O professor regente e o professor de apoio em sala de aula inclusiva / Regent teacher and support teacher in inclusive classroom

Francimar Batista Silva, Maria Cândida Alves Gedro Endres, Marili Terezinha Sangalli

Abstract


 Este trabalho objetiva ressaltar a importância do professor de educação especial trabalhando em parceria com o professor regente, para viabilizar maneiras que auxilie o aluno com TEA no processo ensino aprendizagem. Esse artigo é de cunho bibliográfico tendo como os autores principais Amiralian (1986), Mazzotta (2001) e Werneck (2003). Quando o tema é a metodologia pedagógica para aluno com deficiência incluído em sala de aula regular. Ao tratarmos de metodologias para alunos com deficiência é salutar considerar de onde vêm as dificuldades sociais e pedagógicas, frente a parceria de uma professora regente com a professora de educação especial. Uma análise a ser feita vem de encontro com que professor de apoio/educação especial e professor regente devem partir da mesma perspectiva de acordo com a realidade da criança. Entretanto, para que essas mudanças ocorram significativamente faz-se necessário uma verdadeira tomada de decisão por meio de ações conjuntas no ambiente escolar. Conclui-se com este trabalho que a educação inclusiva, apesar de encontrar sérias resistências por parte de muitos, constitui, uma proposta que objetiva resgatar valores sociais voltados para a igualdade de direitos e de oportunidades para todos com intuito de formalizar uma educação de qualidade.


Keywords


Educação Especial, Educação Inclusiva, Professor de apoio, Práticas Pedagógicas, Autismo.

References


AMIRALIAN, Maria Lúcia T. M. Psicologia do excepcional. In: Temas Básicos de Psicologia. São Paulo: EPU, 1986

BRASIL. Congresso. Senado. Estatuto da Pessoa com Deficiência. Lei n. 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso:11 mar. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial-Secretaria de Educação Básica. Parâmetros curriculares nacionais: adaptações curriculares. Brasília, 1998.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988, 292 p. Disponível em: Acesso em 05 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, 20 de dez. de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF. Disponível em: Acesso em 05 jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva, de 07 de janeiro de 2008. 2008, p. 14-20.

EDLER, Rosita Carvalho. Removendo barreiras para a aprendizagem: educação inclusiva. Porto Alegre: Mediação, 2001.

MAZZOTTA. Marcos J.S. Educação especial no Brasil: histórias de políticas públicas. São Paulo: Cortez, 2001.

NERES, Celi Corrêa; FRANCO, Lucimar de Lima. O professor regente e o auxiliar pedagógico especializado; suas (re) ações diante do estudante com deficiência. Revista Educação e Políticas em Debate - v. 5, n.2, p. 225-240, ago./dez. 2016 – ISSN 2238-3846.

SANGALLI, Marili Terezinha. Los Desafíos de la Sala de Recursos de Enriquecimiento Curricular / Altas Habilidades / Superdotación / Enseñanza Regular en el Municipio de Campo Grande-MS. Dissertação Mestrado. Universidad Leonardo da Vinci, Facultad de Posgrado Y Extension Universitaria, Asunción-Paraguay, julho 2019.152f.

SILVA, Brígida Karina Liechocki Nogueira. Inclusão escolar de uma criança com Síndrome de Down. IX Congresso Nacional de Educação, EDUCARE III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. PUCOR, 2009.

SILVA, Francimar Batista. A licenciatura Letras Libras: modalidade educação a distância da Universidade Federal da Grande Dourados. (UFGD) (2013-2017). Dissertação (mestrado em Educação) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS: 2019. 122 f. Disponível em: https://site.ucdb.br//public/md-dissertacoes/1033083-francmar-batista-silva.pdf. Acesso em 11 mai. 2020.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. 1896-1934. A Formação Social da Mente: O Desenvolvimento dos Processos Psicológicos Superiores. 7ª. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

WERNECK, Claudia. Você é gente. Rio De janeiro: WVA, 2003. 203 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-031

Refbacks

  • There are currently no refbacks.