Desenvolvimento vegetativo inicial de girassol em função da adubação potássica e densidade populacional em clima tropical / Initial vegetative development of sunflower in function of potassium fertilization and population density in tropical climate

Joscimara Nunes da Fonseca, Thayla Rocha Aguirre, Celso Pereira de Oliveira, Willian Pereira do Nascimento, Vagner Vieira Gomes, Vanessa Ferreira Vilete, Emily Roberto Reis, Thayna Andressa da Silva

Abstract


O Girassol ( Helianthus annuus L.) é originário do continente norte-americano, pertence à família Asteraceae ou Compositae é uma dicotiledônea de cultivo anual. O girassol melhora as condições de fertilidade do solo, mas em contrapartida é uma cultura altamente exigente em boro e potássio. Outro fator importante e que deve ser levado em consideração é o arranjo espacial, já que o mesmo pode afetar características agronômicas da cultura. Objetivou-se com essa pesquisa avaliar se diferentes doses de adubação potássica em diferentes arranjos espaciais causam alguma influência nos caracteres vegetativos do girassol no seu desenvolvimento inicial. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial 4x2, sendo quatro doses de adubação potássica e dois tipos de densidade populacional. Para o plantio foi feito abertura de sulcos. As adubações de plantio e de cobertura foram feitas conforme a análise de solo e o manual de adubação 5º aproximação para nitrogênio e fósforo, e para o potássio foram conforme as doses estabelecidas para o experimento. O controle de plantas daninhas foi realizado através de capina manual, e não foi observada nenhuma praga que causasse dano a nível econômico. O experimento durou 38 dias, e as variáveis analisadas foram: a) altura das plantas; b) diâmetro do caule; c) área foliar. Houve diferença significativa (p<0,05) apenas para a variável de área foliar no fator densidade populacional. Sob as condições do presente estudo, a cultivar NUSOL 4170 CL PLUS obteve melhores índices de área foliar para a densidade populacional de 44.666 mil plantas por hectare. Para as variáveis avaliadas de altura de planta, área foliar e diâmetro de caule, não houve diferença significativa entre as doses de potássio utilizadas.

 


Keywords


Arranjo espacial, Asteraceae, cv. NUSOL 4170 CL PLUS.

References


ALI A., AHMAD A., KHALIQ T.; AKHTAR J. Planting density and nitrogen rates optimization for growth and yield of sunflower (helianthus annuus L.) hybrids. The Journal of Animal & Plant Sciences, v. 22, n.4, p.1070-1075, 2012.

ASHLEY, D. A.; DOSS, B. D.; VENNETT, O. L. A method of determining leaf area in cotton. Agronomy Journal, v. 55, n. 6, p. 584-585, 1963.

ARAÚJO, D. L.; MAIA JÚNIOR, S. O.; CHAVES, L. H. G.; OLIVEIRA, J. T. L.; GUERRA, H. L. C. Efeito da interação entre níveis de irrigação e doses de potássio no crescimento do girassol embrapa 122/ v2000. Congresso brasileiro de mamona, 5 ;Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, 2 & i fórum capixaba de pinhão manso, 2012, Guarapari. Desafios e Oportunidades: Anais... Campina grande: Embrapa Algodão, 2012. p. 84.

ALVES, G. et al. Cultivo do girassol sob diferentes espaçamentos entre linhas no semiárido paraibano. Journal of Biology & Pharmacy and Agricultural Management, v. 10, n. 3, 2014.

BERNARDI, A. C. C.; SOUZA, G. B.; OKA,S. H.; RASSINI, J. B. Equivalência de métodos na extração de potássio da parte aérea de alfafa e de capim tanzânia com água ou com solução ácida concentrada ou diluída. EMBRAPA pecuária, comunicado técnico, v, 86, 5p, 2008.

BEZERRA, F. T. C. Características produtivas e potencial fisiológico dos aquênios de girassol em função do arranjo espacial das plantas e do local de cultivo. 2013. 66 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia/Fitotecnia) - Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

BRAZ, M. R. S.; ROSSETTO, C. A. V. Crescimento de plantas de girassol em função do vigor de aquênios e da densidade de semeadura. Ciência Rural, Santa Maria, v. 39, n. 7, p. 1989-1996, out., 2009a.

CAMPOS, V. B.; CHAVES, L. H. G.; GUERRA, H. O. C. Adubação com NPK e irrigação do girassol em Luvissolo: Comportamento vegetativo. Revista Ambient. Água, Taubaté , v. 10, n. 1, p. 221-233, mar. 2015 . Disponível em: . Acessos em: 22 jul. 2020.

CASTIGLlONI, V. B. R; BALLA, A.; CASTRO, C. de; SILVEIRA, J. M.

Fases de desenvolvimento da planta de girassol. Londrina: EMBRAPA,

CNPSo, 1994. 24p. (EMBRAPA CNPSo. Documentos, 58).

CARVALHO, C. G. P. Adaptabilidade e estabilidade de genótipos de girassol resistentes a imidazolinonas em cultivos de segunda safra. Revista Brasileira de Ciências Agrárias. Recife, v. 10, n. 1, p. 1-7, 2015.

CASTILHOS, R. M. & MEURER, E. J. Cinética de liberação de potássio em Planossolo do Estado do Rio Grande do Sul. Ciência Rural, 32: p. 979-983, 2001.

CASTILHOS, R. M. & MEURER, E. J. Suprimento de potássio de solos do Rio Grande do Sul para arroz irrigado por alagamento. R. Bras. Ci. Solo, 26:977-982, 2002.

CASTILHOS, R. M.; MEURER, E.J.; KAMPF, N. & PINTO, L.F.S. Mineralogia e fontes de potássio em solos no Rio Grande do Sul cultivados com arroz irrigado. R. Bras. Ci. Solo, 26:191-199, 2002.

CASTRO, C.; OLIVEIRA, F. A.; MOREIRA, A.; SALINET, L. S.; VERONESI, C. O. Rochas Brasileiras Como Fonte Alternativa de Potássio Para a Cultura do Girassol. Espaço & Geografia, v.9, p.179-193, 2006.

CASTRO, C; OLIVEIRA, F. A. Nutrição e adubação do girassol. In: LEITE, R. M. V.; BRIGHENTI, B. de C.; CASTRO, A. M. (Ed.). Girassol no Brasil. Londrina: Embrapa Soja, 2005. p. 317-373.

COX, W. J.; JOLLIFF, G. D. Growth and yield of sunflower and soybean under soil water deficits. Agronomy Journal, v.78, p.226-230, 1986.

COX, W. J.; JOLLIFF, G. D. Crop water relations of sunflower and soybean under irrigated and dryland conditions. Crop Science, v.27, p.553-557, 1987.

FERREIRA, D.F. (2011). Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia (UFLA), v. 35, n.6, p. 1039-1042. Disponível em: . Acesso em: 26 agos. 2020.

FEITOSA, H. O.; FARIAS, G. C.; SILVA JUNIOR, R. J. C.; FERREIRA, F. J.; ANDRADE FILHO, F. L.; LACERDA, C. F. Influência da adubação borácica e potássica no desempenho do girassol. Comunicata Scientiae, v. 4, p. 302-307, 2013.

NUSEED. Girassol Nusol 4170 CL Plus. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2020.

LEITE, R. M. V. B. C.; BRIGHENTI, A.M.; CASTRO, C. de. (Ed.). Girassol no Brasil. Londrina: Embrapa Soja, 2005. 641p.

MONTEIRO, J. E. B. A.; SENTELHA, P. C.; CHIAVEGATO, E. J.; GUISELINI, C.; SANTIAGO, A. V.; PRELA, A. Estimação da área foliar do algodoeiro por meio de dimensões e massa das folhas. Bragantia, Campinas, v. 64, n. 1, p.15-24, 2005.

PORTO, W. S.; CARVALHO, C. G. P.; PINTO, R. J. B. Adaptabilidade e estabilidade como critérios para seleção de genótipos de girassol. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 42, p. 491-499, 2007.

QUAGGIO, J. A.; UNGARO, M. R. G. Girassol. IN: RAIJ, B. VAN; CANTARELLA, H.; QUAGGIO, J. A.; FURLANI, A. M. C. (Eds.). Recomendações de adubação e calagem para o Estado de São Paulo. Campinas: IAC, 1997. 198p.

QUEIROGA, F. M. 2011. Resposta da cultura do girassol a doses de potássio, magnésio, boro, zinco, cobre e a fontes de nitrogênio. 69f. (Dissertação mestrado) - Universidade Federal Rural do Semiárido, Mossoró, Brasil.

RASOOL, K.; WAJID, A.; SANAULLAH; GHAFFAR, A.; SHOAIB, M.; ARSHAD, M.; ABBAS, S. Optimizing nitrogen rate and planting density for sunflower under irrigated conditions of Punjab. SAARC J. Agri., v.13, n.1, p.174-187, 2015.

RIBEIRO, A.C; GUIMARÃES, P.T. G; ALVAREZ; V.H. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais - Manual 5° aproximação. SBCS. 1°edição. Viçosa. 1999. 359p.

ROUPHAEL, Y. et al. Leaf area estimation of sunflower leaves from simple linear measurements. Photosynthetica, v.45, n.2, p.306-308, 2007.

SEDAM. (2014). Acervo Técnico. Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental. Disponível em: .

SILVA, A. G.; et al. Efeitos do espaçamento entre linhas nos caracteres agronômicos de três híbridos de girassol cultivados na safrinha. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 39, n. 2, p. 105-110, 2009b.

SILVA, A. G. et al. Desempenho de híbridos de girassol em espaçamentos reduzidos. Semina: Ciências Agrárias, v. 30, n. 1, p. 31-38, 2009a.

SILVA, S. S.; WANDERLEY, J. A. C.; BEZERRA, J. M.; CHAVES, L. H. G.; SILVA, A. A. R. Crescimento do girassol com níveis de reposição hídrica e adubação potássica. Revista ACSA – Agropecuária Científica no Semi-Árido, v.10, n.2, p 104-110, 2014.

SOUSA, J. R. M.; SOARES, L. A. dos A.; SOUSA JÚNIOR, J.R.; MAIA, P. de M. E.;

FURTADO, G. de F.; MARACAJÁ, P. B. Germinação de sementes de girassol cv. BRS

umedecidas com solução salina. Agropecuária Científica no Semiárido, v. 8, n. 1, p.

-60, 2012.

TAIZ, L.; ZEIGER, E.; MOLLER, I.; MURPHY, A. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. 6.ed. Porto Alegre: Artmed, 2017. 888 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-083

Refbacks

  • There are currently no refbacks.