O que pensam crianças do ensino fundamental sobre pobreza e desigualdade social / What do elementary school children think about poverty and social inequality

Jéssyka Souza Costa, Sônia Bessa

Abstract


Esse artigo apresenta resultado de investigação com 101 estudantes do 4º e 5º ano do ensino fundamental de escolas municipais da região de Formosa-GO. Teve como objetivo analisar e identificar as representações de pobreza, e desigualdade socioeconômica. Utilizou-se entrevista clinica individual e para a análise dos resultados utilizou-se os níveis propostos por Denegri (1997) que são IA, IB, II e III e indicam o pensamento econômico dos participantes. Somente 5% dos estudantes dessa investigação estão no nível de pensamento esperado, 95% apresentam defasagens na compreensão dos fenômenos econômicos e sociais. Durante a distribuição dos entrevistados nos níveis propostos, observou-se que os estudantes dos níveis IA e IB associam riqueza com felicidade, bem-estar e saúde. Foi apontado um nível intermediário, este classificado como “Transição” estes apresentam características de pensamento do nível IB e II. Na amostra total o nível II teve um percentual bem menor em relação aos outros níveis. Esse é um nível mais evoluído, os estudantes já têm uma compreensão maior de mobilidade socioeconômica embora ainda elementar, percebem que para que ocorra mobilidade existem restrições externas, mas continuam a priorizar e valorizar o esforço individual. Somente a compreensão da problemática que circunda a pobreza e a desigualdade e dos demais fatores sociais envolvidos poderá contribuir para uma sociedade mais equânime. No contexto brasileiro com tantos problemas de ordem econômica e financeira esse é o tipo de resultado que preocupa e impulsiona a propor programas de educação econômica e financeira, que apresente estratégias e busque soluções.

Keywords


Desigualdade, pobreza, estudantes, ensino.

References


AMAR, J., ABELLO, R. & LLANOS, M. Desarrollo de conceptos económicos en niños y adolescentes colombianos y su interacción en los sectores educativos y calidad de vida. Barranquilla: Proyecto CIDHUM. Financiado por la Dirección de investigaciones y proyectos (DIP) de la Universidad Del Norte y Colciencias. 2000.

AMAR, J.A.; ABELLO, R.; DENEGRI, M. C.; MARTINEZ, M. L.; GOMES, G. J. La construcción de representaciones sociales acerca de La pobreza y desigualdade social em lós niños de La región Caribe Colombiana. Investigación y desarrollo vol.9, n.2 pp 592-613. Universidad de norte Barranguilla, Colombia. 2001.

AMAR, J. A.; ABELLO, R.; DENEGRI, M; LLANOS, M. Pensamiento económico de lo niños colombianos. Análisis comparativo en la región Caribe. Barranquilla: Ediciones Uninorte. 2002.

ARAÚJO, R. M. B. Alfabetização econômica: compromisso social na educação das crianças. São Bernardo do Campo, SP: Universidade Metodista de São Paulo. 2009.

BARROS, R. P.; HENRIQUES, R.; MENDONÇA, R. A Estabilidade inaceitável: desigualdade e Pobreza no Brasil. IPEA, Textos para discussão n. 800, jun. 2001.

BARROS R. P.; FOGUEL, M. N.; ULYSSEA, G.; Org. Desigualdade de Renda no Brasil: uma análise da queda recente. NERI, Marcelo. Desigualdade, Estabilidade e Bem-Estar social. – Brasília Pea, 2006. 2 v.

BESSA, S. Alfabetização econômica, hábitos de consumo e atitudes em direção ao endividamento de estudantes de pedagogia. 2008. 318f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

BESSA, S.; FERMIANO, M. B. DENEGRI, M. C. Compreensão econômica de estudantes entre 10 e 15 anos. Psicologia & Sociedade, 26(2), p.410-419. 2014.

BESSA, S. Pobreza e desigualdade social: representações de estudantes do ensino superior. Anais do I Seminário Internacional de Educação Superior. Goiânia. 2018.

BOUGET, Denis.; NOGUES, Nenry. Evaluation des politiques de lutte contre les exclusions sociales. Revue Française des Affairs Sociales, ‘n.2, avr/juin, 1994.

CANTELLI, V. C. B. Procedimentos utilizados pelas famílias na educação econômica de seus filhos. 2009. 415f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

CARVALHO, J. M. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 3ª edição Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

CHAFEL, J. Societal images of poverty: Child and adult beliefs. Youth and Society. En: J. Amar. Ensayos en Desarrollo Humano. Barranquilla: Ediciones Uninorte. 2002.

DELVAL, Juan. La representación infantil del mundo social. In E. Turiel, I. Enesco & J. Linaza (Comps.), El mundo social en la mente del niño (pp. 245-328). Madrid: Alianza. 1989

DELVAL, Juan. El constructivismo y La adquisición Del conocimiento social. Apuntes de Psicoloiga, universidad córdoba. vol. 30 (1-3), pp 99-109.número especial. 2012.

DENEGRI M. El desarrollo de las ideas acerca del origen y la circulación del dinero: Un estudio evolutivo en niños y adolescentes. Madrid: Servicio de Publicaciones de la Universidad Autónoma de Madrid. 1995.

DENEGRI, M. La construcción de nociones económicas en la infancia y la adolescencia. Temuco, Chile: Universidad de la Frontera. 1997.

Denegri, M., Delval, J., Ripoll, M., Palavecinos, M. & Keller, A. Desarrollo del pensamiento Económico en la Infancia y la adolescencia. Boletín de investigación educacional, 13, 291308. 1998.

DENEGRI, M.; DELVAL. J.; RIPOL, M.; PALAVECINOS, M.; KELLER, A. Desarrollo del pensamiento económico em La infancia y adolescencia. Boletin de Investigacion Educacional, 13, p.291-308. 1998a.

DENEGRI, M.; KELLER, A.; PALAVECINOS, M.; RIPOLL, M.; DELVAL, J. Psicogenesis de las representaciones acerca de la pobreza y desiguadad social: estúdio evolutivo con niños y adolescentes de ciudades con funcionamiento finaciero limitado de La IX región. Psykhe, 17 (2), p.13-24. 1998b.

DENEGRI, M.; GAETE, D. C.; ARAVENA, J. S.; ROJAS, C.V.; GOMES, Y.G.; VARGAS, H.M. Representaciones sociales sobre pobreza en estudiantes universitarios chilenos. Liberabit, Lima (Perú) 16(2): p.161-170. 2010.

ENESCO, I.; DELVAL, J.; VILLUENDAS, D.; NAVARRO, A.; SIERRA, P.; PEÑARANDA, A. La comprensión de la organización social en niños y adolescentes. Madrid: C.I.D.E. 1995.

FERREIRA, M. A.F; LATORRE, M.R. D. O. Desigualdade social e os estudos epidemiológicos: uma reflexão. Rev. Ciencia & Saúde Coletiva. 17(9):2523-2531, 2012.

FERMIANO, M. A. B. (2010). Pré-adolescentes (“tweens”) – desde a perspectiva da teoria piagetiana à da Psicologia Econômica. 2010. 491f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

FRANCO, Augusto de. Além da Renda: a pobreza brasileira como insuficiência de desenvolvimento. Millennium, Instituto de Política, 2000.

GAIGER, Luiz Inacio Germany. A associação econômica dos pobres como via de combate às desigualdades. CADERNO CRH, Salvador, v. 22, n. 57, p. 563-580, Set. /Dez. 2009. GONÇALVES, G. Q; MENICUCCI, T. M. G; AMARAL, E.F.L. Diferencial educacional entre beneficiários do programa bolsa família. Cadernos de pesquisa. V.47 n.165 p.770-795 jul. /set. 2017.

MELSERT, A.L.M.; BOCK A.M.B. Dimensão subjetiva da desigualdade social: estudo de projetos de futuro de jovens ricos e pobres. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 41, n. 3, p. 773-790, jul./set. 2015.

MILANO, Serge. La pauvreté absolute. Paris: Hachete, 1988

MOORE, W. E. Social Change. New Jersey, Prentice Hall, 1963

POGGE, T. W. Para erradicar a pobreza sistêmica: em defesa de um dividendo dos recursos globais. Sur – Revista internacional de direitos humanos. Número 6. Ano 4. 2007. p.142-163.

PULICE, Carolina. Georges, da Oxfam: desigualdade e pobreza são inseparáveis. Disponível em https://exame.abril.com.br/economia/georges-da-oxfam-desigualdade-e-pobreza-saoinseparaveis, acesso em 30/10/2018.

RIBEIRO, C. O.; MENEZES, R.G. Políticas públicas, pobreza e desigualdade no Brasil: apontamentos a partir do enfoque analítico de Amartya Sen. Revista Textos & Contextos. Porto Alegre v. 7 n. 1p. 42-55. jan/jun.2008.

ROAZZI, A; DIAS, M.G.B.B; ROAZZI, M. A representação de desigualdade econômica em crianças e adolescentes de nível socioeconômico diferentes. Ver. Psicologia: Reflexão e crítica, 19 (3), 515-525. 2006.

SANTOS, Milton. Pobreza urbana - 3.ed. -São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

STEHR, N. Da desigualdade de classe à desigualdade de conhecimento. Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol. 15 número 42, fevereiro/2000.

OXFAM BRASIL. A distância que nos une: Um retrato das desigualdades brasileiras. Disponível em https://www.oxfam.org.br/a-distancia-que-nos-une, acesso em 27/01/2018.

OXFAM BRASIL. Recompensem o trabalho, não a riqueza. Disponível em https://www.oxfam.org.br/assim-nao-davos, acesso em 23/10/2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n5-1509

Refbacks

  • There are currently no refbacks.