Poesia Afro-Brasileira feminina contemporânea / Contemporary Afro-Brazilian female poetry

Maristella Petti

Abstract


Este trabalho de pesquisa visa individuar uma linha de ação comum na produção poética de escritoras afro-brasileiras contemporâneas e atualmente ativas, com base no princípio de identidade-mas-não-identicidade. O movimento literário nasce como contraliteratura entre as décadas de 1970-1980, em resposta à opressão secular exercida pelo cânone instituído, ou seja, a literatura europeia e eurocêntrica. A poesia afro-brasileira feminina resulta num gênero literário tipicamente nacional, que se enquadra na intersecção entre a literatura afro-brasileira e a literatura de gênero, representando um dos métodos mais eficazes de resistência sociocultural da minoria pela qual é produzida.

 

 


Keywords


poesia, literatura afro-brasileira, literatura de gênero, cânone, eurocentrismo.

References


ALVES, Miriam. BrasilAfro autorrevelado: Literatura Brasileira contemporânea. Belo Horizonte: Nandyala, 2010.

BERND, Zilá. Introdução à literatura negra. São Paulo: Brasiliense, 1988.

CAMARGO, Oswaldo. O Negro Escrito. São Paulo: IMESP, 1987.

CARNEIRO, Sueli. Enegrecer o feminismo. Em Grupo Takano (org.). Racismos contemporâneos. Rio de Janeiro: Takano, 2003, pp. 49-58.

DAMASCENO, Benedita Gouveia. Poesia negra no modernismo brasileiro. Campinas: Pontes Editores, 1988.

DELEUZE, Gilles, GUATTARI, Félix. Kafka: por uma Literatura Menor. Rio de Janeiro: Imago, 1977.

DUARTE, Eduardo de Assis. “Por um conceito de literatura afro-brasileira”. In DUARTE, Eduardo de Assis, FONSECA, Maria Nazareth Soares (org.). Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011, vol. 4, pp. 375-403.

ESTANISLAU, Lídia Avelar. Feminino plural. In FONSECA, Maria Nazareth Soares (org.). 2000. Brasil Afro-brasileiro. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2000, pp. 211-228.

FUSINI, Nadia, GRAMAGLIA, Mariella. “Femminismo: tra denuncia e progettazione”. Introduzione a FUSINI, Nadia, GRAMAGLIA, Mariella (a cura di). La poesia femminista. Roma: Savelli Editore, 1974, pp. 7-31.

MATTOSO, Glauco. O que é poesia marginal. São Paulo: Brasiliense, 1981.

MOURA, Clóvis. Sociologia do negro brasileiro. São Paulo: Editora Ática, 1988.

NETO, Afonso Henrique (org.). Roteiro da poesia brasileira – anos 70. São Paulo: Global Editora, 2009.

PETTI, Maristella. La resistenza nella poesia nera femminile brasiliana contemporanea. Roma: Sensibili alle foglie, 2018.

PROENÇA FILHO, Domício. A trajetória do negro na literatura brasileira. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S01034014200400010 0017 (acesso em 15/10/2017).

QUILOMBHOJE (org.). «Cadernos negros». São Paulo: Quilombhoje, 1978.

SANTOS, José Benedito dos. A literatura afrodescendente de Maria Firmina dos Santos. In «Literartes», n. 5, 2016, pp. 184-208.

SOUZA, Taise Campos dos Santos Pinheiro. Poesia feminina subalterna negra: uma voz de resistência. In «Nau Literária», v. 9, n. 1, jan/jun 2013. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/NauLiteraria/article/view/43393 (acesso em 06/12/2017).

TOLEDO, Cecília. Gênero e classe. São Paulo: Sundermann, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-118

Refbacks

  • There are currently no refbacks.