Análise de roteirização aplicada ao transporte multimodal para escoamento da produção agrícola do estado do mato grosso / Routing analysis applied to multimodal transportation for the flow of agricultural production in the state of mato grosso

Flávia Aline Waydzik, Robson Seleme, Wiliam de Assis Silva, Dyeison Mlenek

Abstract


Visando ao crescimento do transporte de cargas e maior competitividade no mercado internacional, esta pesquisa apresenta a análise de roteirização nas exportações de commodities agrícolas brasileiras. A diversificação da matriz de transportes nacional pode induzir a redução de custos logísticos no transporte de cargas da região Centro-oeste do Brasil até os portos marítimos. Diante da necessidade de melhorias da qualidade e da eficiência do sistema de transportes para atender as expectativas do crescimento econômico, é recomendado desenvolver estudos que auxiliem a definição de prioridades de investimentos, visando ao equilíbrio econômico e social do Brasil. Para tanto, propõem-se uma metodologia de análise de roteirização baseada em pares Origem-Destino pré-definidos conforme dados de exportação nacional e internacional, vinculados aos custos de transporte. Esse estudo buscou definir o melhor trajeto para transporte das cargas do estado do Mato Grosso, grande produtor de grãos do país, através da interação multimodal. Dessa forma foi possível definir a melhor rota para cada par O/D e identificar que os percursos atualmente utilizados possuem menores benefícios financeiros. Destaca-se que o modal hidroviário resultou custos menores mesmo considerando distâncias maiores aos outros modais. A combinação multimodal rodoviário/ferroviário apresentou-se similar à combinação rodoviário/hidroviário em alguns casos.


Keywords


Transporte multimodal, custos logísticos, roteirização, pares O/D.

References


ALMEIDA, Cleibson Aparecido de; SELEME, Robson; CARDOSO NETO, João. Rodovia Transoceânica: uma alternativa logística para o escoamento das exportações da soja brasileira com destino à China. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 51, n. 2, p. 351-368, 2013.

ANTAQ. Agência Nacional de Transportes Aquaviários, 2012. Disponível em: .

ANTAQ. Agência Nacional de Transportes Aquaviários. Base cartográfica vetorial de transportes aquaviários. Brasília: ANTAQ, 2016. Disponível em: .

ANTAQ. Agência Nacional de Transportes Aquaviários, 2017. Estudo da prática regulatória, vantagens competitivas e oferta e demanda de carga entre os países signatários do Acordo da Hidrovia Paraguai-Paraná.

ANTT. Agência Nacional de Transportes Terrestres, 2020. Disponível em: .

BALLOU, Ronald H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: planejamento, organização e logística empresarial. 4ª ed. Porto Alegre: Bookmann, 2001.

BANCO MUNDIAL, 2017. Relatório nº 117392-BR. Disponível em: < http://documents1.worldbank.org/curated/pt/237341502458978189/pdf/117392-PORTUGUESE-PorBacktoPlanningFinal.pdf>

BNDES. Banco Nacional do Desenvolvimento. Um olhar territorial para o desenvolvimento: Centro-Oeste, 2014.

CNT – Economia em Foco - Entraves Logísticos ao Escoamento de Soja e Milho, 2015 - disponívelem:. Acesso em 28 de jul. 2020.

CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento, 2019. Acompanhamento da Safra Brasileira. Disponívelem:.

DEMARIA, M. O Operador de Transporte Multimodal como Fator de Otimização da Logística. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2004

DNIT. Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. Base cartográfica vetorial de sistemas viários com jurisdição federal. Brasília: DNIT, 2015. Disponível em: .

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2019. Disponível em .

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2020. Disponível em:

FIESP. Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, 2019. (FIESP). Informativo, 2019. Disponível em: < https://www.fiesp.com.br/indices-pesquisas-e-publicacoes/safra-mundial-de-soja/ > Arquivo Dezembro 2019.

GAMEIRO, A. H.; Índices de preço para o transporte de cargas: O caso da soja a granel. Tese de Doutorado. Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, 2003.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Base cartográfica vetorial contínua do Brasil ao milionésimo - BCIM. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. Disponível em: .

KONISHI, F; COLAVITE, A. S. A matriz do transporte no Brasil: uma análise comparativa para a competitividade, 2015. Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia.

LIMA et al.; Estudo comparativo entre custos associados com a utilização de sistemas multimodais de transportes. Engevista, V. 11, n. 2. p. 137-147, dezembro 2009

NEDER, V. Com supersafra, Brasil se consolida como maior produtor mundial de soja, 2020. Disponível em: < https://www.terra.com.br/economia/com-supersafra-brasil-se-consolida-como-maior-produtor-mundial-de-soja,37ba5a049440217e22e8dfa57a2faec3lfal7us0.html>

PDZ. Plano de Desenvolvimento e Zoneamento, Porto Organizado de Santos, 2020. Disponível em: < http://www.portodesantos.com.br/wp_porto/wp-content/uploads/2020/06/pdzapresentacao.pdf >

PHE. Plano Hidroviário Estratégico, 2013. Disponível em:

.

POPOV, Daniel. Veja os 10 portos brasileiros que mais embarcaram soja em 2019, 2019. Disponível em: < https://www.canalrural.com.br/sites-e-especiais/projeto-soja-brasil/10-portos-que-mais-embarcaram-soja-2019/>

REIS, M. de A. S.; Metodologia para o Cálculo dos Custos Logísticos Associados ao Fluxo de Mercadorias. Dissertação de Mestrado – FGV-EAESP, 2011.

RODRIGUES, Paulo Roberto Ambrosio. Introdução aos Sistemas de Transporte no Brasil e a Logística Internacional. São Paulo: Aduaneiras, 2002.

SELEME, Robson et al.. Alternatives for improving the Brazilian soybean logistics index based on the National Logistics and Transportation Plan (PNLT). CUSTOS E AGRONEGOCIO ON LINE, v. 13, n. 4, p. 190-210, 2017.

SISCOMEX. Sistema Integrado de Comércio Exterior, 2020. Disponível em: < http://www.siscomex.gov.br/>




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-154

Refbacks

  • There are currently no refbacks.