Um relato de experiência: a importância social do pibid na formação de estudantes do curso de licenciatura em física / A report of experience: the social importance of pibid in the training of students of the course of physics degree

Matheus Fernando dos Santos, Thiago Vicente de Assunção

Abstract


O presente artigo apresenta a expansão de um estudo feito e submetido ao V Congresso Nacional de Educaçãodenominado ‘A importância do PIBID na formação de estudantes do curso de licenciatura em física’. Sendo assim, o presente estudo visa destacar a importância do projeto PIBID para a formação de alunos do curso de licenciatura em física. Além das revisões de literatura, contamos com a exposição das experiências vividas durante o programa. Portanto, este estudo é caracterizado como relato de experiência. Através dos dados apresentados neste trabalho, podemos perceber que, além do papel fundamental que esse programa desempenha na qualidade da formação inicial do futuro professor, concluiu-se que este programa tem um papel social através das suas bolsas. Nos apoiamos nas experiências vivenciadas durante o projeto e expostas no presente estudo para defender a ideia que o PIBID contribui de forma significativa para a formação integral do aluno do curso de licenciatura.

 


Keywords


PIBID; Relato de experiência; Licenciatura em Física.

References


ALMEIDA, João Batista; SCHIMIGUEL, Juliano. Avaliação sobre as causas da evasão escolar no ensino superior: estudo de caso no curso de licenciatura em física no Instituto Federal do Maranhão. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 2, n. 2, p. 167-178, 2011.

ARCANJO, P. Residência pedagógica quer universalizar a iniciação à docência. São Paulo, 2017. Disponível em:. Acesso em: 25 fev. 2018.

ASSUNÇÃO, Thiago Vicente; NASCIMENTO, Robson Raabi. Avaliação do interesse dos estudantes em relação a atividade experimental e ao conteúdo científico no ensino de física. Caderno de física da UEFS, v.15, p. 2301.1-9, 2017.

ASSUNÇÃO, Thiago Vicente; NASCIMENTO, Robson Raabi. O inventário de estilos de aprendizagem de David Kolb e os professores de ciências e matemática: diálogo sobre o método de ensino. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de lãs Ciencias, v.14, n.1, p.14-34, 2019.

BARRETO, Raquel Goulart et al. Tecnologia eeducação:trabalhoeformação docente. Educação & Sociedade, v. 25, n. 89, p. 1181-1201, 2004.

BARROSO, Marta F.; FALCÃO, Eliane BM. Evasão universitária: o caso do Instituto de Física da UFRJ. IX Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Física, v. 9, p. 1-14, 2004.

CARELLI, Maria José Guimarães; SANTOS, Acácia Aparecida Angeli dos. Condições temporais e pessoais de estudo em universitários. Psicologia escolar e educacional, v. 2, n. 3, p. 265-278, 1998.

CARVALHO, A. M. P. et al (org.); Ensino de ciências: unindo pesquisa e a prática. São Paulo, Cengage learning, 2004.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. e PERNAMBUCO, M.M; Ensino de Ciências: fundamentos e métodos, São Paulo, Cortez, 2002.

FELÍCIO, Helena Maria dos Santos. O PIBID como “terceiro espaço” de formação inicial de professores. Revista Diálogo Educacional, v. 14, n. 42, p. 415-434, 2014.

FELICETTI, Vera Lucia. Graduados ProUni: um estudo comparativo entre licenciados e não licenciados. Estudos em Avaliação Educacional, v. 23, n. 53, p. 280-301, 2012.

GOBARA, Shirley Takeco; GARCIA, Joao Roberto Barbosa. As licenciaturas em física das universidades brasileiras: um diagnóstico da formação inicial de professores de física. Revista brasileira de ensino de física, v. 29, n. 4, p. 519-525, 2007.

KOLB, David A. et al. Experientiallearningtheory: Previousresearchand new directions.In: STERNBERG, J. Robert; ZHANG, Li-fang, Perspectives on thinking, learning, and cognitive styles. v. 1, n. 8, Routledge Taylor & Francis Group. Nova York: Estados Unidos, 2001. p. 227-247.

KOLB, Alice Y.; KOLB, David A. Learning stylesandlearningspaces: Enhancingexperientiallearning in highereducation. Academy of management learning & education, v. 4, n. 2, p. 193-212, 2005. DOI: 10.5465/AMLE.2005.17268566.

LAVAQUI, Vanderlei; BATISTA, Irinéa de Lourdes. Interdisciplinaridade em ensino de ciências e de matemática no ensino médio. Ciência & Educação (Bauru), v. 13, n. 3, p. 399-420, 2007.

LIMA JÚNIOR, Paulo. Evasão do ensino superior de Física segundo a tradição disposicionalista em sociologia da educação. 2013.

MENEZES-FILHO, Naércio. Os determinantes do desempenho escolar do Brasil. São Paulo: IBMEC, 2007.

MEDEIROS, Alexandre; BEZERRA FILHO, Severino. A natureza da ciência e a instrumentação para o ensino da física. Ciência & Educação (Bauru), v. 6, n. 2, p. 107-117, 2000.

MICHA, Daniel Neves; FERREIRA, Mauro. Física no esporte-parte 1: saltos em esportes coletivos. Uma motivação para o estudo da mecânica através da análise dos movimentos do corpo humano a partir do conceito de centro de massa. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 35, n. 3, p. 3301.1 – 3301.9, 2013.

Ministério da Educação, 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2018.

MONTEIRO, Caroline. Qual a diferença entre o Pibid e a nova residência pedagógica do MEC, 2017. Disponível em: . Acesso em: 01 março, 2018.

MONTANDON, Maria Isabel. Políticas públicas para a formação de professores no Brasil: os programas Pibid e Prodocência. Revista da ABEM, v. 20, n. 28, p. 47-60, 2012.

PEREIRA, Júlio Emílio Diniz. As licenciaturas e as novas políticas educacionais para a formação docente. Educação & sociedade, v. 20, n. 68, p. 109-125, 1999.

PEREIRA, Luzyanne de Jesus Mendonça; LIMA, Maria Consuelo Alves. Evasão no curso de Física da UFMA nos primeiros períodos do curso. XVII Simpósio Nacional de Ensino de Física, p. 1-7, 2007.

PINTO, José Marcelino de Rezende. O que explica a falta de professores nas escolas brasileiras?.Jornal de Políticas Educacionais, v. 8, n. 15, 2014.

PONTE, João Pedro da. Tecnologias de informação e comunicação na formação de professores: que desafios?.Revista Iberoamericana de educación, p. 63-90, 2000.

RAUSCH, Rita Buzzi; FRANTZ, Matheus Jürgen. Contribuições do PIBID à formação inicial de professores na compreensão de licenciandos bolsistas. Atos de pesquisa em educação, v. 8, n. 2, p. 620-641, 2013.

RIBEIRO, Bruno Vieira et al. Um estudo da evasão no curso de graduação em física da UnB. Relatório à comissão de graduação do instituto de física. UnB. Brasília, DF, 2008.

SALES, Luís Carlos; LOPES, Antônio de Pádua Carvalho. Fazer-se professor: trajetórias escolares de licenciandos e suas representações sociais sobre a profissão docente. Revista Fundamentos, v. 1, n. 1, 2013.

SARAIVA-NEVES, Margarida; CABALLERO, Concesa; MOREIRA, Marco Antonio. Repensando o papel o trabalho experimental, na aprendizagem da física, em sala de aula - um estudo exploratório. Investigações em ensino de ciências, v.11, n.3, p.383-401, 2006.

SENICIATO, Tatiana; CAVASSAN, Osmar. Aulas de campo em ambientes naturais e aprendizagem em ciências: um estudo com alunos do ensino fundamental. Ciência & Educação (Bauru), p. 133-147, 2004.

SILVEIRA, Míriam Moreira. A Assistência Estudantil no Ensino Superior: uma análise sobre as políticas de permanência das universidades federais brasileiras. 2012. Dissertação (Mestrado em política social) – Departamento Social, Universidade Católica de Pelotas, Pelotas.

SILVA, Maria Lúcia Santos Ferreira. Estágio Curricular – desafios da relação teoria e prática. In: SILVA, Maria Lúcia Santos Ferreira (Org.). Estágio curricular: contribuições para o rendimento de sua prática. ed. 2º, n. 7. Natal: Editora da UFRN, 2005. p. 17-18.

SILVA, Laffert Gomes Ferreira et al. Formação de professores de Física: experiência do Pibid-Física da Universidade Federal de Rondônia. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 9, n. 16, p. 213-227, 2012.

TENCA, Sueli Cotrim. Cursos noturnos: a pobre escolarização dos que trabalham. Cadernos de Pesquisa, n. 43, p. 37-42, 1982.

TINTI, Douglas da Silva. PIBID: um estudo sobre suas contribuições para o processo formativo de alunos de licenciatura em matemática da PUC-SP. 2012. 146 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.

THIESEN, Juares da Silva. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Revista brasileira de educação, v. 13, n. 39, p.2008.

VASCONCELOS, Simão Dias; LIMA, Kênio Erithon Cavalcante. O professor de Biologia em formação: reflexão com base no perfil socioeconômico e perspectivas de licenciandos de uma universidade pública. Ciência & Educação (Bauru), v. 16, n. 2, 2010.

VIANNA, José Francisco; AYDOS, Maria Celina Recena; SIQUEIRA, Onofre Salgado. Curso noturno de licenciatura em química-uma década de experiência na UFMS. Química nova, v. 20, n.2, p. 213




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n5-1537

Refbacks

  • There are currently no refbacks.