Metodologias ativas e a inovação na aprendizagem no ensino superior / Active methodologies and innovation in learning in higher education

Meline Vitali Duminelli, Tainara Silveira Redivo, Camila Bardini, Cristina Keiko Yamaguchi

Abstract


Atualmente reter a atenção dos alunos em qualquer ambiente escolar exige inovação na didática de ensino. Sendo assim, expor metodologias que reforcem o aprendizado é de extrema importância, e a metodologia ativa ou metodologia inovadoras enriqueçam o trabalho do professor e a capacidade reflexiva do aluno. As metodologias ativas são técnicas de aprendizagem que envolvem o aluno como coautor do seu conhecimento. Visto isso, esta pesquisa tem como objetivo identificar como as metodologias ativas contribuem para a inovação no método de aprendizagem no ensino superior. Os procedimentos metodológicos adotados foram a pesquisa interdisciplinar, qualitativa, descritiva e bibliográfica, do tipo busca sistemática. Por meio desta pesquisa conclui-se que é fundamental buscar novos métodos de abordagem no ensino tradicional, e entender que a inovação pedagógica não está somente nas tecnologias, mas, na capacidade do docente desenvolver novas habilidades de aprendizagem.


Keywords


Metodologias ativas; inovação; aprendizagem no ensino superior.

References


Abreu, M. C.; Masetto, M. T. (1985). O professor universitário em aula: práticas e princípios teóricos. 5. ed. São Paulo: MG Ed. Associados.

Aguaded, I.; López-Meneses, E.; Fernándezmarquez, E. (2014). Experiencias de posgrado sobre computaciónen la red (cloud computing) con software social Post-graduate Experiences in Cloud Computing with Social Software. Estudios sobre educación/ vol. 27/ 115-132

Araujo, J.C.S. (2015). Fundamentos da metodologia de ensino ativa. Anais ...37ª Reunião Nacional da ANPEd– 04 a 08 de outubro de 2015, UFSC – Florianópolis. 2015.Disponível em: Acessado em:19 maio 2017.

Bastos, A. B. B. (2010). A técnica de grupos-operativos à luz de Pichon-Rivière e Henri Wallon,Psicólogo informação. Ano 14, n, 14 jan./dez.

Barbosa, E. F.; Moura, D. G. (2013). Metodologias ativas de aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. B. Tec. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n.2, p.48-67, maio/ago.

Behrens, M.A. (2014). Metodologia de projetos: Aprender e ensinar para a produção do conhecimento numa visão complexa. Disponível: Acesso em: 30 maio 2017.

Bessant, J.; Tidd, J.(2009). Inovação e Empreendedorismo. Porto Alegre: Bookman.

Berbel, N. A. N. (2011).As metodologias ativas e a promoção de autonomia aos estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun.

Bellido Márquez, M.D.C. (2013). Teaching to learning with active methodology in the fine arts degree.rev_ESMP.v19.42142

Bordenave, J. D.; Pereira, A. M. (1982). Estratégias de ensino-aprendizagem. 4. ed. Petrópolis: Vozes.

Borges, T.S.; Alencar, G. (2014). Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação críticado estudante do ensino superior.Cairu em Revista. Jul/Ago, Ano 03, n° 04, p. 1 19-143

Colombo, S.S.; Rodrigues, G.M. (2011).Desafios da gestão universitária contemporânea.Porto Alegre: Artmed.

Debald, B.S.(2003). A docência no ensino superior numa perspectiva construtivista. In: Anais ... Seminário nacional estado e políticas sociais no Brasil.Cascavel-PR.

De La Hoz, J.; De Blas, A. (2009). Learning by doing' methodology applied to the practical teaching of electrical machines. International Journal of Electrical Engineering Education. Vol 46, Issue 2, pp. 133 – 149. Espanha, 2009.

Diez, V.R.; Calvo, Z.P. (2015).Project-based learning as a methodology to boost creativity, innovation and entrepreneurship.EDULEARN15 Proceedings, pp. 1363-1370.Espanha, 2015.

Fernández-Jiménez, C.; López-Justicia, D.; Fernández, M.; Polo, T. (2014).Aplicacióndelaprendizajebasadoen problemas para laformación de alumnado de educaciónenlaatención a ladiscapacidad. Profesorado,Revista de Currículum y FormacióndelProfesorado, v. 18, n. 2, p. 335-352.

Gil, A.C. (2002).Como elaborar projetos de pesquisa.4. ed. São Paulo: Atlas.

Manual de Oslo. (1997). Diretrizes para a coleta e interpretação de dados sobre inovação. Disponível em : Acesso em: 05 jun 2017.

Morales-Rodríguez, F.M. (2013). Cross-curricular education for solidarity in the training of psychologists and educators. Espanha,Psicologia Educativa, 19, 45-51.

Molina-Martínez, I.T.; Gil Alegre, M.E.; Bravo-Osuna, I.; Herrero-Vanrell, R. (2014). Implementation of the cooperative learning methodology to the Biopharmaceutics and Pharmacokinetics subject.Education Research International. Volume 2014 (2014), Article ID 431542, 7 pages Espanha.

Reyes, E; Galvez, J.C. (2010).Introduction of innovations into the traditional teaching of construction and building materials.Journal of Professional Issues in Engineering Education and Practice/Volume 137 Issue 1. Espanha.

Robeldo, P.;Fidalgo, R.; Arias, O.; Alvarez, M.L. (2015). Students perceptions of developing of competences through different innovative methodologies. Revista de Investigacion Educativa. 33(2), 369-383.Espanha.

Schumpeter, J.A. (1988).A teoria do desenvolvimento econômico.São Paulo: Nova Cultural.

Tidd, J.; Bessant, J. (2015).Gestão da Inovação. São Paulo: Booking.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n5-1570

Refbacks

  • There are currently no refbacks.