Reflexões sobre os mapas conceituais aplicados ao ensino de parasitologia / Reflections on the concept maps applied to theteaching of parasitology

Maria de Fátima de Souza, Elineí Araújo de Almeida

Abstract


Os mapas conceituais se constituem uma ferramenta de representação gráfica utilizada para descrever a compreensão do significado de um conjunto de conceitos, relativos a um determinado assunto. O que torna muito pertinente a sua inserção no contexto formativo em cursos da área biomédica. O objetivo deste trabalho é analisar mapas conceituais sobre cestoides, elaborados por estudantes em aulas de parasitologia humana.  A elaboração dos mapas foi proposta pararesponder à seguinte pergunta focal: “Como os cestoides afetam à saúde humana?”. O desafio foi proposto para grupos de estudantes do curso de medicina, no percurso das aulas dos componentes, Parasitologia Médica Teórica e Parasitologia Médica Prática. As instruções sobre a atividade foram dadas por meio de apresentação oral e incluíam desde a orientação para baixar o software CmapTools, a leitura de um texto básico sobre mapas conceituais e de livros de Parasitologia; além de detalhes técnicos e operacionais necessários à correta elaboração dos mapas. O arquivo com as informações também foi disponibilizado para os alunos. Foram analisados 10 mapas conceituais elaborados pelos grupos de alunos. A análise tomou como parâmetros, a estrutura do mapa e o conteúdo relativo à pergunta focal. Foram criadas categorias seguindo as instruções dadas e o conteúdo das respostas; os dados foram sistematizados utilizando-se o software Microsoft Excel, versão 2010. A estrutura mais comum dos mapas foi radial, mas com muitas ocorrências de estruturas mistas (radial + linear; radial + rede), visto os mapas ficaram extensos; em parte, por ser abordado cada parasito, em particular. As doenças causadas por cestoides mencionadas com maior frequência são as mais conhecidas por meio dos livros didáticos, como teníase e cisticercose; ou as que ocorrem com frequência no nosso meio, como himenolepíase. Os desvios da questão focal ocorreram com alta frequência e abordaram, principalmente, riscos e medidas de prevenção. A adição de conceitos corretos e importantes para o enriquecimento da resposta foi aqui tratado como extrapolação, e se referiu à cisticercose e hidatidose. Ocorreram poucos erros conceituais, sendo as omissões o principal fator impeditivo de se alcançar a plenitude da resposta. Destaca-se que, a maioria dos mapas conceituais analisados apresentou resposta adequada para a pergunta focal.

 

 


Keywords


Teníase, Cisticercose,Hidatidose, Pergunta focal,CmapTools.

References


BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Hidatidose humana no Brasil: manuel de procedimentos técnicos para o diagnóstico parasitológico e imunológico. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. 63 p. il – (Série A: Normas e Manuais Técnicos).

DALEY, B. J.; TORRE, D. M. Concept maps in medical education: an analytical literature review. Medical Education, v. 44, p. 440–448, 2010.

CORREIA, P. R. M. Et al. Por Que Vale a Pena Usar Mapas Conceituais no Ensino Superior? Revista Graduação USP, v. 1, n 1, p. 1-12, 2016.

MAIA, M. A.; CAMPOS, D. M. B.; DAMASCENO, F. A. Dipylidiumcaninum(Cestoda – Dilepididae). Relato de um caso humano em Goiânia, Goiás. Revista de Patologia Tropical, v. 20, n. 1, p. 7-12, jan./jun., 1991.

NEVES D. P.; MELO A. L.; LINARDI P. M.; VITOR, R.W. A. Parasitologia Humana. 13a ed. São Paulo, Atheneu, 2016. 588 p.

NOVAK, J. D.; CAÑAS, A. J. A teoria subjacente aos mapas conceituais e como elaborá-los e usá-los. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v.5, n.1, p. 9-29 , jan.-jun. 2010. Disponível em: .

REY L. Parasitologia: parasitos e doenças parasitárias do homem nos trópicos ocidentais. 4a ed. (Reimp.). Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2014. 883 p. il.

SOUZA, M. F.; MOREIRA, E. M.; XIMENES, M. F. F. M. Altas prevalências de parasitoses que afetam o trato gastrintestinal em crianças e adolescentes: um sinal da desvantagem social. In: XIMENES, M. F. F. M.; SOUZA, R. F (org.). Meio Ambiente e Saúde Humana: práticas, vivências e saberes. Natal: EDUFRN, 2013. P. 349-372. 400 p. il.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n5-1569

Refbacks

  • There are currently no refbacks.