Manejo homeopático no cultivo de arroz irrigado / Homeopathic management in irrigated rice crop

Rovier Verdi, Ricieri Verdi, Aline Nunes, Leonardo Felipe Faedo, Pedro Boff

Abstract


A contaminação dos recursos naturais por agrotóxicos é frequentemente associada ao cultivo de arroz irrigado, em especial às águas. Por outro lado, esse sistema representa 80% da produção mundial, o que requer das pesquisas à mitigação dos impactos negativos, sendo possível propor adequações e/ou substituições de manejo. O objetivo do trabalho foi avaliar o desempenho do arroz irrigado com a utilização da terapêutica homeopática. O estudo foi realizado em 7,5 ha de cultivo comercial em propriedade familiar no município de Pouso Redondo, SC. A área foi dividida em 3 subáreas de ±2,5 ha, as quais foram submetidas ao manejo fitossanitário com homeopatia, agrotóxicos ou sem manejo fitossanitário (testemunha). No final do ciclo do cultivo, foram coletadas 5 subamostras distribuídas ao acaso em cada área e avaliados os componentes de rendimento e produtividade. Os resultados foram submetidos à análise de variância pelo teste F e posterior comparação das médias pelo teste Tukey a 5%. O manejo com homeopatia e agrotóxico proporcionaram, respectivamente, 8,27 e 7,61 panículas por planta, diferindo do controle (6,47). A esterilidade de espiguetas diferiu entre os tratamentos, com valores de 13,22% para o manejo homeopático, 15,48% com manejo agroquímico e 17,51% sem tratamento/controle. O manejo homeopático incrementou o rendimento de grãos, com produtividade média de 8.906,47 kg ha-1, enquanto que o manejo com agrotóxicos (7710,88 kg ha-1) não diferiu da testemunha (6976,07 kg ha-1). A terapêutica homeopática melhora o desempenho das plantas de arroz irrigado e oferece uma excelente oportunidade para intensificação da produção sustentável e ecológica.


Keywords


Agroecologia, altas diluições dinamizadas, homeopatia.

References


ABASOLO-PACHECO, F. et al. Effect of homeopathic medicines in tomato plants (Solonum lycopersicum L.). Terra Latinoamericana, v. 38, n. 1, p. 219-233, 2020.

ALTMANN, R.; OLTRAMARI, A. C. A agricultura orgânica na região da Grande Florianópolis: indicadores de desenvolvimento. Florianópolis: Instituto Cepa/SC, 2004.

ANDRADE, F. M. C. de; CASALI, V. W. D. Homeopatia, agroecologia e sustentabilidade. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 6, n. 1, p. 49-56, 2011.

BOFF, P. Agricultura saudável: da prevenção de doenças, pragas e parasitas a terapêutica não residual. Lages: Epagri, 2008.

BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Instrução Normativa nº 17, de 18 de junho de 2014. Estabelece o regulamento técnico para os sistemas orgânicos de produção animal e vegetal. Diário Oficial da União, 2014.

CASALI, V. W. D.; ANDRADE, F. M. C.; CUPERTINO, M. do C. Homeopatia, agroecologia e sustentabilidade. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 6, n. 1, p. 49-56, 2011.

CONAB, Companhia Nacional de Abastecimento. Arroz – Análise Mensal. Organizador: Sérgio Roberto Gomes dos Santos Junior. – Brasília: CONAB, 2019. 10 p.

SILVA, M. M. da; DOMINGUES, S.; BONADIMAN, A. Avaliação de intoxicação por agrotóxicos e práticas de uso de trabalhadores rurais na Serra Catarinense. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 9, p. 15190-15204, 2019.

EBERHARDT, D. S. et al. Recomendações para a produção de arroz irrigado em Santa Catarina (Sistema Pré-Germinado). Florianópolis: Epagri, 83 p, 2012.

GARCÍA-BERNAL, M. et al. Response of common bean (Phaseolus vulgaris L.) Quivican variety to the application of homeopathic medicines. Terra Latinoamericana, v. 38, n. 1, p. 137-147, 2020.

GAVRILESCU, M. Fate of pesticides in the environment and its bioremediation. Engineering in life sciences, v. 5, n. 6, p. 497-526, 2005.

GIESEL, A.; BOFF, M. I. C.; BOFF, P. Terapias não residuais: altas diluições dinamizadas no manejo ecológico de saúvas Atta sexdens piriventris (Hymenoptera: Formicidade).SANTSCHI, 1919, (Hymenoptera: Formicidade). Cadernos de Agroecologia, v. 10, n. 3, p. 1-5, 2016.

GONÇALVES, P. A. de S.; BOFF, P.; NETO, J. V. Altas diluições no rendimento de rúcula, salsa e Gypsophila elegans. Revista Thema, v. 15, n. 2, p. 521-530, 2018.

KAVIRAJ, D. V. Homeopathy for Farm and Garden: The Homeopathic Treatment of Plants. Narayana Verlag, 2015.

MAHMOOD, I. et al. Effects of pesticides on environment. In: Plant, Soil and Microbes. Springer, Cham, p. 253-269, 2016.

MODOLON, T. A. et al. Homeopathic and high dilution preparations for pest management to tomato crop under organic production system. Horticultura Brasileira, v. 30, n. 1, p. 51-57, 2012.

MOSTAFALOU, S.; ABDOLLAHI, M. Pesticides: an update of human exposure and toxicity. Archives of Toxicology, v. 91, p. 549-599, 2017.

OLIVEIRA, J. S. B. et al. Activation of biochemical defense mechanisms in bean plants for homeopathic preparations. African Journal of Agricultural Research, v. 9, n. 11, p. 971-981, 2014.

PRASAD, R.; SHIVAY, Y. S.; KUMAR, D. Current status, challenges, and opportunities in rice production. In: Rice Production Worldwide. Springer, Cham, p. 1-32, 2017.

RISSATO, B. B. et al. Control of white mold in bean plants by homeopathic medicines. African Journal of Agricultural Research, v. 11, n. 24, p. 2174-2178, 2016.

SOCIEDADE SUL- BRASILEIRA DE ARROZ IRRIGADO (SOSBAI). Arroz Irrigado: Recomendações Técnicas da Pesquisa para o Sul do Brasil. 31. ed. Bento Gonçalves, 2016. 200p.

TEIXEIRA, M. Z.; CARNEIRO, S. M. T. P. G. Effects of homeopathic high dilutions on plants: literature review. Revista de Homeopatia, v. 80, n. 3-4, p. 104-120, 2017.

TICHAVSKÝ, R. Homeopatia para las plantas. Monterrey, Nuevo Leon: Fujimoto, Centro Universitário Comenius, 2009.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-110

Refbacks

  • There are currently no refbacks.