Fenofases da Cordiera sessilis (Vell.) Kuntze no litoral cearense / Phenophases of Cordiera sessilis (Vell.) Kuntze on the coast of Ceará

Lucas Farias Pinheiro, Camila Ribeiro dos Santos Gomes, Eliseu Marlônio Pereira de Lucena

Abstract


O Brasil é um país rico em biodiversidade, por possuir diversos remanescentes de biomas e diversas formações vegetacionais, permitindo classifica-lo com o terceiro maior produtor mundial de frutas. Porém muitas dessas frutas nativas dos ecossistemas brasileiros ainda são poucos explorados, sendo necessários estudos fenológicos para o entendimento da dinâmica dos vegetais. Na Restinga cearense encontramos a canela-de-veado (Cordiera sessilis (Vell.) Kuntze), que apresenta frutos carnosos com grande potencial para a indústria alimentícia. Neste sentido, o presente trabalho teve como objetivo caracterizar as fenofases da Cordiera sessilis no litoral cearense, visando à definição do ponto de colheita ideal. Para o melhor conhecimento dessa planta foram marcados dez exemplares de C. sessilis no Jardim Botânico de São Gonçalo, São Gonçalo do Amarante-CE, as quais foram observadas quinzenalmente de agosto/2017 a julho/2018, registrando-se a presença das fenofases de floração (antese), frutificação, abscisão foliar e brotação de novas folhas. As fenofases enfolhamento e desfolhamento tiveram pico no mês de janeiro/2018, estando assim muito sincrônicos. Já as outras fenofases foram assincrônicas, com índices de atividade menores que 25%. Portanto, conclui-se que as fenofases de enfolhamento e desfolhamento apresentaram grande sincronismo e o ponto de colheita ideal desse fruto é no estádio 4 (E4) de maturação.


Keywords


Canela-de-veado, Restinga, frutas nativas, vegetação litorânea.

References


ALVES, J. Rubiaceae Juss. nas campinaranas do baixo Rio Negro e biologia reprodutiva de Pagamea guianensis Aubl. 2017. 73 f. Dissertação (Mestre em Diversidade Biológica) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2017.

ARAÚJO, A. P. F. A importância da restinga e sua relação com o turismo: ação de sensibilização ambiental em uma escola de matinhos paraná. 2016. 40 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso em Tecnologia em Gestão de Turismo) - Universidade Federal do Paraná, Matinhos, 2016.

ARAÚJO, T.T.; ALMEIDA, V.C.; RIBEIRO, J.H.C.; CARVALHO, F.A. Fitossociologia e grupos ecológicos da regeneração arbórea de floresta secundária urbana às margens de um reservatório hídrico (Juiz de Fora, MG, Brasil). Revista Caminhos de Geografia, Uberlândia, v.16, n.54, p.113–124, 2015.

BARBOSA, M.R.; ZAPPI, D.; TAYLOR, C.; CABRAL, E.; JARDIM, J.G.; PEREIRA, M.S.; CALIÓ, M.F.; PESSOA, M.C.R.; SALAS, R.; SOUZA, E.B.; DI MAIO, F.R.; MACIAS, L.; ANUNCIAÇÃO, E.A.; GERMANO FILHO, P.; OLIVEIRA, J.A.; BRUNIERA, C.P.; GOMES, M.; TONI, K.; FIRENS, M. Rubiaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro: Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: . Acesso em: 4 jul. 2020.

BARREIRO, D.P.; MACHADO, S.R. Coléteres dendróides em Alibertia sessilis (Vell.) K. Schum: uma espécie não-nodulada de Rubiaceae. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v.30, n.3, p.387-399, 2007.

BENCKE, C.S.C., MORELLATO, L.P.C. Comparação de métodos de avaliação fenológica. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v.25, n.3, p. 269-275, 2002.

BFG. Growing knowledge: an overview of Seed Plant diversity in Brazil. Rodriguésia, Rio de Janeiro, v.66, n.4, p.1085-1113, 2015.

BFG. The Brazil Flora Group, 2018. Brazilian Flora 2020: innovation and collaboration to meet Target 1 of the Global Strategy for Plant Conservation (GSPC). Rodriguésia, Rio de Janeiro, v. 69, p.1513- 1527, 2018.

BOEIRA, T.P. Spermacoce (Rubiaceae) no Rio Grande do Norte, Brasil. 2016. 88 f. Dissertação (Mestrado em Sistemática e Evolução) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.

BRITO NETO, R.L.; ARAÚJO, E.I.P.; MACIEL, C.M.S.; PAULA, A.; TAGLIAFERRE, C. Fenologia de Astronium graveolens Jacq. em floresta estacional decidual em Vitória da Conquista, Bahia. Ciência Florestal, Santa Maria, v.28, n.1, p.641-650, 2018.

CALIXTO, N.; PINTO, M.E.F.; RAMALHO, S.D.; BURGER, M.C.M.; BOBEY, A.F.; YOUNG, M.C.M.; BOLZANI, V.S.; PINTO, A.C. The genus Psychotria: phytochemistry, chemotaxonomy, ethnopharmacology and biological Properties. Journal of the Brazilian Chemical Society, Campinas, v.27, n.8, p.1355-1378, 2016.

CAMPANILI, M.; SCHAFFER, W.B. Mata Atlântica: patrimônio nacional dos brasileiros. 1.ed. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2010, 410p.

CHRISTENHUSZ, M.J.M.; BYNG, J.W. The number of known plants species in the world and its annual increase. Phytotaxa, Auckland, v.261, n.3, p.201-217, 2016.

COBRA, S.S.O.; NASCIMENTO, F.; ANTONIAZZI, S.A.; KRAUZI, W.; SILVA, C.A. Biologia reprodutiva de Cordiera macrophylla (K. Schum.) Kuntze (Rubiaceae), espécie dioica da região Sudoeste do Estado de Mato Grosso, Brasil. Revista Ceres, Viçosa, v.62, n.6, p.516-523, 2015.

COSTA, P.M.A.; SOUZA, V.C.; COSTA, V.S.; BARROS, E.S.; OLIVEIRA, I. S.S. Fenofases reprodutivas em uma população de mandacaru (Cereus jamacaru) e facheiro (Pilosocereus pachycladus subsp. pernambucensis) (Cactaceae). Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.6, n.5, p.30536-30545, 2020.

COUTINHO, L.M.O. Conceito de bioma. Acta Botânica Brasilica, Brasília, n.20, v.1, p.13-23, 2006.

DELPRETE, P.G.; JARDIM, J.G. Systematics, taxonomy and floristics of Brazilian Rubiaceae: an overview about the current status and challenges. Rodriguésia, Rio de Janeiro, v.63, n.1, p.101-128, 2012.

FONSENCA, L.C.N.; ALMEIDA, E.M.; ALVES, M.A.S. Fenologia, morfologia floral e visitantes de Psychotria brachypoda (Müll. Arg.) Britton (Rubiaceae) em uma área de Floresta Atlântica, Sudeste do Brasil. Acta Botanica Brasilica, Brasília, v.22, n.1, p.63–69, 2008.

FOURNIER, L.A. Un método cuantitativo para la medición de características fenológicas en árboles. Turrialba, San Isidro, v.24, n. 4, p.422-423, 1974.

FRANCO, A.A.; GRESSLER, E.; MULLER, A.O.; SILVA, I.V. Fenologia reprodutiva de Palicourea racemosa no sub-bosque de floresta úmida no sul da Amazônia, Brasil. Revista de Ciências Agroambientais, Alta Floresta, v.15, n.2, 2017.

FREITAS, J.L.; SANTOS, A.C.; SILVA, R.B.L.; RABELO, F.G.; SANTOS, E.S.; SILVA, T.L. Fenologia reprodutiva da espécie Carapa guianensis Aubl. (Andirobeira) em ecossistemas de terra firme e várzea, Amapá, Brasil. Biota Amazônia, Macapá, v.3, n.1, p.31-38, 2013.

GANEM, R.S. Conservação da Biodiversidade Legislação e Políticas Públicas. 1.ed. Brasília: Biblioteca digital da câmera de deputados, 2011, 434p.

IBGE. Manual Técnico da Vegetação Brasileira. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. 274p.

IPECE. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará, 2017. Perfil básico municipal 2017: São Gonçalo do Amarante. Fortaleza: IPECE, 2017. 18 p.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 2.ed. Nova Odessa: Plantarum, 2002, 368p.

MARTINI, A.M.Z.; CASTANHO, M.T.; ROCHA, M.I.; PANNUTI STUDART, J.; JESUS, F.M.; OLIVEIRA, A.A. Restinga e ecologia. In: AZEVEDO, N. H. et al. (Org.). Ecologia na Restinga: uma sequência didática argumentativa. 1.ed. São Paulo: USP, 2014. cap. 2, p.22-24.

MATHEUS, M.T.; BACELAR, M.; OLIVEIRA, S.A.S. Descrição morfológica de frutos e sementes de marmelinho-do-campo Alibertia sessilis Schum. (Rubiaceae). Revista Caatinga, Mossoró, v.21, n.3, p.60-61, 2008.

MORELLATO, L.P.C.; ALBERTON, B.; ALVARADO, S.T.; BORGES, B.; BUISSON, E.; CAMARGO, M.G.G.; CANCIAN, L.F.; CARSTENSEN, D.W.; ESCOBAR, D.F.E.; LEITE, P.T. P.; MENDOZA, I.; ROCHA, N.M.W.B.; SOARES, N.C.; SILVA, T.S.F.; STAGGEMEIER, V.G.; STREHER, A.S.; VARGAS, B.C.; PERES, C.A. Linking plant phenology to conservation biology. Biological Conservation, Montpellier, v.195, p.60-72, 2016.

NUCCI, M.; ALVES-JUNIOR, V.V. Biologia floral e sistema reprodutivo de Campomanesia adamantium (Cambess.) O. Berg – Myrtaceae em área de Cerrado no sul do Mato grosso do Sul, Brasil. Interciência, Rio de Janeiro, v.42, n.2, p.127131, 2017.

OLIVEIRA, A.S. Fenologia e biologia reprodutiva de cinco espécies de Psychotria L. em um remanescente de floresta urbano, Araguari, MG. 2008. 64 f. Dissertação (Mestre em Biologia Vegetal) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

OLIVEIRA, R.O.; LUCENA, E.M.P.; SAMPAIO, V.S.; BONILLA, O.H.; PINHEIRO, L.F. Levantamento Florístico do Jardim Botânico de São Gonçalo do Amarante, Ceará, Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v.13 v.3, p.1162-1176, 2020.

PELISSARO, T.M. Fenologia e biologia floral de três espécies simpátricas de Psychotria L. (Rubiaceae) em floresta estacional semidecidua em Santa Maria, RS, Brasil. 2012. 77 f. Dissertação (Mestre em Agrobiologia) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2012.

RIBEIRO, C.L.; MELO JÚNIOR, J.C.F.; MOUGA, D.M.D.S.; CARNEIRO, E. Fenologia e visitantes florais de Psychotria nuda (Rubiaceae) em um fragmento urbano de Mata Atlântica no sul do Brasil. Neotropical Biology and Conservation, São Leopoldo, v.13, n.3, p.192-201, 2018.

SANTOS, C.P.; COE, H.H.G.; RAMOS, Y.B.M.; SOUZA, L.O.F.; SILVA, A.L.C.; FREIRE, D. G.; SILVESTRE, C.P. Caracterização das comunidades vegetais na Restinga de Maricá, Rio de Janeiro, Sudeste do Brasil. Revista Tamoios, São Gonçalo, v.13, n.1, p. 121-135, 2017.

SANTOS, O.A.; WEBBER, A.C.; COSTA, F.R.C. Biologia reprodutiva de Psychotria spectabilis Steyrm. e Palicourea cf. virens (Poepp & Endl.) Standl. (Rubiaceae) em uma floresta tropical úmida na região de Manaus, AM, Brasil. Acta Botanica Brasilica, Brasília, v.22, n.1, p.275-285, 2008.

SANTOS, R.; SILVA, R.C.; PACHECO, D.; MARTINS, R.; CITADINI-ZANETTE, V. Florística e estrutura do componente arbustivo-arbóreo de mata de restinga arenosa no Parque Estadual de Itapeva, Rio Grande do Sul. Revista Árvore, Viçosa, v.36, n.6, p.1047-1059, 2012.

SILVA, E.M.S.; OLIVEIRA, U.A.; CARDOSO, E.S.; ROELIS, B.V.; ROSSI, A.A.B. Fenologia reprodutiva e biologia floral de Palicourea racemosa (Aubl.) Borhidi (Rubiaceae) em um fragmento florestal no município de Alta Floresta, Mato Grosso, Brasil. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Jandaia, v.14 n.26, p.2017 986, 2017.

SILVA, T.L.L.; BECKER, F.S.; TOGUCHI, M.Y.; BOAS, E.V.B.V.; DAMIANI, C. Aplicabilidade tecnológica da marmelada-de-cachorro (Alibertia sessilis Schum.). Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v. 15, n. 3, p. 263-271, 2013.

VALLI, M.; YOUNG, M.C.M.; BOLZANI, V.S. A Beleza Invisível da Biodiversidade: O Táxon Rubiaceae. Revista Virtual de Química, Niterói, v.8, n.1, p.296-310, 2016.

ZAPPI, D.C.; CALIÓ, M.F.; PIRANI, J.R. Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais: Rubiaceae. Boletim de Botânica da Universidade de São Paulo, São Paulo, v.32, n.1, p.71-140, 2014.

ZAPPI, D. Cordiera. Jardim Botânico do Rio de Janeiro: Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n9-011

Refbacks

  • There are currently no refbacks.