Identificação dos arranjos produtivos locais (APLs) de Gemas e joias no Brasil: subsídios do desenvolvimento e comercialização / Identification of local productive arrangements (APLs) of Gems and Jewelry in Brazil: development and marketing subsidies

Linardy de Moura Sousa, Pedro Luiz de Oliveira Costa Neto, Samuel Campelo Dias

Abstract


O Brasil é reconhecido por sua riqueza mineral, tanto em termos quantitativos quanto pela diversidade de produtos. Na exploração da atividade mineral brasileira, apesar de inúmeras críticas quanto à sua forma predatória, foi determinante para o desenvolvimento de algumas regiões. Gemas e Joias integram o conjunto de APLs de Base Mineral que representam um valioso instrumento estratégico de articulação e integração de políticas de apoio ao desenvolvimento regional e local da mineração em pequena e média escala. O presente artigo tem como objetivo apresentar a importância do setor de Gemas e Joais no Brasil, e identificar a quantidade de APL de gemas e joias que foram criadas ao longo dos anos. Quanto ao método e delineamento, a pesquisa é classificada como qualitativa, e quanto ao tipo de pesquisa, pode ser classificada como exploratória. Neste sentido, este estudo iniciou‐se com a pesquisa bibliográfica, por meio dos conceitos e categorias presentes em artigos, livros, bases de dados da REDE DE APL MINERAL e do Observatório Brasileiro de APL (OBAPL). Entre os resultados da pesquisa, pode-se destacar que é notório que os Setores de Gemas, bem como o Setor Mineral como um todo, carecem de maiores iniciativas, tanto dos agentes particulares, quanto dos públicos, tendo, portanto, espaços promissores de mercado para as pequenas, médias e grandes empresas, além de iniciativas individuais. E que apesar da falta de precisão de dados na identificação dos APL´s de gemas e joias observou-se que a quantidade vem crescendo a cada ano, na qual foram identificados 27 APLs de gemas, na qual a região sudeste se destaca com maior quantidade, além de maior produção juntamente com o Nordeste.


Keywords


joias, gemas, APL´s de gemas.

References


ANDRADE,J.B.O. Aglomeração Produtiva de Jóias e Acessórios de Pernambuco: vantagens competitivas e dinamismo do setor. Dissertação de Mestrado Profissionalizante do Programa de Pós Graduação em Engenharia da Produção da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, RECIFE, AGOSTO 2010.

ANDRADE, J.B.O. VIABILIDADE DE INSERÇÃO COMPETITIVA DO SETOR DE JÓIAS DE PERNAMBUCO NO COMERCIO EXTERIOR. Dissertação de mestrado profissional em economia da UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO – UFPE. RECIFE, 2006.

Anuário Comércio Exterior, 2006: São Paulo, Brasil, Análise Editorial, 253 p

Barbosa, V.B.; Sobrinho, M. V. Governança e desenvolvimento territorial: a cadeia produtiva de gemas no estado do Pará. X Colóquio Organizações, Desenvolvimento e Sustentabilidade – CODS 2019. Belém/PA, 2019.

Barreto, S.B.; Bittar, S.M.B. The gemstone deposits of Brazil: occurrences, production and economic impact. Boletín de la Sociedad Geológica Mexicana Volumen 62, núm. 1, 2010, p. 123-140.

BARROS, A. J. S.; LEHFELD, N. A. S. Fundamentos da Metodologia Científica. 3. ed. Pearson Education, 2007.

Batist, Vanessa de Souza. Políticas para aglomerados produtivos: Uma análise do Arranjo Produtivo Local de Gemas e Joias do estado do Rio Grande do Sul. Dissertação de mestrado, pelo Programa de Pós-graduação em Economia da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. São Leopoldo, 2009.

Belém,J.F; Lima,J.E.C; Alves, M.B; Tavares, F.R.M; Sous, J.C. Análise da Competitividade dos Clusters no Setor de Joias e Folheados sob a ótica do Modelo Diamante de Competitividade de Porter. CAP.07. Gestão da Produção em Foco - Volume 41/

Organização Editora Poisson – Belo Horizonte - MG: Poisson, 2020.

Cabral Junior, Marsis. Caracterização dos arranjos produtivos locais (APLs) de base

mineral no Estado de São Paulo : subsídios à mineração paulista. Tese (doutorado) Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências. Campinas, SP.: [s.n.], 2008.

CABRAL JUNIOR, M.; OBATA, O. R.; SINTONI, A. (Coord.). Minerais industriais:

orientação para regularização e implantação de empreendimentos. São Paulo: IPT,

88 p.

Canaan, R.P.Teixeira, M.B. Possibilidades de Contribuição do Design em Arranjos Produtivos Locais: um estudo de caso no setor de gemas e joias. Blucher Design Proceedings. Novembro de 2014, Número 4, Volume 1. Gramado, RS.

COLLINS, Jill; HUSSEY, Roger. Pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

DUARTE, G. A. A TRANSFERÊNCIA DA INFORMAÇÃO EM ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS DE GEMAS E JOIAS. Dissertação- Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília - UNB. Brasília, 2011.

ENRÍQUEZ, M.A. 2011. A mineração as grandes minas e as dimensões da sustentabilidade. In: F.R.C. FERNANDES; M.A. ENRÍQUEZ; R.C.J. ALAMINO, Recursos minerais e sustentabilidade territorial.

Rio de Janeiro, CETEM/MCDI, p. 1-17.

GODOY, A.S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. RAE – Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

IBGM - Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos – O Setor em Grandes

Números. Brasília, 2010. Disponível em http://www.ibgm.com.br. Acesso em

dezembro de 2019.

IBGM - Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos – O Setor em Grandes Números 2018: Gemas, Joias e Metais Preciosos. Brasília, 2019. Disponível em https://ibgm.com.br/publicacao/publicacao-o-setor-em-grandes-numeros-2018/ Acesso em junho de 2020.

IBGM. Manual Técnico de Gemas / IBGM, DNPM. – 3. ed. rev. e atual. / Consultoria,

Supervisão e revisão técnica desta edição, Jane Leão N. da Gama. -- Brasília, 2005.

LEITE, Rogério Viana – Plano de Desenvolvimento Preliminar do APL de Gemas e Joias do Distrito Federal. (2007). Disponível em http://www.mdic.gov.br. Acesso em janeiro de 2020.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA – MME. Relatório Técnico 56: Perfil de Gemas (Diamante e Gemas de Cor). SECRETARIA DE GEOLOGIA, MINERAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO MINERAL-SGM. PROJETO DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA AO SETOR DE ENERGIA. Agosto de 2009

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA – MME. Relatório 5 : Relatório do Inventário da Mineração em Pequena Escala das Gemas Diagnóstico Socioeconômico e Ambiental da Mineração em Pequena Escala no Brasil (MPE). São Paulo, março de 2018.

OBAPL – OBSERVATÓRIO BRASILEIRO DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS. Quem são as APLS Brasileiras!? Publicado em: 18 março. 2020. Disponível em: http://www.observatorioapl.gov.br/apls/#results. Acesso em: 10 julho 2020

PERSPECTIVA MINERAL. No. 01, ano 01, 2011.Disponível em: < http://www.mme.gov.br/mme> Acesso em: 14/02/2019.

REDE APL MINERAL. Rede Brasileira de Informação de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral. Banco de APLs. 2016. Disponível em: . Acesso em: março de 2019.

Revista Exame. Rio e Bahia se unem para produzir joias e bijuterias com esmeraldas. 29 jun 2018. Disponível em: https://exame.com/negocios/dino_old/rio-e-bahia-se-unem-para-produzir-joias-e-bijuterias-com-esmeraldas/. Acesso em: julho de 2020.

Ribeiro, Hilton Manoel Dias. Caracterização do setor de gemas, jóias e metais preciosos no Brasil : perspectivas para inovação e desenvolvimento setorial / Hilton

Manoel Dias Ribeiro. – Brasília: SENAI.DN, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-050

Refbacks

  • There are currently no refbacks.