Sequência didática e temas geradores como estratégias no ensino de bioquímica e alimentação / Teaching sequence and generating topics as strategies in the teaching of biochemistry and food

Josivan Washington Marinho dos Santos, Maria da Conceição Pereira Barbosa, Klyvia Leuthier dos Santos, Ana Maria dos Anjos Carneiro Leão, Betânia Cristina Guilherme

Abstract


O cotidiano escolar deve se relacionar com o cotidiano discente fora da escola, uma vez que essa relação favorece o aprendizado de maneira critica e ativa. Nesse sentido é importante agregar vivências e práticas com foco na relação entre conteúdo e cotidiano. O presente estudo relata intervenções do Programa de Iniciação a Docência - Núcleo de Biologia, sobre os conteúdos de bioquímica e as biomoléculas visando  aproximar os estudantes sobre tais conceitos de forma a não torná-los abstratos quando não explorados. As praticas e momentos relatados buscaram favorecer o pensamento crítico a respeito da ingestão/digestão dos alimentos identificando as biomoléculas na alimentação. Para atingir estes objetivos o grupo utilizou duas práticas educativas; na construção das atividades, utilizamos as estratégias de sequências didáticas e construção de mapa conceitual. Visando a consolidação das estratégias do estudo buscou-se estimular a participação ativa dos educandos através do “tema gerador” e feedbacks intensificando os pontos a serem explorados e consolidados.  Nas primeiras analises percebeu-se que 42,3% do número total de repostas apresentavam equívocos. Ao logo do caminho metodológico em analises posteriores o numero de equívocos correspondeu apenas a 2%. Por fim a analise de todo estudo evidenciou a eficácia da intervenção, uma vez que em comparação com as produções anteriores e posteriores das atividades nota-se uma evolução positiva no que se diz respeito a predominaria de conteúdos acertivos por parte dos estudantes. Os temas geradores bem como às sequências didáticas mostraram-se eficientes ferramentas no processo de ensino e aprendizagem, garantindo resultados positivos nas intervenções e atividades planejadas por docentes. Também registramos que os discentes se tornaram mais críticos a respeito dos alimentos que passariam a consumir e também saberiam identificar os nutrientes presentes nesses alimentos como foi mostrado nos mapas conceituais.


References


AGUIAR, J. G.; CORREIA, P. R. M. Como fazer bons mapas conceituais? Estabelecendo parâmetros de referências e propondo atividades de treinamento. in: Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências v. 13, n. 2, 2013.

ANDRÉ, W. D. S. et al. Construção de sequências didáticas na formação inicial de professores: Ensinando bioquímica na perspectiva do paradigma emergente. in: XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – XI ENPEC Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC – 3 a 6 de julho de 2017.

BORDENAVE, J. D.; PEREIRA, A. M. Estratégias de ensino-aprendizagem. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008, 314 p.

CHASSOT, A.; VENQUIARUTO, L. D.; DALLAGO, R. M. De Olho nos Rótulos: Compreendendo a Unidade Caloria. Química Nova na Escola, n. 21, 2005, p.10-13.

CORAZZA, S. M. Tema gerador: concepções e práticas. Ed. 3. Ijuí: UNIJUÍ, 2003. 60 p.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Pas e Terra. 1987.

MACÊDO, A. P. Rótulos de alimentos para o ensino de bioquímica: proposta de ensino para professores de química e de biologia da educação básica. 2017. 106 p. Dissertação (Programa de Pós-graduação em ensino de Ciências e Matemática) Universidade Federal de Uberlândia.

NOVAK, J. D.; GOWIN, D. B. Aprender a aprender. Lisboa: Plátano Edições Técnicas. Tradução de Learning how to learn (1984). Ithaca, N.Y.: Cornell University Press.

Programa de Educação Nutricional – PEN. Nutriamigos. Bauru, SP, 2012.

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID, Fundação CAPES, quarta, 03 setembro 2008. Disponível em: . Acesso em: 29 abril 2019.

SILVA, R. M. G.; FURTADO, S. T. F. Diet ou Light: Qual a Diferença? Química Nova na Escola, n. 21, 2005, p.14-16.

SILVA, R. O.; ROSA, L. Q.; SILVA, L.P.; SOUZA, M. V. A correspondência entre objetos de aprendizagem e mapas conceituais: uma revisão sistemática da literatura. Brazilan Jounal of Development, Curitiba, v. 5, n. 10, p. 17887-17900, out. 2019

SILVA, S. M. et al. Explorando o tema “alimentação” para o ensino de bioquímica. In: Revista Debates em Ensino de Química, Recife-PE, v. 4, n. 1. 2018.

VIEIRA, R. Fundamentos de Bioquímica: Textos didáticos. Belém, 2003.

STAINBACK, S. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artmed, 1999.

ZABALA, A. (1998). A Prática Educativa: Como ensinar. Trad. de Ernani F. da F. Rosa. Porto Alegre: Artmed, 2010. 224 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-189

Refbacks

  • There are currently no refbacks.