Padrão de utilização de antibiótico em hospital no interior do Rio Grande do Sul / Antibiotic use pattern in hospital in the interior of Rio Grande do Sul

Paola Rodrigues Furlan, Natchelle Melo, Carlana Cruz, Patricia Albano Mariño, Ana Paula Simões Menezes

Abstract


No contexto hospitalar os antibióticos são prescritos tanto de modo profilático quanto curativo, considerando ser um ambiente susceptível a infecções, seja pela debilidade e baixa imunidade dos pacientes internados. O objetivo foi avaliar o padrão de consumo de antibióticos em um hospital escola, no interior do Rio Grande do Sul, além de descrever as classes de antibióticos mais utilizados, a via de administração, conformidade de dias em uso e determinar DDD dos antibióticos no período em estudo. Durante o estudo foram realizadas 1.070 prescrições, sendo que 257 continham pelo menos um antibiótico a nível sistêmico, representando uma prevalência igual a 24% (61 pacientes). Das 257 prescrições, observou-se que 53,3% (137) continham dois ou mais antibióticos. A classe de antibiótico mais prescrito foi cefalosporinas representadas pela maior frequência de prescrição por ceftriaxona (82%), seguido da classe quinolonas, representada pelo ciprofloxacino (54,7%); e pelos macrolídeos, representada pela azitromicina (100%). As maiores DDDs foram de clindamicina (0,87), seguido pelo imipinem + cilastatina (0,72) e amoxicilina + clavulanato (0,70). Pode–se concluir nesse estudo que é de suma importância saber a respeito do uso de antibióticos, visto que eles são bastante utilizados no ambiente hospitalar e requer muito cuidado na sua prescrição, porque a resistência bacteriana hospitalar é um grande problema mundial.


Keywords


medicamentos, antibióticos, hospital, DDD.

References


ANVISA. Agencia nacional de vigilância sanitária, Brasília. Uso racional de antimicrobianos e a resistência microbiana, 2019. Disponível em: < http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/controle/rede_rm/cursos/atm_racional/modulo1/uso_estrategias14.htm>. Acesso em: 15 de mar de 2020.

AZABACHE M. D. P. A. Prevalência do uso de antibióticos em pacientes atendidos no Hospital Belém de Trujillo. Janeiro – abril 2018. Disponível em:. Acesso em: 21 de abr de 2020. (não foi publicado em revista, por isso não tem)

BARROS C. A. Antimicrobianos: estudo de sua utilização em um hospital do noroeste fluminense. 2018. Disponível em: . Acesso em: 18 de maio de 2019. (não foi publicado em revista, por isso não tem)

BESEN Z. G. S. D. Análise do padrão de consumo dos antimicrobianos no hospital universitário da universidade federal de Santa Catarina no período de 2000 a 2006. 2008. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/91359/252767.pdf?sequence=1&isAllowed=y>.

CABRAL Lucas, MENESES Jaqueline, PINTO Paula F. C., FURTADO Guilherme H. C. Racionalização de antimicrobianos em ambiente hospitalar.Rev Soc Bras Clin Med. 2018 jan-mar;16(1):59-63. Acesso em 16 de mar de 2020.

DRAENERT R., SEYBOLD U., GRÜTZNER E., BOGNER J. R. Antibióticos novos: ainda estamos na era pré-pós-antibiótica? Infecção 2015; 43 (2): 145-51.

GARCIA, L. M.; SOUZA, G. A. A. D.; MOTA, E. C.; CÉSAR, I. C. O.; BRAGA, C. A. Perfil epidemiológico das infecções hospitalares por bactérias multidroga resistentes em um hospital do norte de Minas Gerais. Revista Epidemiol Control Infect. 2013. V. 3. N 2. Pag 45 -49.

GOMES M. Pneumonia adquirida na comunidade: os desafios da realidade brasileira.Bras Pneumol. 2018;44(4):254-256. Acesso em: 22 abr. 2020.

LIMA, J. F. A.; VIEIRA, E. M. S.; SILVA, B. S. DA; ARAÚJO, T. D. DE; REIS, T. G. M. DOS; MIRANDA, J. DE M.; LIMA, K. V. M.; BORGES, R. M.; LIMA, D. DA S.; MEDEIROS, F. H. A. DE; MEDEIROS, A. N. D. L. R. DE; LIMA, L. N. F. DE; PANTOJA, M. DE S. Perfil das prescrições de antibióticoterapia em uma unidade de terapia intensiva adulto de um hospital de referência cirúrgica no estado do maranhão. Revista Eletrônica Acervo Saúde, n. 34, p. e1301, 7 out. 2019.

MOSTACHIO A. Caracterização dos carbapenens e proteínas da membrana externa de carbapenêmicos Acinetobacter spp. Isola de sangue. Dissertação do Programa de Mestrado em Infecções e Doenças Parasitárias. Faculdade de Medicina. São Paulo, 2010.

NÁJERA L., H., BLASCO A., C., SANZ U., M., OSINAGA E., A., INCHAURREGUI L., C., A,. Evolución de lautilización de antimicrobianos durante losaños 1996-2000 em um hospital general. Estudio pormenorizado de la UCI.FarmHosp (Madrid) 2003; 27(1):31-37.

PATARROYO M., GONÇALVES P. F., FLECHA O. D.. A doença periodontal como fator de risco para a pneumonia por aspiração – revisão de literatura. Periodontia. 2008; 18(2): 24 – 30. Acesso em: 22 de abr de 2020.

POLLACK L, PLACHOURAS D, SINKOWITZ-COCHRAN R, GRUHLER H, MONNET D, WEBER J. A Concise Set of Structureand Process Indicatorsto Assessand Compare Antimicrobial Stewardship Programs Among EU and US Hospitals: Results From a Multinational Expert Panel. Infection Control & Hospital Epidemiology. 2016;37(10):1201-1211.

POSTMA D. F., WERKHOVEN C. H., LEONTINE J. R.,STEVEN F. T. ANDY I. M., KLUYTMANS A. J. W., BOERSMA W. G., COMPAIJEN C. J., WALL E. V. D., PRINS J. M., OOSTERHEERT J. J., BONTEN M. J. M. Estratégias de tratamento com antibióticos para pneumonia adquirida na comunidade em adultos. 2015. n engl j med 372;14 nejm.org April 2, 2015 Disponivel em: . Acesso em: 21 de abr de 2020.

RETTO M. P. F., GONÇALVES M. L. M., MOTA I. A., MAGALHÃES, M. A. D. L., PEREIRA N. R. D. S., MARQUES I. L. Avaliação do uso de antimicrobiano em um hospital público especializado em traumatologia e ortopedia. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 7, n. 4, 11 de março de 2019.

RODRIGUES F. A. E BERTOLDI A. D. Perfil da utilização de antimicrobianos em um hospital privado. Ciência&SaúdeColetiva, 15(Supl. 1):1239-1247, 2010.

SANTOS R. G., ALVES C. D. S., LEMOS L. B. e JESUS I. S.. Prescrições de antimicrobianos de uso restrito de pacientes internados em um hospital de ensino. Rev. Bras. Farm. Hosp. Serv. Saúde São Paulo v.7 n.1 8-12 jan./mar. 2016.

SILVA L. C., NOGUEIRA L. S., SETTERVALL C. H. C. Desempenho de índices de gravidade para estimar risco de morte em Unidades de Terapia Intensiva. Rev. Esc. Enferm. USP, 2012, 46(4):846-50.

SOUSA A. F., OLIVEIRA L. B., MOURA M. E. B. Perfil epidemiológico das infecções hospitalares causadas por procedimentos invasivos em unidade de terapia intensiva. 2016. Disponível em: . Acesso em: 03 de mar de 2020.

VARGAS G., EISTEIN E. Características del consumo de antibióticos de reserva en pacientes delservicio de medicina interna - infectología 12c del hospital nacional Edgardo Rebagliati Martins – Lima, mayo-diciembre 2014. 2016. Disponível em: . acesso em: 21 de mar. de 2020.

WALSH, C.; Antibiotics: Actions, Origins, Resistence, ASM Press: 345pp Washington, 2003.ProteinSci . 2004 Nov; 13 (11): 3059-3060.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-175

Refbacks

  • There are currently no refbacks.