Os aplicativos cívico sociais para apoiar políticas públicas em saúde / Civic social applications to support public policies on health

Eduardo Amadeu Dutra Moresi, Michel Carmo Lopes, Maurício Pereira Borges Júnior, Marcos Augusto Alves Tito de Morais, Mário de Oliveira Braga Filho, Jair Alves Barbosa

Abstract


A discussão com ênfase no controle social se expressa em novas diretrizes para a efetivação deste por meio de instrumentos normativos e da criação legal de espaços institucionais que garantam a participação da sociedade civil organizada na fiscalização direta do executivo nas três esferas de governo. A participação social para o fortalecimento da Saúde Pública no Brasil passou por processos complexos de mudanças, que resultaram em um sistema de controle social cada vez mais qualificado, deliberativo, independente e representativo. Contudo, os formuladores de políticas públicas precisam identificar as novas tecnologias e analisar cuidadosamente o seu potencial, antes que elas comecem a exercer seus poderes de ruptura na economia e na sociedade. A mobilidade e a conectividade ilimitada merecem especial atenção do poder público pela capacidade de realizar a inclusão digital do cidadão por meio dos smartphones. Isso impõe uma transformação da estrutura de governo em uma plataforma que se fundamenta no tripé transparência, participação e colaboração, que se apoia na Internet, nas redes sociais e na conectividade.


Keywords


participação social; políticas públicas em saúde; dispositivos móveis; aplicativos cívico sociais.

References


Albano, Cláudio Sonaglio (2014).Dados governamentais abertos: proposta de um modelo de produção e utilização de informações sob a ótica conceitual da cadeia de valor. São Paulo: Universidade de São Paulo.

Arantes, Cássia Irene Spinelli; Mesquita, Camila Campos; Machado, Maria Lúcia Teixeira; Ogata, Márcia Niituma. (2007). O controle social no Sistema Único de Saúde: concepções e ações de enfermeiras da atenção básica. Texto & Contexto Enfermagem, v. 16, n. 3, p. 470-478.

Bimber, Bruce. (2000). The Study of Information Technology and Civic Engagement. Political Communication, v. 17, n. 4, p. 329–333.

Brasil. (1990a)Lei nr 8.142, de 18/12/1990: dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília: Congresso Nacional.

Brasil. (1990b).Lei nr 8.080, de 19/09/1990: dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Brasília: Congresso Nacional.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. (2009).Política Nacional de Gestão Estratégica e Participativa no SUS– ParticipaSUS. 2. ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde.

Brasil. (2011).Decreto n.° 7.508, de 28/6/2011: Regulamenta a Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá outras providências. Brasília; Presidência da República.

Brasil.Ministério da Saúde. (2011a).Carta dos direitos dos usuários da saúde. 3. ed. Brasília : Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. (2011b).Plano Nacional de Saúde – PNS: 2012-2015. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Subsecretaria de Planejamento e Orçamento. Brasília: Ministério da Saúde, 2011b.

Brasil. (2011c).Lei Nº 12.527, DE 18 de novembro de 2011: Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei no 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei no 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Brasília: Presidência da República.

Brasil. Ministério da Saúde. (2012).Rede Cegonha. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/ape_redecegonha.php. Acesso em:15-06-2016.

Brasil. Ministério da Saúde. (2014).Para entender o Controle Social na Saúde. Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. (2014a).Manual de Normas e Procedimentos para Vacinação. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. (2014b). Caderneta da Gestante. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde. (2016).Calendário Nacional de Vacina. Disponível em:http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/197-secretaria-svs/13600-calendario-nacional-de-vacinacao. Acesso em: 24-05-2016.

Brito, Kellyton dos Santos; Costa, Marcos Antônio da Silva; Garcia, Vinicius Cardoso; Meira, Silvio Romero de Lemos. (2015). Is Brazilian Open Government Data Actually Open Data?: An Analysis of the Current Scenario. International Journal of E-Planning Research, v. 4, n. 2, p. 57–73.

Carvalho, André Luís Bonifácio de; Sousa, Antônio Alves de; Santana, Maria Natividade Gomes de; Freitas, Zenite da Graça Bogéa; Oliveira, Isabel dos Reis Silva. (2009). Programa de Inclusão Digital - PID: o uso da informação como estratégia para o fortalecimento do controle social. Tempus - Actas de Saúde Coletiva, vol. 3, n. 3, p. 31-43.

Coelho, Juliana Sousa. (2012). Construindo a Participação Social no SUS: um constante repensar em busca de equidade e transformação. Saúde Soc. São Paulo, v.21, supl.1, p.138-151.

Dreyfuss, Cassio. (2014). Nexus of forces, 2014: unleashing the power of difgitalization.Disponível em:http://www.afsug.com/library/documents/saphila2014_presentations/Day1/BALLROOM_A/Nexus%20of%20Forces,%202014%20Unleashing%20the%20Power%20of%20Digitalization%20-%20Cassio%20Dreyfuss.pdf. Acesso em: 08-07-2015.

Germano, Edson Carlos. (2013). Modelos de negócios adotados para o uso de dados governamentais abertos: estudo exploratório de prestadores de serviços na cadeia de valor dos dados governamentais abertos. São Paulo: Universidade de São Paulo.

Leal, Rogério Gesta. (2006).Estado, Administração Pública e Sociedade: novos paradigmas. Porto Alegre. Livraria do Advogado.

Manyika, James; Chui, Michael; Bughin, Jacques; Dobbs, Richard; Bisson, Peter; Marrs, Alex. (2013). Disruptive technologies: Advances that will transform life, business, and the global economy. McKinsey Global Institute, May.

McClean, Tom. (2011). Not with a Bang but a Whimper: The Politics of Accountability and Open Data in the UK. Rochester, NY: Social Science Research Network. Disponível em: http://papers.ssrn.com/abstract=1899790. Acesso em: 16-09-2015.

Meijer, Albert; Curtin, Deirdre; Hillebrandt, Maarten. (2012). Open government: connecting vision and voice. International Review of Administrative Sciences, v. 78, n. 1, p. 10–29.

Nichols, M.; Cator, K. (2008). Challenge Based Learning. White Paper. Cupertino, California: Apple, Inc.

Nichols, M.; Cator, K.; Torres, M. (2016). Challenge Based Learner User Guide. Redwood City, CA: Digital Promise.

O’Reilly, Tim. (2011). Government as a Platform. Innovations: Technology, Governance, Globalization, v. 6, n. 1, p. 13–40.

Priklandnicki, R.; Willi, R.; Milani, F. (2014). Métodos ágeis para desenvolvimento de software. Porto Alegre: Bookman.

Rocha, Enid. (2008). A Constituição Cidadã e a institucionalização dos espaços de participação social: avanços e desafios. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL – ANFIP. 20 anos da Constituição Cidadã: avaliação e desafios da Seguridade Social. Brasília: ANFIP, 2008.

Rolim, Leonardo Barbosa; Cruz, Rachel de Sá Barreto Luna Callou; Sampaio, Karla Jimena Araújo de Jesus. (2013). Participação popular e o controle social como diretriz do SUS: uma revisão narrativa. Saúde em Debate, v. 37, n. 96, p. 139-147, 2013.

Souto, Ana Luiza Salles; Paz, Rosangela Dias Oliveira da. (2012).Novas lentes sobre a participação: utopias, agendas e desafios. São Paulo: Instituto Pólis, 2012.

Soratto, Jacks, Witt, Regina Rigatto; Faria, Eliana Marília. (2010). Participação popular e controle social em saúde: desafios da Estratégia Saúde da Família. Physis, v. 20, n. 4, p. 1227-1243.

United Nations. Department of Economic and Social Affairs. (2013). Guidelines on Open Government Data for Citizen Engagement. Disponível em: http://workspace.unpan.org/sites/Internet/Documents/Guidenlines%20on%20OGDCE%20May17%202013.pdf. Acesso em: 13-10-2015.

UNICEF - Fundo das Nações Unidas para a Infância. (2011). Guia dos Direitos da Gestante e do Bebê. São Paulo: Globo.

Wijnhoven, Fons; Ehrenhard, Michel; Kuhn, Johannes. (2015). Open government objectives and participation motivations. Government Information Quarterly, v. 32, n. 1, p. 30–42, jan.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n5-1599

Refbacks

  • There are currently no refbacks.