Análise do Atendimento e Satisfação dos Paciente Submetido ao Procedimento Cirúrgico Oftalmológico em um Hospital Público de Goiás/Patient Satisfaction Undergoing Ophthalmic Surgical Procedure at a Public Hospital in Goiás

Tainara Sardeiro de Santana, Victor Augusto de Castro, Andréa Cristina de Sousa, Sue Christine Siqueira, Lorena Tassara Quirino Vieira, Isabela Cristina de Franco Faria, Juliane Gonçalves Vieira, Jackeline Gonçalves Guimarães

Abstract


Analisar a satisfação do paciente submetido ao procedimento oftalmológico quanto a admissão, atendimento ambulatorial e questões voltadas ao centro cirúrgico. Estudo transversal realizado com 114 pacientes com mais de 18 anos, com indicação cirúrgica, durante o mês de maio de 2020. A pesquisa foi composta por 2 etapas, entrevista e digitação em bancos de dados Excel®. A entrevista foi realizada após a admissão do paciente no bloco cirúrgico, seguindo as etapas: aceite do termo de consentimento livre e esclarecido pelo paciente ou responsável legal; coleta dos dados sócios demográficos, aplicação do instrumento de satisfação e ligação no pós-operatório mediato. O percentual de satisfação geral foi de 77,80%, sendo que 24,50% tem nível de escolaridade médio completo, e 26,02% são do sexo masculino. No atributo de admissão do paciente na Instituição Hospitalar, foi avaliado a satisfação dos usuários conforme o atendimento dos funcionários, as orientações recebidas na recepção e o tempo do atendimento. Considerando satisfeitos com este atendimento um percentual total de 93,43%, sendo 38,57% são do nível de escolaridade fundamental incompleto, e 56,22% são do sexo feminino. O nível de satisfação dos usuários foi de 91,07% com a assistência do serviço oftalmológico oferecido pela instituição hospitalar. A idade avançada, ensino fundamental incompleto gerou mais chances de satisfação com relação à pesquisa. A insatisfação da assistência oftalmológica foi associada ao tempo de espera para a consulta e o tempo entre o agendamento e o dia da cirurgia.


Keywords


Cirurgias oftalmológicas, Satisfação do paciente.

References


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Cadernos temáticos do PSE – Saúde Ocular. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica – Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde de A a Z. Doenças Oculares. Doenças Oculares: quais são, tratamento, diagnóstico e prevenção. [ acesso em 15 de Dez 2019] Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/doencas-oculares.

GARCIA, Neyfla. Ministério da Saúde reajusta recursos para procedimentos oftalmológicos; Ministério da saúde, 2017. [ acesso em 07 set 2019] Disponível em http://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/42172-ministerio-da-saude-reajusta-recursos-para-procedimentos-oftalmologicos.

Molina KL, Moura GM. A satisfação dos pacientes segundo a forma de internação em hospital universitário. Acta Paul Enferm. 2016. [acesso em 13 nov 2019] Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/19820194201600004.

Ferreira PHC et al. SATISFAÇÃO DOS CLIENTES EXTERNOS QUANTO AOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM. Revista mineira de Enfermagem; 2016. [acesso em 30 nov 2019]. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1111.

MARTINHO et al. Escala da Satisfação com a decisão em saúde: instrumento adaptado e avaliado para língua portuguesa. Rev. bras. enferm., 2014, 67(6): 891-897. [acesso em 18 nov 2019]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n6/0034-7167-reben-67-06-0891.pdf.

SILVA, L.F.N., SILVA, M.A., Satisfação do paciente como estratégia de marketing hospitalar para conquistar clientes. Estudos. Goiânia, out-2014 v. 41, especial, p. 87-100. [acesso em 30 nov 2019]. Disponível em: http://revistas.pucgoias.edu.br/index.php/estudos/article/viewFile/3810/2174.

Martins AMEBL, Muniz AB, Silveira MF, Carreiro DL, Souza JGS, Ferreira EF. Avaliação da assistência oftalmológica na perspectiva dos usuários. Rev. Bras. Epidemiol. São Paulo: Abril/Junho 2016, 19(2). [acesso em 30 nov 2019]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2016000200390.

Ferreira PHC, et al. Satisfação dos clientes externos quanto aos cuidados de enfermagem. Diamantina-MG. REME rev. min. enferm;20, 2016. [acesso em 30 nov 2019]. Disponível em: https://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1111.

Bancer MG, Soares AMR, Soares LBG, Ambrosio PG, Madeira K. Avaliação do grau de satisfação de pacientes atendidos no serviço de medicina de uma clínica escola. Extremo Sul Catarinense – SC. Arquivos catarinenses de medicina. Julho/Setembro de 2018. 47(3):146-158. [acesso em 29 nov 2019]. Disponível em : http://www.acm.org.br/acm/seer/index.php/arquivos/article/view/462/279.

Santana TS, Àvila MP, Isaac DLC, Tobias GC, Paranaguá TTB. Impacto da facectomia na qualidade de vida de idosos atendidos em campanha assistencial de catarata. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2017. [acesso em 28 nov 2019]; 19 a 35. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v19.39498.

Boso PFM, Almeida FB, Garcia EL, Rohrbacher I. Análise da curvatura corneana após exérese de pterígio: o impacto do procedimento cirúrgico de forma objetiva em nossa prática. Revista Brasileira de Oftalmologia;2018. [acesso em 28 nov 2019]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-72802018000200065.

Ottaiano JAA, Àvila MP, Umbelino CC, Taleb AC. As Condições de Saúde Ocular no Brasil 2019[livro online]. São Paulo: Conselho Regional de Medicina; 2019. [acesso em 29 nov 2019]. Disponivel em: http://www.cbo.com.br/novo/publicacoes/condicoes_saude_ocular_brasil2019.pdf.

Inchauspe JAF, Moura GMSS. Satisfação do usuário com o atendimento: A visão da enfermagem. Rev enferm UFPE on line., Recife, Maio de 2018; 12(5):1338-45. [acesso em 02 dez de 2019]. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/234855.

Martins AMEBL, Muniz AB, Silveira MF, Carreiro DL, Souza JGS, Ferreira EF. Avaliação da assistência oftalmológica na perspectiva dos usuários. Rev. bras. epidemiol. São Paulo, 2016, april/june 19(2) [Acesso em 10 fev de 2020]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-5497201600020015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-861

Refbacks

  • There are currently no refbacks.