O processo de urbanização da orla do Rio Tocantins em Marabá – PA e os reflexos socioambientais na qualidade de vida da população / The urbanization process along the Tocantins River in Marabá - PA and the socio-environmental effects on the population's quality of life

Érika Vivianne Nascimento Araújo, Andrea Hentz de Mello, Jordanio Silva Santos, Nathalia Karoline Feitosa dos Santos

Abstract


O processo de urbanização e estruturação do território da cidade de Marabá-PA possui relação com a dinâmica de uso dos Rio Tocantins e Itacaiunas. A atração da água influenciou a valorização da área passando por uma dinâmica de ocupação urbana mais acelerada a partir da década de 1950. Posteriormente, influenciado pelas políticas de ocupação da Amazônia a partir da década de 1960, o Espaço passa por forte incremento populacional de trabalhadores vindo de outras regiões do país. A condição de Marabá como “cidade da colonização oficial”, contribuiu para o fortalecimento da centralidade urbana de Marabá no âmbito da sub-região sudeste do estado do Pará. Com isso, houve concentração populacional no núcleo da Marabá Pioneira, na orla do Rio Tocantins o que ampliou os aspectos de vulnerabilidade da região com implicações na dinâmica socioambiental. Nesse contexto, o artigo discute o processo de urbanização e os reflexos na qualidade da água consumida pela população e na conservação Rio. Assim, foram realizadas pesquisas bibliográficas, entrevistas com moradores, aplicação de questionário socioeconômico, pesquisa em dados da Cosanpa e outras bases de órgãos públicos e instituições de pesquisa. Os dados foram sistematizados através da análise estatística descritiva, análise de variáveis qualitativas e utilização de princípios introdutórios da oralidade. Pelos resultados foi possível observar que a fragilidade das políticas públicas de urbanização, somados a outros fatores históricos expôs a vulnerabilidade da população diante do comprometimento da qualidade da água utilizada no consumo e a situação de degradação socioambiental do Rio Tocantins.

Keywords


Desenvolvimento, Ribeirinhos, Território.

References


Agência Nacional de Águas. Conjuntura dos recursos hídricos no Brasil: informe anual / Agência Nacional de Águas. - Brasília: ANA, 2019. Acessado em 18.01.20. Disponível em: http://conjuntura.ana.gov.br/static/media/conjuntura-completo.bb39ac07.pdf.

PINHEIRO-AMÉRICO, J. H. P.; RIBEIRO, L. G. Monitoramento de recursos hídricos e parâmetros de qualidade de água em bacias hidrográficas. In: Bacias hidrográficas: fundamentos e aplicações / Juliana Heloisa Pinê Américo-Pinheiro; Sandra Medina Benini (orgs). 1 ed. – Tupã: ANAP, 2018.

AYRES, W. D’A.; TONELLA; C. Conferências Nacionais do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável: Participação e efetividade. Revista debates, Porto Alegre, v. 12, n. 2, p. 97-120, maio-ago. 2018.

BARBIERI, J. C. Gestão Ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. – 3.ed. atual e ampliada. – São Paulo: Saraiva, 2011. 458p.

BOTELHO, R. G. M. Bacias Hidrográficas Urbanas. In GUERRA, Antônio José Teixeira (Org.). Geomorfologia Urbana. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011. Cap. 3, p. 72-115.

BHABHA, H. Interrogando a Identidade: Frantz Fanon e a prerrogativa Pós-Colonial. In: O local da Cultura. BHABHA, H. Trad. Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis e Gláucia RenateGonçalvez. Belo Horizonte: 2010. (p. 70-104).

CESA, M. D. V.; DUARTE, G. M. A qualidade do ambiente e as doenças de veiculação hídrica. Geosul, Florianópolis, v. 25, n. 49, p 63-78, jan./jun. 2010. Disponível em: . Acessado em 16.12.19.https://doi.org/10.5007/2177-5230.2010v25n49p63

DIAS-BARRIGA, F.; GARCÍA, S.; CORRA, L. Prevenção de riscos em populações vulneráveis. In: Determinantes ambientais e sociais da Sáude. GALVÃO, Luiz Augusto C., FINKELMAN, Jacob, HENAO, Samuel (org). Organização Pan-Americana da Saúde. Ed. Fiocruz, Rio de Janeiro, 2011.

DROULERS, M. Fazer Territó-rios na Amazônia. Revista franco-brasileira de geografia. Dossiê Araguaia. V. 31, n.31, Confins, 2017. Acessado em 18.01.20. 10.4000/confins.12065

GONÇALVES, C. W. P. Amazônia, Amazônias. São Paulo, Contexto, 2001. 184p.

HALMENSCHLAGER, F.; OLIVEIRA, M.; ASSIS, W. S. D. Dinâmicas territoriais e as complexidades das áreas de fronteira agrária na Amazônia oriental. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, vol. 16, no. 2, 2008: 228-261.

HERCULANO. S. C. A qualidade de vida e seus indicadores. UFF. Niterói-RJ. 2000. Disponível em: http://www.ivt-rj.net/ivt/bibli/herculano.pdf>Acesso em 14 de jul. 2019.

LIMA, M. M. A produção social do espaço e a relação cidade-rio na ribeira de Marabá-PA: modernização, conflitos e resistências. Geousp – Espaço e Tempo (Online), v. 20, n. 2, p. 267-280, 2016. https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.122375

OLIVEIRA, M. C. C. D.; ALMEIDA, J. e SILVA, L. M. S. Diversificação dos sistemas produtivos familiares: reflexões sobre as relações sociedade-natureza na Amazônia Oriental. Novos Cadernos NAEA, v. 14, n. 2, p. 61-88, dez. 2011. Disponível em: , Acesso em: 14 de outubro, 2019.http://dx.doi.org/10.5801/ncn.v14i2.502

OLIVEIRA, J. A. D. As cidades na natureza, a natureza das cidades e controle do território. 2013. Disponível em: . Acessado em: 09 de dezembro, 2019.

MOTA, S. Preservação e conservação de recursos hídricos. 2 ed. rev. E atualizada. –Rio de Janeiro: ABES, 1995. 200 p.

RAMALHO, F. L.; CABRAL, J. B. P.; BARCELOS, A. A. D. Utilização da estatística para avaliação da qualidade de água em bacia hidrográfica. In:Bacias hidrográficas: fundamentos e aplicações / Juliana Heloisa Pinê Américo-Pinheiro; Sandra Medina Benini (orgs). 1. ed. – Tupã: ANAP, 2018. 123p.

SILVA, A. P. e SILVA, C. M. Planejamento ambiental para bacias hidrográficas: convergências e desafios na bacia do Rio Capibaribe, em Pernambuco-Brasil. HOLOS, Ano 30, Vol. 01.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n8-187

Refbacks

  • There are currently no refbacks.