Rastreabilidade de resíduos da construção civil: uma visão conceitual entre o sistema de gestão ambiental e da qualidade / Traceability of civil construction waste: a conceptual view between the environmental management system and quality

Isabella Simões Rocha, Adeildo Moacir Costa Magalhães, Jeanderson de Souza Mançu, Raymundo Jorge de Sousa Mançú, Maria José Dias Sales

Abstract


O presente estudo aborda a adaptação de um Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil (PGRCC) a um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) em uma construtora, cujo nome fictício é Constrular, localizada na região Nordeste, com matriz localizada no estado de Pernambuco, Brasil. Analisamos a rastreabilidade dos resíduos sólidos, utilizando o gráfico de Pareto. Buscamos analisar as possíveis contribuições do Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos ao Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP – H) e por meio da normatização técnica ABNT NBR ISO 14001:2015 prover a organização de um Sistema de Gestão Ambiental adaptativo e contínuo que possa ser integrado ao Sistema de Gestão da Qualidade e atenda aos requisitos do PBQP – H. Observamos que a deficiência no gerenciamento afeta a rastreabilidade dos resíduos. Concluímos que há significativo aumento do desempenho das entidades que dispõem a NBR ISO 14001:2015 como certificação e compromisso de adaptação ao estágio de três anos à norma mais contemporânea.


Keywords


Indicadores de sustentabilidade, Sistema de gestão ambiental, Sistema de gestão da qualidade, Gráfico de Pareto

References


ABNT. ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Introdução à ABNT NBR ISO:2015.

ABNT. NBR ISO 9001: 2008. Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos. Rio de Janeiro: [s.n.].

ABNT. NBR ISO 9000: 2015. Sistemas de Gestão da Qualidade - Fundamentos e Vocabulários. Rio de Janeiro: [s.n.].

ABRECON, A. B. PARA A RECICLAGEM DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DEMOLIÇÃO. Relatório: pesquisa setorial 2015/2016ABRECON São Paulo, , 2016.

AGUIAR, S. Integração das ferramentas da qualidade ao PDCA e ao Programa 6 Sigma. Nova Lima: Tecnologia e Serviços LTDA, p. 1205–1206, 2006.

BARBIERI, J. C. Gestão ambiental empresarial. [s.l.] Saraiva Educação SA, 2017.

BLUMENSCHEIN, R. N. Manual Técnico: Gestão de resíduos sólidos em canteiros de obrasBrasília, DF.SEBRAE, , 2007.

BRASIL. Lei no 12.305, de 02 de agosto de 2010Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2010.

CARDOSO, F. F. et al. Sistema de avaliação da Conformidade de empresas de Serviços e Obras da Construção Civil - SiAC. p. 131, 2005.

CHERMONT, L. S.; MOTTA, R. S. DA. Aspectos econômicos da gestão integrada de resíduos sólidos. 1996.

CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE, C. Resolução CONAMA no 307, de 5 de julho de 2002Publicada no DOU no 136, de 17 de julho de 2002, Seção 1, páginas 95-96, , 2002. Disponível em:

DE CICCO, F. ISO 14000-A nova norma de gerenciamento e certificação ambiental. Revista de Administração de Empresas, v. 34, n. 5, p. 80–84, 1994.

DENARDIN, V. F.; VINTER, G. Algumas considerações acerca dos benefícios econômicos, sociais e ambientais advindos da obtenção da certificação ISO 14000 pelas empresas. Revista de Estudos Ambientais, p. 109–113, 2006.

DIAS, R. Marketing ambiental: ética, responsabilidade social e competitividade nos negócios . [s.l.] Editora Atlas SA, 2000.

ELIAS, S. J. B.; MAGALHÃES, L. C. Contribuição da Produção Enxuta para obtenção da Produção mais Limpa. Revista Produção Online, v. 3, n. 4, 2003.

FERREIRA, I. T.; PANAZZOLO, M.; KÖHLER, V. L.. Cidade sustentável: direito a uma vida urbana digna. Brazilian Journal of Development, 6(8), 54311-54326, 2020.

JABBOUR, C. J. C.; SANTOS, F. C. A. Evolução da gestão ambiental na empresa: uma taxonomia integrada à gestão da produção e de recursos humanos. Gestão & Produção, v. 13, n. 3, p. 435–448, 2006.

MESQUITA, A. DA S. G. DE. Análise da geração de resíduos sólidos da construção civil em Teresina, Piauí. Holos, v. 2, p. 58–65, 2012.

NAGALLI, A. Gerenciamento de resíduos sólidos na construção civil. Oficina de Textos, , 2016.

NAHUZ, M. A. R. O sistema ISO 14000 e a certificação ambiental. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 6, p. 55–66, 1995.

NASCIMENTO, C. F. G.; MONTEIRO, E. C. B.; SILVA, M. G., TEIXEIRA, I. A. da R.; VALE, L. J. S. do; VALÕES, D. C. P.; PEDROSA, P. G. V. Viabilidade da substituição parcial do resíduo de construção civil pelo agregado miúdo nas propriedades físicas e mecânicas do concreto. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 8, p. 62073-62081, 2020.

NEUMANN, C.; SCALICE, R. K. Projeto de fábrica e layout. Rio de Janeiro: Departamento de Engenharia de Produção – UnB, 2015.

PASCHOALIN FILHO, J. A.; GRAUDENZ, G. S. Destinação irregular de resíduos de construção e demolição (RCD) e seus impactos na saúde coletiva. Environmental & Social Management Journal/Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 6, n. 1, 2012.

ROHT-ARRIAZA, N. Shifting the point of regulation: The international organization for standardization and global lawmaking on trade and the environment. Ecology Law Quarterly, v. 22, n. 3, p. 479–539, 1995.

SANCHES, C. S. Gestão ambiental proativa. Revista de Administração de Empresas, v. 40, n. 1, p. 76–87, 2000.

SILVA, C. E. M. et al. Transportadores de resíduos de construção civil: integração e leis. Inovação & Tecnologia, v. 1, n. 1, p. 15–25, 2017.

SILVA, W. C. DA; SANTOS, G. O.; ARAÚJO, W. E. L. DE. Resíduos Sólidos De Construção Civil: Caracterização, Alternativas De Reuso E Retorno Econômico. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, v. 6, n. 2, p. 286, 2017.

SILVA FILHO, J. C. G. DA et al. Aplicação da Produção mais Limpa em uma empresa como ferramenta de melhoria contínua. Production, v. 17, n. 1, p. 109–128, 2007.

SOUZA, R. S. DE. Evolução e condicionantes da gestão ambiental nas empresas. Revista Eletrônica de Administração, v. 8, n. 6, 2002.

SUIANNE, E. et al. Geração de resíduos sólidos da construção civil – métodos de cálculo. VII Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, p. 1–5, 2016.

WIRTH, D. A. The International Organization for Standardization: Private Voluntary Standards as Swords and Shields. Boston College Environmental Affairs Law Review, v. 36, p. 79, 2009.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e métodos. [s.l.] Bookman editora, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-199

Refbacks

  • There are currently no refbacks.