Caracterização da assistência técnica prestada em unidades produtoras de alevinos na mesorregião Sudeste do Pará / Characterization of technical assistance provided in alevine producing units in the southeast Mesoregion of Pará

Natalia Bianca Caires Medeiros, Marcela Cristina Flexa do Amaral, Geciele Santos Cruz, Leandro De Lima Sousa, Jeremias Silva Dos Santos, Romero Kadran Rodrigues Vieira, Igor Guerreiro Hamoy, Marília Danyelle Nunes Rodrigues

Abstract


Dentre os entraves pertinentes à piscicultura paraense, a falta de conhecimento técnico apresenta-se como um dos mais agravantes, visto que resulta em manejo e instalações inadequadas, tanto do ponto de vista produtivo, quanto do ambiental. O objetivo deste estudo foi caracterizar o perfil da assistência técnica prestada em unidades produtoras de alevinos, na Mesorregião Sudeste do Estado do Pará. Os dados foram obtidos através de entrevistas aos produtores no período de setembro a outubro de 2016, visando levantar dados referentes à assistência técnica ofertada aos empreendimentos durante a safra 2015/2016. Dentre as propriedades, 33% estão localizadas no Município de Tucumã, e os 67% restantes dividem-se entre os Municípios de Breu Branco, Parauapebas, Marabá e Xinguara, totalizando seis propriedades na região. Ao serem questionados quanto a utilização de assistência técnica em suas propriedades, cerca de 50% dos produtores de alevinos afirmaram ter acesso aos serviços, enquanto que 33,33% não o utilizam e 16,67% utilizam apenas em casos excepcionais, ou seja, raramente. Sobre a formação técnica dos profissionais que os atendem, apenas 50% dos entrevistados souberam afirmá-las, enquanto que os restantes alegaram não ter certeza ou ainda, que tal informação seria irrelevante. Quanto às entidades que prestam serviços de assistência técnica, 33% dos produtores afirmaram adquiri-la por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER), 50% declararam que, a mesma ocorre por meio de empresas de consultoria ou técnicos autônomos, e 17% através da prefeitura de seu Município, que neste caso é ofertada pela Secretaria de Produção Rural (SEMPROR). De maneira geral, 100% dos produtores asseguraram estar satisfeitos com a piscicultura no Estado, além de possuir planos de ampliação de seus empreendimentos para os próximos anos. Quanto à satisfação referente à oferta e qualidade dos serviços de assistência técnica prestados, este ainda é considerado um gargalo na produção de alevinos, o que pode ser confirmado por meio da listagem das principais dificuldades enfrentadas pelos larvicultores, com destaque para a assistência técnica e aquisição de insumos, principalmente de ração (66,7%); estando os restantes segmentados entre parcerias com entidades governamentais e privados, oferta de subsídios e qualidade de água. A partir do contexto, foi possível verificar que as unidades produtoras de alevinos visitadas encontram-se carentes de informações técnicas, mesmo que sejam oferecidos serviços de assistência técnica, a qual ainda é incipiente e não especializada, visto que se trata de um fator fundamental para a evolução dos empreendimentos no sistema, ao passo em que a cadeia produtiva de peixes tropicais tem sido encarada como um importante elo para o desenvolvimento da piscicultura na região, onde possíveis ajustes nos campos de gestão e planejamento, aliado ao suporte técnico, poderiam garantir a sustentabilidade da produção.

 

 


Keywords


Instalação, Larvicultura, Manejo, Piscicultura.

References


AMARAL, M.C.F. Perfil da piscicultura na região de Parauapebas- PA. 2017. Monografia (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal Rural da Amazônia, Parauapebas, PA, 2017.

AMARAL, M.C.F.; CAIRES, N.B.C.; RODRIGUES, M.; SOUSA, L. L.; JESUS, E. C.; HAMOY, I. H.; NUNES-RODRIGUES, M. D. Management and technological practices in Amazonian fish farms: A case study in the Southeast of Pará. Aquaculture, 507:183–189, 2019.

CASTELLANI, D.; BARRELLA, W. Caracterização da piscicultura na região do Vale do Ribeira - SP. Ciência agrotec. vol.29 no.1, Lavras, 2005.

FRANÇA, I.; PIMENTA, P.P.P. A viabilidade da piscicultura para o pequeno produtor de Dourados. Comunicação & Mercado-UNIGRAN - Dourados - MS, v. 01, n. 01, p. 36-51, 2012.

GUERREIRO, L. R. J.; RODRIGUES, M. D. N.; MOREIRA, H. L. M.; STREIT JR, D. P. Characterization of unit producing fingerlings of Rio Grande of South, Brazil. International Journal of Development Research, v. 5, n. 6, p. 4720-4724, 2015.

OLIVEIRA, D. de P. R. Planejamento estratégico: conceitos, metodologia e práticas. São Paulo: Atlas, 2006. 303p.

ONO, E.A. A produção de pirarucu no Brasil: uma visão geral. Panorama da aquicultura, 21(123): 40-452, 2011.

PRATES, M.F.M. Produção de peixes nativos no município de Sorriso-MT. 2016. 43f. Monografia, (Zootecnia) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, MT.

SANTOS, M.A.G.; LIMA, I.S.; LEÃO, R.S.C. A formação do extensionista rural: desafios no ensino técnico profissional em Pernambuco. Extensão Rural, DEAR – CCR – UFSM, Santa Maria, v. 23, n. 01. p. 7-25, 2016

SEBRAE. 2010. Manual de boas práticas de produção e cultivo do Pirarucu em cativeiro. Disponível em: Acesso em 18 ago. 2016.

TROMBETA, T. D.; SILVA, W. ZARZAR, C. A.; REIS, B. P. Caracterização produtiva e análise do ambiente institucional da piscicultura em Monte Alegre –Pará. Brazilian Journal of Development. Vol. 6 (2):5473-5497, 2020




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-019

Refbacks

  • There are currently no refbacks.