Movimento antivacinação no Facebook®:uma análise crítica da disseminação de notícias falsas / Anti-vaccination movement on Facebook®: a critical analysis of the dissemination of false news

Marieli Vanessa Ferreira, Alexander de Quadros, Amanda Pereira Ferreira Dellanhese, Morgana Thais Carollo Fernandes

Abstract


Objetivo: identificar as publicações e respectivos comentários postados publicamente nas redes sociais da plataforma social (Facebook®), que se apresentem contra a vacinação. Método: pesquisa exploratória documental, com abordagem qualitativa, realizada por meio da plataforma social (Facebook®) sobre páginas, grupos e publicações que continham a disseminação de notícias falsas sobre vacinas examinando o conteúdo e as características das mensagens postadas pelos emissores das notícias e pelos participantes dos respectivos grupos de seguidores. Resultados: Foram selecionadas duas postagens da fanpage para demonstrar a integração e aceitação dos membros referente ao material publicado na página. A partir da análise emergiram duas categorias de postagem: “Notícias falsas sobre a relação da vacina com a redução do Quociente de Inteligência e sua Disseminação na Rede Social” e “Notícias Falsas acerca da Efetividade das Vacinas e sua Disseminação”. Constatou-se que as notícias falsas disseminadas no Facebook® pelos adeptos do movimento antivacina, visam principalmente alertar sobre os riscos das vacinas à saúde das crianças e das pessoas em geral. Conclusão: Sugere-se enfatizar a importância das vacinas na prevenção de doenças e alertar para as falsas informações que proliferam na internet e nas redes sociais digitais. Para isso, os profissionais da saúde, especialmente da atenção primária à saúde devem adotar medidas para que cativem a adesão da população à vacinação da comunidade em geral.


Keywords


Vacinas, Anti-vacinação, Notícias falsas, Disseminação na internet.

References


Agência Brasil. EBC. Empresa Brasil de Comunicação. Doenças erradicadas voltam a assustar. Disponível em: agenciabrasil.ebc.com.br/.../doencas-erradicadas-voltam-assustar-veja-os-desafios. Acesso em 03 Jul. 2018.

Bloom DE, Canning D, Shenoy E. The effect of vaccination on childresn’s physical and cognitive development in the Philipines. 2011. Disponível em: https//dash.harvard.edu>PGDA_WP_69.

Brasil. Ministério da Saúde. Vacine-se: entenda por que a vacinação evita doenças e salva vidas: 2017. Disponível em: - portalms.saude.gov.br/acoes-e-programas/vacinacao/vacine-

Caers R et al. Facebook: A literature review. New Media & Society, [s.l.]. 2013; 15(6): 982-1002. SAGE Publications. http://dx.doi.org/10.1177/1461444813488061.

Chirico F. The new Italian mandatory vaccine Law as a health policy instrument agains tthe anti-vaccination movement. [A nova Lei Italiana de vacina compulsória como política de saúde contra o movimento anti-vacinação]. -Ann Ig 2018; 30: 251-256 doi:10.7416/ai.2018.2217. Disponível em: https://wwww.ncbi.nlm.nih.gov>pubmed.

Frigotto Go. Capital humano. Dicionário da Educação Profissional em Saúde. 2009. 2. ed. Fiocruz. Disponível em: http://www.sites.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/caphum.html

Frossard VC, Dias MCM. O impacto da internet na interação entre pacientes: novos cenários em saúde. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, [s.l.]. 2016 fev 16; 20(57): 349-361, [FapUNIFESP –SciELO]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622014.1334.

Gregório GBS et al. Análise de uma fanpage do facebook: promoção da saúde de pessoas com fibromialgia. Revista Saúde e Pesquisa. 2017 set./dez; 10(3): 511-518. DOI: http://dx.doi.org/10.177651/1983-1870.

Griffiths S. Are we becoming more STUPID? IQ scores are decreasing.Mail Online.2014. Disponível em: https://www.dailymail.co.uk/.../Are-STUPID-Britons-people-IQ-d. Acesso em 20 out. 2018.

Girswald P, Baker B.The decline of the average human IQ. The Daily Journalist, 21 jan. 2014. Disponível em: http://thedailyjournalist.com/the-strategist/the-decline-of-the-average-human-i-q/ e em http://uhaweb.hartford.edu/brbaker/

Greenberg J, et al. Vaccine Hesitancy: In search of the risk communication comfort zone [Hesitação da vacina: em busca da zona de conforto da comunicação de risco]. ‎2017; Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28357154)

Halsey NA. The science of evaluation of adverse events associated with vaccination. [A ciência da avaliação de eventos adversos associados à vacinação. Seminários em doenças infecciosas pediátricas]. 2002. National Library of Medicine National Institutes of Health dos EUA. disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12199617.

Hussain A et al.The anti-vaccination movement: a regression in Modern Medicine [O movimento anti-vacinação: uma regressão na moderna medicina].[Internet] Cureus. [acesso03 Jul 2018] doi:[10.7759/cureus.2919]disponívelem:https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6122668

Luna T; Kutianski A. O consumo de informações sobre saúde por adolescentes do 8º ano do ensino fundamental. E-mosaicos, [s.l.]. 2018 ago. 31; 7(15): 89-100, 31 ago. 2018. Universidade de Estado do Rio de Janeiro. Disponível em: http://dx.doi.org/10.12957/e-mosaicos.2018.34185

Moraes, LRM, et al. Eventos adversos de vacinas e as consequências da não vacinação: uma análise crítica. Revista de Saúde Pública, 2018. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rsp/v52/pt_0034-8910-rsp-S1518-87872018052000384.pdf

MS - Manual de vigilância epidemiológica de eventos adversos pós-vacinação.3. ed. 2014. Disponível em: http://biblioteca.cofen.gov.br/manual-de-vigilancia-epidemiologica-de-eventos-adversos-pos-vacinacao/

Oliveira DC. Análise de Conteúdo Temático-Categorial: uma Proposta de Sistematização. Facenf-UERJ – 2008; 16(4)19. Disponível em: www.facenf.uerj.disponbr/v. 16n4/v16n4a19 pdf.

Rodewlad LE. Vacinação infantil. National Immunization Program. Centers for Disease Controland Prevention. EUA; Jun. 2014. Disponível em: http://www.enciclopedia-crianca.com/vacinacao/segundo-especialistas/vacinacao-infantil

Silva, LM; Luce B, Silva Filho RC. Impacto da pós-verdade em fontes de informação para a saúde. 2017- Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. 13(n. esp. CBBD 2017): 271-287. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/892.

Singer T. Likes para a ciência: divulgação científica e consumo de notícias na página I Fucking Love Science no Facebook. Estudos em Comunicação, [s.l.]. 2015 dez 21; (21):139-154. Universidade da Beira Interior. Disponível em: http://dx.doi.org/10.20287/ec.n21.a10.

Vasconcellos-Silva, PR, Castiel, LD. A internet na história dos movimentos anti-vacinação. ComCiência, Campinas, 2010 set, (121). Disponível em: http://comciencia.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-76542010000700011&lng=es&nrm=iso>.

WHO. World Health Organization. Risk Communication and community engagement, preparedness and readiness framework: Ebola response in the Democratic Republic of Congo in North Kivu [Comunicação de risco e estrutura comunitário de engajamento, preparação e prontidão: Reação à Ebola na República do Congo no Norte de Kivu]. Set. 2018. Disponível em www.who.int/risk-communication/en/ -

Wolfe RM, Sharp LK, Lipsky MS. Contentand design attributes of antivaccination web sites. Conteúdo e características de concepção de sites antivacinação na internet]. 2002. Disponível em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12076221.

Vasconcellos-Silva PR, Castiel LD, Griep RH. A sociedade de risco midiatizada, o movimento antivacinação e o risco do autismo. Ciência & Saúde. 2015: SciELO Public Health. Disponível em: www.scielo.br .

WHO - World Health Organization. Macro economics and Health: investing in health for economic development. Report of the Commission on Macro economics and Health. 2001. Disponível em: http://apps.who.int/iris/handle/10665/42463




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-197

Refbacks

  • There are currently no refbacks.