopados com Óleo de Buriti (Mauritia flexuosa) 2005. Dissertação (Mestrado em Química) – Universidade de Brasília, Brasília: 2005

GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6ª Ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IPEA/MDIC. Distribuição Espacial da Atividade Artesanal segundo a Pesquisa de Informações Básicas Municipais MUNIC/2009 do IBGE. Trabalho elaborado no âmbito do Acordo de Cooperação Técnica IPEA/IBGE. Brasilia: IPEA, 2012.

ISPN, instituto Sociedade População Natureza, Buriti Palmeira de Mil e Uma Utilidade, Fumpo Amazônia 2013, Belém Pará

LIMA, R. G. Artesanato e arte popular: duas faces de uma mesma moeda. Brasília, DF: Ministério da Cultura; Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, 2009.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas analíticas, métodos químicos e físicos para análises de alimentos. São Paulo. 4º. ed. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, v.1, 2005

LOUREIRO, C. F. B. Complexidade e dialética: contribuições à práxis política e emancipatória em educação ambiental. In: Educação e Sociedade. Vol. 27, n. 94, 2006 p. 131-134.

LORENZI, H. et al., Palmeiras Brasileiras e Exóticas Cultivadas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP: 2004.

LURDES, M. & SOARES Z T. S. Aproveitamento dos frutos do cerrado 2008. Monografia de conclusão de curso (Licenciatura em Biologia) - Universidade Estadual do Maranhão, Centro de Estudo Superior de Imperatriz, Imperatriz - Ma: 2008.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975. (Livro 01 – O Processo de Produção do Capital, v.1 e 2).

MARANHÃO, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais. Plano de ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e das Queimadas no Estado do Maranhão (Decreto nº 27.317, de 14 de abril de 2016). São Luís, Maranhão, 2016. 23 p.

_________MEC, Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s): Apresentação dos temas transversais e ética. MEC/SEF, Brasília – Df: 1996.

MORANDI, S.,GIL, I. C. Tecnologia e meio ambiente. São Paulo: Copidart Editora, 1999.

MANHÃES, L.R.T. Caracterização da polpa de buriti (Mauritia flexuosa, Mart.): um potente alimento funcional. 2007. 78 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

OLIVEIRA.Viabilidade Econômica de Algumas Espécies Medicinais Nativas do Cerrado. Estudos(Goiânia.Online)v.38,p.301-332, 2011

RIBEIRO, E.M.G.A; BAPTISTEL, A.C.; NETO, E.M.F.L, MONTEIRO, J.M. Conhecimento etnobotânico sobre o buriti (Mauritia flexuosa L.f.) em comunidades rurais do município de Currais, Sul do Piauí, Brasil. Gaia Scientia (2014), v.Especial Populações Tradicionais: 28-35 Versão Online ISSN 1981-1268. DOI: http://dx.doi.org/10.21707/gs.v8i2.22415.

RIBEIRO, Berta et al. O artesão tradicional e seu papel na sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: FUNARTE/Instituto Nacional do Folclore, 1983.

SALGADO, I. P. Caracterização do buriti. XXII Seminário de Iniciação científica do Puc-Rio, 26-29 agosto de 2014. Relatórios anuais.

SARLET, Ingo Wolfgang; FENSTERSEIFER, Tiago. Breves considerações sobre os deveres de proteção do Estado e a garantia da proibição de retrocesso em matéria ambiental. Revista Magister de Direito Ambiental e Urbanístico. v. 35, n. 6, p. 18-52, abr-mai, 2011.

SAMPAIO, M. B. Boas práticas de manejo para o extrativismo sustentável do buriti / Maurício Bonesso Sampaio. – Brasília: Instituto Sociedade, População e Natureza, 2011. Disponível em:< http://www.ispn.org.br/arquivos/Cartilha-Buriti- Web.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2016.

SARAIVA, N. A. Manejo sustentável e potencial econômico da extração do buriti nos lençóis maranhense. 2009. 129 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) – Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

SANTIAGO, A. M. Coleta Pré-beneficiamento Armazenamento de Frutos Nativos do Cerrado. Ética Editora, Imperatriz – Ma: 2000.

SILVA, D.B. da; et al., Frutas do Cerrado. Embrapa Informação Tecnológica. Brasília - DF: 2000.

SOARES, Z. T. Educação Ambiental e Cidadania: Desafios Para Recuperação e Aproveitamento do Cerrado no Sudoeste Maranhense 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro Universitário Adventista de São Paulo, Engenheiro Coelho – SP: 2005.

_____________, Aproveitamento dos frutos do cerrado. 2009. Artigo Científico (Educação Ambiental) - Universidade Estadual do Maranhão. Centro de Estudo Superior de Imperatriz, Imperatriz: 2009.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-241

Refbacks

  • There are currently no refbacks.