Avaliação da sustentabilidade de agroecossistemas de fundos de pasto do semiárido da Bahia / Assessment of the sustainability of pasture fund agroecosystems in the semi-arid region of Bahia

Gilton Carlos Anísio de Albuquerque, Rogério de Souza Bispo, Rita Cristina Novaes Rios, Júlio Cesár Novais Santos

Abstract


A discussão sobre a diversidade da agricultura familiar no Brasil e sua sustentabilidade é recente, tendo início no final do século XX, favorecendo outros debates acerca da existência de contextos rurais específicos, cujas dinâmicas próprias, necessitam ser reconhecidas nas estratégias e monitoramento do desenvolvimento, a partir de estudos baseados indicadores multidimensionais, de sustentabilidade.  O presente artigo é resultado de uma pesquisa que teve objetivo de avaliar a sustentabilidade de dois agroecossistemas de base familiar, consubstanciados nas comunidades de Fundo de Pasto de Fartura, localizado no município de Sento Sé - BA e Lagoa do Sal, em  Campo Alegre de Lourdes – BA, no Semiárido do Vale do São Francisco, assistidas pelo conjunto de ações de cunho socioeconômico e ambiental, com ênfase na educação contextualizada, do “Projeto de Recaatingamento”, levado a cabo pelo Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada – IRPAA, de Juazeiro – BA. Em termos metodológicos, o trabelho se caracterizou como descritivo, tendo sido utilizado: pesquisa bibliográfica e documental; participação em eventos do “Projeto Recaatingamento” e aplicação de questionários, junto ao corpo técnico do IRPAA e agricultores. Para análise e interpretação dos dados foi utilizado o método Índice de Desenvolvimento Sustentável - IDS (S³) – biograma, desenvolvido por Sepúlveda (2008). Como resultados, obteve-se os respectivos Índices de Desenvolvimento Sustentável - IDS do agroecossistema de Fartura: 0,61, evidenciando um estado estável de sustentabilidade, obtendo melhor resultado nas três dimensões avaliadas, quando comparado com Lagoa do Sal: 0,48, significando um estado instável de sustentabilidade.


Keywords


Agricultura familiar tradicional, indicadores de sustentabilidade, Semiárido.

References


ABRAMOVAY, R. O capital social dos territórios: repensando o desenvolvimento rural: Economia Aplicada. 4 (2), 2000.

BAHIA. Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional – CAR; Secretaria de Desenvolvimento e Ação Regional - SEDIR. Projeto de desenvolvimento rural sustentável do estado da Bahia: Bahia produtiva, 2014

FINATTO R. A.; SALAMONI, G. Sociedade Agricultura familiar e agroecologia: perfil da produção de base agroecológica do município de Pelotas/RS: Sociedade & Natureza, Uberlândia, 20 (2): 199-217, 2008

GARCEZ, A. N. R. Fundo de Pasto: um projeto de vida sertanejo: INTERBA/CAR, Salvador, 1987.

MARQUES, L.S. As comunidades de fundo de pasto e o processo de formação de terras de uso comum no semiárido brasileiro: Sociedade & Natureza, Uberlândia, 28 (3): 347-359, 2016

MATTEI, L. O papel e a importância da agricultura familiar no desenvolvimento rural brasileiro contemporâneo: Revista de Economia do Nordeste, Fortaleza, 45 (1): 71-79, 2014

SANTOS, C. J. S. e. Fundo de Pasto: tecitura da resistência, rupturas e permanências no tempo-espaço desse modo de vida camponês. 2010. 290f. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2010.

SEPÚLVEDA, S. S. Biograma: metodología para estimar el nivel de desarrollo sostenible de territorios. San José, Costa Rica: IICA, 2008

SCHNEIDER, S.; CASSOL, A. A agricultura familiar no Brasil. Serie documentos de trabajo n° 145: Rimisp. Santiago, Chile, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-169

Refbacks

  • There are currently no refbacks.