Plantas Alimentícias Não Convencionais presentes em Feiras Agroecológicas em Recife: Potencial Alimentício / Unconventional Food Plants present at Agroecological Fairs in Recife: Alimentary Potential

Maria do Rosário de Fátima Padilha, Vitoria Brenda do Nascimento Souza, Neide Kazue Sakugawa Shinohara, Rejane Magalhães de Mendonça Pimentel

Abstract


: Plantas Alimentícias Não Convencionais consideradas “matos”, ervas daninhas, frutas exóticas que deixaram de ser consumidas pela população, entre outras definições fazem parte da diversidade de plantas do nosso país. Elas podem crescer em plantios de cultivo convencional, entretanto apesar do valor ecológico a maioria destas plantas também pode ser classificada como plantas alimentícias. Podem se apresentar em forma de tubérculos, raízes, rizomas, folhas, talos, cormos, flores, frutos e sementes. No estado de Pernambuco existem feiras agroecológicas que comercializam produtos orgânicos e algumas destas plantas. O estudo objetivou realizar uma catalogação de Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) comercializadas em feiras agroecológicas localizadas em grandes centros urbanos. Foram realizadas visitações a quatro principais feiras agroecológicas e as plantas coletadas foram submetidas a classificação e análise da sua composição centesimal. A composição centesimal destas plantas apresentou um valioso conteúdo nutricional. Portanto, foi constatada uma variedade de PANC comercializadas nas feiras agroecológicas que foram classificadas e analisadas em seu conteúdo nutricional, o que auxilia na difusão de novos produtos para a mesa do consumidor, além de reconhecer o trabalho dos agricultores familiares que trabalha com este tipo de planta.


References


ARAUJO, W. M. C.; MONTEBELLO, N. P.; BOTELLO, R. B. A.; BORGO, L. A. Alquimia dos Alimentos. Brasília: Editora SENAC – DF, 2009.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Manual de hortaliças não-convencionais / Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo. Brasília: Mapa/ACS, 2010.

BRESSAN, R. A. et al. Stress-adapted extremophiles provide energy without interference with food production. Food Security, v. 3, n. 1, p. 93-105, 2011.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. Iniciativas agroecológicas em Pernambuco serão catalogadas. Publicado em 10.09.2019. Disponível em: https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/vidaurbana/2019/09/iniciativas-agroecologicas-em-pernambuco-serao-catalogadas.html>. Acesso em: 20.01.2020.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA, CENTRO NACIONAL PESQUISA DE HORTALIÇAS. A cultura da batata-doce. Brasília: EMBRAPA-SPI, 1995. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/162018/1/A-cultura-da-batata-doce.pdf>. Acesso em: 03.03.2020.

EMBRAPA. Série Plantas Medicinais, Condimentares e Aromáticas. EMBRAPA: Minas Gerais, 2007. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/786582/1/FOL105.pdf>. Acesso em: 09.03.2020.

EMBRAPA. Agricultura orgânica e agroecologia: questões conceituais e processo de conversão. Seropédica: Embrapa Agrobiologia, Documentos, 196, 2005. 35 p.

FRANCO, G. Tabela de Composição Química dos alimentos. São Paulo: Editora Atheneu, 2008.

FUHR, R. Levantamento de plantas alimentícias não convencionais (PANC) no município de Pato Branco-PR. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. 2016.

GRANDELLE, R. Frutas da Mata Atlântica não chegam à mesa dos brasileiros. Revista Amanhã. Ciência. Jornal O GLOBO. 2014.

KINUPP, V. F.; BARROS, I. B. I. Plantas alimentícias não-convencionais da região metropolitana de Porto Alegre. RS. 2007.

KINUPP, V. F.; BARROS, I. B. I. D. Teores de proteína e minerais de espécies nativas, potenciais hortaliças e frutas. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 28, n. 4, p. 846-57, 2008.

KINUPP, V. F.; LORENZI, H. Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2014.

LARA, M.C.B.; MAYNARD, D.C.; VILELA, J.S.; SILVA, M.C.; LIMA, C.M.A.M. Elaboração, aceitabilidade e avaliação da composição nutricional de uma receita de bolinho de taioba, uma panc (planta alimentícia não convencional). Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 5, n. 11, p.24099-24109 nov. 2019.

LIMA, C. C. K. Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) nas Feiras Agroecológicas da Região Metropolitana de Recife, PE. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de Pernambuco. Centro de Biociências Ciências Biológicas com Ênfase em Ambientais, 2018.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Estado de Minas Gerais Serviço de Política e Desenvolvimento Agropecuário – SPDAG/DT/SFA-MG. 2010.

MOREIRA, R. M.; CARMO, J. D. S. do. Agroecologia na construção do desenvolvimento rural sustentável. Agricultura, v. 51, n. 2, p. 37-56, 2004.

PASTORE, M.; SIMÃO-BIANCHINI, R. 2017. Sinopse do gênero Jacquemontia Choisy (Convolvulaceae) no Estado de São Paulo, Brasil: notas nomenclaturais, taxonômicas e geográficas. Hoehnea, v. 44, n. 4, p. 611-634.

PILLA, M. A. C.; AMOROZO, M. O conhecimento sobre os recursos vegetais alimentares em bairros rurais no Vale do Paraíba. SP, Brasil. Acta Botânica Brasílica, v. 23, n. 4, p. 1190-1201, 2009.

POLESI, R. G. et al. Agrobiodiversidade e Segurança Alimentar no Vale do Taquari, RS: Plantas Alimentícias não Convencionais e Frutas Nativas. Revista Científica Rural, v. 19, n. 2, p. 118-135, 2017.

PROENÇA, I. C. L. et al. Plantas Alimentícias Não Convencionais (Panc’s): Relato de experiência em Horta Urbana Comunitária em Município do Sul de Minas Gerais. Revista Extensão em Foco. N. 17, p. 133-148, 2018.

RECIFE PREFEITURA DA CIDADE. Feiras e Pontos agroecológicos. Disponível em: . Acesso em: 11.02.2020.

SAMBUICHI, H. R. et al. A política nacional de agroecologia e produção orgânica no Brasil: uma trajetória de luta pelo desenvolvimento rural sustentável. Brasília: Ipea, 2017.

SILVA, D. A. O perfil do consumidor da feira de transição agroecológica do bairro Valentina Figueiredo, na cidade de João Pessoa (PB). Revista Espaço Acadêmico, v. 9, n. 107, p. 124-128, 2010.

SILVA, A. P. G; BORGES, C. D.; MIGUEL, A. C.; JACOMINO, A. P.; MENDONÇA, C. R. B. Características físico-químicas de cebolinhas comum e europeia. Brazilian Journal of Food Technology. Campinas, v. 18, n. 4, 2015.

TACO. Tabela brasileira de composição de alimentos / NEPA – UNICAMP. 4. ed. rev. e ampl. - Campinas: TACO-UNICAMP, 2011. 164 p.

TROVATTO, C. M. M. et al. A Construção da política nacional de agroecologia e produção orgânica: um olhar sobre a gestão do primeiro Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica. 2017.

WUERGES, E. W.; SIMON, A. A. Feiras-Livres como uma forma de popularizar a produção e o consumo de hortifrutigranjeiros produzidos com base na agroecologia. Cadernos de Agroecologia, v. 2, n. 2, 2007.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-069

Refbacks

  • There are currently no refbacks.