A saúde socioemocional dos professores da rede pública estadual de Fortaleza / The socioemotional health of the teachers of the state public network of Fortaleza

Juliana Vieira de Mesquita, Preciliana Barreto de Morais, Antônio Fábio Macedo de Sousa, Rosendo Freitas de Amorim, Francisco José Rodrigues

Abstract


O Brasil é um país que possui muitos problemas em relação à educação e a categoria docente é uma das que mais sofrem com as adversidades que surgem no cotidiano da profissão. Por ser a principal mediadora dessa relação de troca no processo de ensino e aprendizagem dos estudantes, o intuito deste trabalho é compreender a saúde socioemocional dos professores e professoras da rede pública estadual da cidade Fortaleza, analisando a luz da sociologia das emoções as narrativas de experiências dos docentes de uma escola de ensino básico. Verificamos também se existe atendimento especializado para esses profissionais que enfrentam inúmeras adversidades em seu cotidiano. Trata-se de um estudo de cunho qualitativo, com auxílio de um grupo de discussão ou grupo focal com docentes que nos cederam os seus depoimentos. Além dos recursos metodológicos de grupo focal e relatos de experiência, nos respaldamos nas análises de autores da sociologia das emoções como Norbert Elias (1994), Erving Goffman (2001) e Richard Sennett (1999), que nos ajudam a compreender as ações dos sujeitos a partir de determinadas situações. Por meio dos relatos dos professores e professoras constatamos que há uma desvalorização profissional, acúmulo de atividades e funções, desgastes emocionais, dentre outros, fazendo com que esse grupo seja suscetível de desenvolver uma doença denominada “Síndrome de Burnout”. Essa patologia vem ganhando destaque na área da saúde pelo fato de estar relacionada com as demandas das sociedades atuais, dentre elas, muitas tarefas e falta de uma qualidade de condições e de tempo para realizá-las. Decorrente desse cenário, o exercício do magistério tem sido um dos ofícios mais atingidos. Além disso, constatamos que os docentes não possuem um preparo na sua formação que abranja, também, a educação emocional, como também não dispõem de acompanhamento especializado para enfrentarem os dilemas inerentes às suas atividades de educador, comprometendo ainda mais o seu estado emocional.

 

 


Keywords


Saúde sociomocional, professores, escola.

References


ALVES, Francisco Cordeiro. Conflito, insegurança, insatisfação: três condicionantes da actividade docente a ultrapassar. Revista Galego-portuguesa de psicoloxía e educación n° 8 (vol. 10) ano 7°-2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portal Regional da Biblioteca Virtual em Saúde. Síndrome de Burnout: causas, sintomas, tratamentos, diagnóstico e prevenção. Brasília, DF, 2018. Disponível em: < https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lis-LISBR1.1-46585>. Acesso em: 19 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Portal do Professor. Burnout: síndrome afeta mais de 15% dos docentes. Brasília, DF, 2018. Disponível em: < http://portaldoprofessor.mec.gov.br/conteudoJornal.html?idConteudo=38>. Acesso em: 19 ago. 2019.

BOURDIEU, Pierre. A miséria do mundo. 9. Ed – Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

CARLOTTO, Mary Sandra. A síndrome de burnout e o trabalho docente. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 7, n. 1, p. 21-29, jan./jun. 2002. Disponível em: Acesso em: 30 ago. 2019.

DE OLIVEIRA MESSIAS, Inalda Maria et al. A síndrome de burnout em professores de uma escola pública em Petrolina–PE/Burnout syndrome in teachers of a public school in Petrolina-PE. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 5, p. 3856-3866, 2019.

ELIAS, Norbert. A Sociedade dos Indivíduos. Organizado por Michael Schöter; tradução, Vera Ribeiro: revisão técnica e notas Renato Janine Ribeiro. – Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

______. O processo civilizador. vol. 1. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

______. O Processo Civilizador. Vol. 2. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.

______. Sobre os seres humanos e suas emoções: um ensaio sob a perspectiva da sociologia dos processos. In: GEBERA, Ademir; WOUETRS, Cas (ORGs). O controle das emoções. João Pessoa: PB. Editora Universitária da UFPB, 2009.

ESTEVE, José M. Mal-estar docente: a sala de aula e a saúde do professor. São Paulo: EDUSC, 1999.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. São Paulo: Editora Perspectiva, 2001.

GOFFMAN, Erving. Ritual de interação: ensaios sobre o comportamento face a face. 2011.

KOURY, Mauro Guilherme Pinheiro; BARBOSA; Raoni Borges Barbosa (ORGs). A vergonha no self e na sociedade de Thomas Scheff. Recife: PE. Coleção Cadernos do GREM, Nº 10, 2016.

PENIN, Sonia. Cotidiano e escola: a obra em construção. São Paulo: Cortez, 1989.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 1999.

SILVA, Paulo Sérgio. Saúde Mental do Professor. São Paulo: Expressão & Arte, 2006.

SILVA, Selma Gomes; PAIVA, Antonio Cristian Saraiva. O pathos docente em narrativas: relações entre trabalho, subjetividades docentes e adoecimento psíquico. Revista de Ciências Sociais. Fortaleza, v.49, n. 1, p.535-577, 2018.

SIMMEL, Georg. A metrópole e a vida mental. In: VELHO, Otávio Guilherme. O fenômeno urbano. Rio de Janeiro, RJ: Zahar Editores, 1979.

______. Questões fundamentais de sociologia: indivíduo e sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-172

Refbacks

  • There are currently no refbacks.