Métodos utilizados na Educação para o Trânsito no Município de Rio Verde – GO / Methods used in Traffic Education in the Municipality of Rio Verde – GO

Alexsandro Silva Mateus, Ayer Barsanulfo Franco, Max Miliano Costa, Jair Pereira de Melo Júnior, Marcelo Freire Guerra

Abstract


O presente estudo objetivo apontar a relevância das práticas educativas no trânsito como intuito de reduzir os acidentes no Município de Rio Verde – Goiás. Para o alcance do objetivo, realizou uma revisão de literatura associada a um estudo de caso com base em dados reais coletados quanto as principais práticas educacionais realizadas no município de Rio Verde. A coleta de dados foi realizada presencialmente pelos pesquisadores, visitando as dependências do órgão municipal de trânsito do município no caso a Agencia Municipal Mobilidade de Trânsito-AMT. Com os dados fornecidos pelo foi possível citar ações educativas realizadas ao longo do ano de 2013, que abrangeram diversas entidades, escolas (estaduais e municipais), empresas e hospitais, identificou-se que foram realizadas palestras, campanhas e abordagens. Considerando essas informações, buscou-se por dados mais atuais do município, onde  foi possível observar que houveram reduções do número de acidentes sem vítimas: 2016 = 3.965; 2017 = 2950 (redução de 25,6% com relação ao ano anterior); 2018 = 2419 (redução de 18% com relação ao ano anterior), com base nos dados apresentados, observa-se que a partir das ações aplicadas houve uma redução de 38,99% em apenas 3 anos, o que deve ser atribuído ainda aos investimentos em engenharia, fiscalização, e principalmente com educação do trânsito municipal que contribuem para amenizar os índices de acidentes. Foi possível concluir que ações educativas foram eficazes, levando em conta os dados e resultados apresentados, podendo assim, ser considerada essa como a melhor forma de prevenção de acidentes pois a mesma não penaliza financeiramente o infrator, ao contrário da fiscalização que é necessária, mas que gera um desconforto nesta relação educativa punitiva. Entretanto sugere-se uma parceria junto a Secretaria Municipal da Educação, afim de complementar a qualificação dos palestrantes quanto ao âmbito didático e pedagógico e também ainda ampliando o alcance dessas em diferentes etapas do Ensino em maior número de escolas.

Keywords


Práticas educativas, Trânsito, Redução acidentes.

References


CHIARATO, Dolores C.A. O parque temático do trânsito e a criação de estratégias para a construção do conhecimento. Florianópolis: UFSC, 2000.

CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO. Lei N.º 9.503 de 23 de setembro de 1997.

COUTO, Leandra Lúcia Moraes. Educação para o trânsito no ensino fundamental: contribuições da psicologia moral. Revista de Educação do IDEAU. v. 1, nº 24, julho – Dezembro/2016.

FRANZ, Cristine Maria; SEBERINO, José Roberto Vieira. A história do trânsito e sua evolução. Monografia apresentada ao Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, como requisito parcial para obtenção do certificado de Especialista em Gestão, Educação e Direito de Trânsito, Joinville, 2012.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2002.

MACEDO, G. M. de. Estudo das relações entre o nível de habilidade e direção segura, a irritabilidade e o cometimento de violações e erros do motorista e o seu possível envolvimento em acidentes de trânsito. 2004. Tese (Doutorado em Psicologia). Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARIN-LEON, Leticia et al. Tendência dos acidentes de trânsito em Campinas, São Paulo, Brasil: importância crescente dos motociclistas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 28, n. 1, p.39-51, jan. 2012. Disponível em:. Acesso em: 10/04/2016.

MARTINS, João Pedro. A Educação de Trânsito: campanhas educativas nas escolas. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2007.

OMS (Organização das Nações Unidas). Brasil é o país com maior número de mortes de trânsito por habitante da América do Sul. Disponível em:< https://nacoesunidas.org/oms-brasil-e-o-pais-com-maior-numero-de-mortes-de-transito-por- habitante-da-america-do-sul/>. Acesso em: 09/04/2016.

PINHEIRO, A. L. F. B.; PILEGGI, G. C. F.; GAUBEUR, I. Fortes, R. M. Educação para o trânsito e responsabilidade social. Anais do XXXIV COBENGE. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, Setembro de 2006. p. 189-202.

PONTES, Márcia. Qual o sentido das campanhas educativas de trânsito? 19 de setembro de 2017. Disponível em: https://portaldotransito.com.br/opiniao/educacao-de-transito/qual-o-sentido-das-campanhas-educativas-de-transito/. Acesso em 12 de março de 2019.

REBOUÇAS, Crispiniano Sampaio; MELOII, Andréa Silene Alves Ferreira; BISPO, Ângela Clemente. Educação para o trânsito no espaço escolar: é possível? V Colóquio Internacional “Educação e Contemporaneidade”. São Cristovão-SE, 21 a 23 de setembro de 2011.

REIS, Mirian Rizza Campos, Priscilla Soares; NÁPOLES, Ana Carolina Ramos; TEIXEIRA, André Costa; FERREIRA, Taciana Fernandes Araújo. Projeto blitz educativa – educação e conscientização no trânsito. EM EXTENSÃO, Uberlândia, v. 6, 2007

RODRIGUES, Karla Lúcia Costa; VASCONCELOS, Tatyane Nery. Resgate do papel do psicólogo e a implantação da educação para o trânsito. Artigo (Graduação em Psicologia). Faculdade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC. Bom Despacho – BA, 2011.

SILVA, Rosana Maria Matos; RODRIGUES, Tomás Daniel Menéndez; PEREIRA, Wilma Suely Batista Pereira Os acidentes de trânsito em Porto Velho: uma epidemia que afeta o desenvolvimento regional. G&DR, Taubaté – SP, v. 5, n. 2, p. 163-185, mai-ago/2009.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-142

Refbacks

  • There are currently no refbacks.