Aterros Sanitários: Aspectos gerais atrelados a Política Nacional de Resíduos Sólidos vinculado à educação ambiental / Sanitary Landfills: General Aspects linked to the National Solid Waste Policy linked to environmental education

Cristiane Savedra da Silva, Stephan de Almeida Jesuíno

Abstract


O desenvolvimento deste trabalho tem por objetivo abordar diversos entendimentos em face da disposição dos Resíduos Sólidos no Brasil. Baseado nesta compreensão o projeto apresentará o funcionamento do processo do descarte inapropriado, relatando as causas e as possíveis consequências geradas em torno desta abordagem. Quanto aos aterros sanitários, a perspectiva será em apresentar ao leitor, num âmbito geral, os tipos, as espécies, a classificação e os diversos gerenciamentos, assim como suas utilidades e benefícios em relação as práticas ambientais e sociais em questão. Também será abordado, dentro do contexto anunciado, os principais termos da Política Pública, em especifico a Política Nacional de Resíduo Sólido (PNRS) suas funções e determinações em relação a destinação adequada dos rejeitos, o que impacta diretamente na contribuição social e econômica daqueles que dependem dos resquícios descartados nos diversos aterros sanitários de todo país. E dentro desta perspectiva será apresentado os fundamentos peculiares em relação à educação ambiental, o qual entrará como atributo pertinente ao aprimoramento das práticas ambientais.

 

 


Keywords


Política Pública. Resíduo Sólido. Aterro Sanitário.

References


Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis – ANP. Lubrificantes, 2016. Disponível em:http://www.anp.gov.br/petroleo-e-derivados2/lubrificantes. Acesso em 3 ago. 2019.

Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis. Boletim de lubrificantes, n.4, jan. 2019. Disponível em: http://www.anp.gov.br/arquivos/publicacoes/boletins-anp/lubrificantes/n24/janeiro2019_20-03-2019.pdf. Acesso em: 25 ago. 2019.

ALMEIDA, Isaac; FERREIRA, Nilson. Gestão de óleo lubrificante Automotivo Usado. Ministério do Meio Ambiente (MMA), 2012. Disponível em: http://web-resol.org/textos/apresentacao_pe.pdf. Acesso em: 12 ago. 2019.

AMARANTE, I. C. S. et al. Gestão de óleos lubrificantes usados ou contaminados-OLUC: regulamentação e medidas de gerenciamento sustentável. 2019. 149 f. Dissertação (Mestrado em Planejamento Ambiental) – Universidade Católica do Salvador, Salvador, 2019.

Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10004: Resíduos sólidos – Classificação. Rio de Janeiro, 77 p. 1997.

BALLOU, Ronald H. Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos: Logística Empresarial. Porto Alegre: Bookman, 2009.

BARBOSA, Tailine Silva Pinheiro. A logística reversa como instrumento de vantagem competitiva. Revista Terceiro Setor & Gestão-UNG-Ser, v. 11, n. 1, p. 05-23, 2018.

BARROS, Conceição Aparecida Pereira et al. A contribuição da logística reversa para redução dos custos e do impacto ambiental. Ciências Gerenciais em Foco, v. 4, n. 1, p. 1-17, 2018.

BERTAGLIA, Paulo Roberto. Logística e gerenciamento da cadeia de abastecimento. Saraiva, 2017.

BEZERRA, Adriana dos Santos et al. O processo de logística reversa pós-consumo do óleo lubrificante automotivo: estudo de caso no posto Dallas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE, 8., 2017, Campo Grande. Anais... Campo Grande: Congestas, 2017. p. 1607-1614.

BEZERRA, Petrucia Karine Santos de Brito. Obtenção de novas emulsões asfálticas utilizando óleo lubrificante usado ou contaminado (OLUC). 2015. 70 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Química) - Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

BORGES NETO, Waldomiro. Parâmetros de qualidade de lubrificantes e óleo de oliva através de espectroscopia vibracional, calibração multivariada e seleção de variáveis. 2005. 130 f. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Química, Campinas, 2005.

BORGES, Ana Claudia Giannini; PUPIN, Patricia Lopes Freire; BRITTO, Marcel. Publicização dos planos municipais e intermunicipais de resíduos sólidos do estado de São Paulo. Estudos Geográficos: Revista Eletrônica de Geografia, v. 16, n. 2, p. 46-63, 2018.

BOWERSOX, Donald J.; CLOSS, David J.; COOPER, M. Gestão Logística da Cadeia de Suprimentos. 4. ed. Bookman. 2014.

BRASIL. Lei nº. 12.305 de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional dos Resíduos Sólidos e dá outras providências. Planalto. 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 01 jul. 2019.

Brasil. Portaria interministerial MME/MMA nº 100, de 8 de abril de 2016. 2016. Disponível em: http://www.simepetro.com.br/wp-content/uploads/PORTARIA-INTERMINISTERIAL-MME-MMA-N-100-DE-08_04_2016.pdf. Acesso em: 04 jul. 2019.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 362, de 23 de junho de 2005. DOU. p. 128-130. 27 jun. 2005.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 450, de 6 de março 2012. DOU. 3 p. 07 mar. 2012.

CALAZANS, Lorena Bezerra Barbosa; SILVA, Glessia. Inovação de Processo: Uma Análise em empresas com práticas sustentáveis. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 5, n. 2, p. 115-129, 2016.

CANCHUMANI, Giancarlo Alfonso Lovón. Óleos lubrificantes usados: um estudo de caso de avaliação de ciclo de vida do sistema de rerrefino no Brasil. 2013. Tese (Doutorado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

CERQUEIRA, Cláudio Pereira de et al. Estudo do reaproveitamento energético de óleos lubrificantes usados. 2004. 104 f. Dissertação (Mestrado em energia) – Universidade de Salvador, Salvador, 2004.

CERQUEIRA, Grazielle Rozendo et al. Estudo de caso da logística reversa de óleos lubrificantes e suas embalagens na cidade de Aracaju. In: SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DE SERGIPE, 10., 2018, Sergipe. Anais... Sergipe: SIMPROD, 2018. p. 374-383.

CIPRIANO, Pâmila Geisibel Santos. Estudo sobre a destinação dos óleos lubrificantes automotivos no município de Cacoal/RO. 2017. 91 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Rondônia, Cacoal, 2017.

COMPER, Indiana Caliman; SOUZA, Felipe Oliveira; CHAVES, Gisele de Lorena Diniz. Caracterização e Desafios da Logística Reversa de Óleos Lubrificantes. Revista em Gestão, Inovação e Sustentabilidade, v. 2, n. 1, 2016.

DALPRA, Priscilla Mena Barreto. A competitividade da logística brasileira em âmbito internacional. 84 f. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Relações Internacionais) – Universidade do Sul de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

FALUB [Lubrificantes e Logística Reversa]. Rerrefino de óleos lubrificantes usados e contaminados. 2019. Disponível em: http://falub.com.br/servicos/rerrefino-de-oleos-lubrificantes-usados-ou-contaminados/. Acesso em: 10 set.2019.

FERNANDES, Christiane Nogueira; TAGLIALENHA, Silvia Lopes de Sena; SCHUELTER, Lucas Mello. Logística reversa de óleos lubrificantes automotivos usados ou contaminados. 2015. 31 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Mobilidade) – Universidade Federal de Santa Catarina, Joinville, 2016.

FERNANDES, Kleber Dos Santos. Logística: Fundamentos e processos. Curitiba: IESDE Brasil SA, 2008.

FERREIRA, Gabriela Souza Assis. Logística Reversa associada À sustentabilidade: Estudo de caso de uma empresa metalúrgica no descarte adequado de óleos lubrificantes, panos industriais e equipamentos de proteção individuais. Revista Academus, v. 6, n. 2, 2018.

GALLO, Adriano et al. O sistema logístico brasileiro. Revista Científica do Itpac, Araguaína, v. 3, n. 3, p. 21-35, 2010.

GOMES, Mairi Catiane et al. Planejamento Estratégico na Logística: Etapas e Estratégias para a Implementação. Sustainable Business International Journal, n. 67, 2017.

GRISA, Daniela Cristina; CAPANEMA, Luciana Xavier de Lemos. Resíduos sólidos. In:

PUGA, Fernando Pimentel; CASTRO, Lavínia Barros de (Org.). Visão 2035: Brasil, país desenvolvido: agendas setoriais para alcance da meta. Rio de Janeiro: Banco Nacional de

Desenvolvimento Econômico e Social, 2018. p. 415-438.

GUARNIERI, P. Logística Reversa: em busca do equilíbrio econômico e ambiental. Recife: Clube de Autores, 2011.

GUARNIERI, Patrícia et al. A caracterização da Logística Reversa no ambiente empresarial em suas áreas de atuação: pós-venda e pós-consumo agregando valor econômico e legal. Tecnologia & Humanismo, v. 19, n. 1, p. 120-131, 2005.

GUARNIERI, Patrícia. Logística Reversa: em busca do equilíbrio econômico e ambiental. Clube dos autores, 2011.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE]. IBGE Cidades: Capanema, PA. 2018. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/capanema/pesquisa/22/28120. Acesso em: 14 set. 2019.

LACERDA, Leonardo. Logística reversa: uma visão sobre os conceitos básicos e as práticas operacionais. COPPEAD/UFRJ, Rio de Janeiro, v. 6, p.1-9, 2002.

LAKATOS, E. M; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas 2003.

LAVNITCKI, Laís; BAUM, Camila Angelica; BECEGATO, Valter Antonio. Política nacional dos resíduos sólidos: abordagem da problemática no brasil e a situação na região Sul. Ambiente & educação-revista de Educação Ambiental, v. 23, n. 3, p. 379-401, 2018.

LEITE, Paulo Roberto. Logística reversa: Meio ambiente e competitividade. 2. ed. São Paulo: Pearson, 2009.

LEMOS, Luiz; ALVES, Marcela; CAVALCANTE, Zuila. Os incentivos fiscais como instrumento para a implantação da logística reversa de resíduos sólidos nas empresas. In:

CONCIFA, 2018, Manaus. Anais... Manaus: FAMETRO, 2018.

LICENÇAS ambientais e credenciais. LWLWART lubrificantes. 2019. Disponível em: http://www.lwart.com.br/site/content/lubrificantes/rerrefino_o_rerrefino.asp. Acesso em: 17 ago. 2019.

LIMA, Anderson Eduardo Alcântara de et al. Avaliação e otimização do processo de recuperação de óleos lubrificantes automotivos usados. 2016. 81 f. Tese (Doutorado em Química) – Universidade Federal de Paraíba, João Pessoa, 2016.

LIVA, Patrícia Beaumord Gomes; PONTELO, Viviane Santos Lacerda; OLIVEIRA, Wedson Souza. Logística reversa-I. Gestão e Tecnologia industrial - IETEC, p.1-13, 2003.

LUBRASIL. Ciclo do Rerrefino. Disponível em: http://www.lubrasil.com.br/produtos-servicos/> Acesso em: 16 ago. 2019.

MOTA, Anne Kelly Vieira. A destinação do óleo lubrificante usado ou contaminado oluc nas oficinas mecânicas em uma pequena cidade localizada no norte do Estado do Tocantins. Facit Business and Technology Journal, v. 1, n. 3, 2017.

MOURA, Benjamim. Logística: conceitos e tendências. Centro Atlântico, 2006.

MUNIZ, Isalena Cavalcante; BRAGA, Risete Maria Queiroz Leão. O gerenciamento de óleos lubrificantes usados ou contaminados e suas embalagens: estudo de caso de uma empresa de logística na região norte do brasil. Sistemas & Gestão, v. 10, n. 3, p. 442-457, 2015.

NASCIMENTO, A. P. et al. Barreiras para implementação da gestão verde da cadeia de suprimento em uma distribuidora de óleo lubrificante. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 18, n. 2, p. 718-728, 2014.

NOVAES, Antônio. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição. Elsevier, 2016.

PACHECO, Diego Augusto de Jesus; FINGER, Clóvis Pinho; SOUZA, Tamires. Logística reversa de óleos lubrificantes: análise das implicações. Iberoamerican Journal of Industrial Engineering, v. 8, n. 15, p. 136-154, 2016.

PAURA, Glávio Leal. Fundamentos da logística. Curitiba: Instituto Federal Paraná, 2016.

PEREIRA, Flávio Marcos de Melo. Estudo da degradação do óleo lubrificante em motores alimentados com biodiesel B100. 2015. Dissertação (Mestrado), Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Paraná, 2015.

RIBEIRO, Jomar José Knaip; CHAVES, Gisele de Lorena Diniz; MUNIZ, Eduardo Perini. Avaliação da coleta de óleo lubrificante usado e contaminado: Estudo de caso no município de São Mateus-ES. Revista Gestão & Tecnologia, v. 18, n. 1, p. 269-282, 2018.

RODRIGUES, William Costa et al. Metodologia científica. FAETEC/IST, Paracambi, 2007.

SANTOS, José Carlos Oliveira et al. Avaliação da estabilidade térmica e oxidativa de óleo lubrificante automotivo recuperado usando o solvente metil-etil-cetona. Química Bras. v. 8, p. 49-56, 2014.

SANTOS, Rayzza Marinho dos. Efeito da contaminação do óleo lubrificante por combustíveis na lubrificação para motores-flex. 2018. 91 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica) - Centro de Tecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.

SCHUELTER, Lucas Mello; FERNANDES, Christiane Wenck Nogueir; TAGLIALENHA, Silvia Lopes de Sena. Óleos lubrificantes automotivos residuais: um estudo de caso em logística reversa. Colloquium Exactarum. v. 8, p.69-84, abr./jun. 2016.

SILVA, Daniel Queiroz et al. Avaliação da degradação do óleo lubrificante automotivo por meio da espectroscopia UV-Vis. In: ENCONTRO NACIONAL DE PÓS GRADUAÇÃO, 6., 2017, Santa Cecília. Anais... Santa Cecília: UNISANTA, 2017. p. 102-106.

SILVA, Tiago Almeida; OLIVEIRA, Katia Mara de. Descarte de óleos lubrificantes e suas embalagens: estudo de caso dos postos de gasolina e oficinas da cidade de Ituiutaba, estado de Minas Gerais. Observatorium: Revista Eletrônica de Geografia, v. 3, n. 7, 2011.

SILVEIRA, Eva Lúcia Cardoso et al. Determinação de contaminantes em óleos lubrificantes usados e em esgotos contaminados por esses lubrificantes. Química Nova, v. 29, n. 6, p. 1193, 2006.

Sindicato Nacional da Industria do Rerrefino de óleos Minerais [SINDREFINO]. Logística Reversa OLUC/Rerrefino. 2019. Disponível em: https://www.sindirrefino.org.br/rerrefino/logistica-reversa-oluc. Acesso em: 16 ago. 2019.

SOUZA, Elaine Anastácia de et al. Implicações dos Resíduos Sólidos a Saúde Humana: Explorando Publicações de Enfermagem. UNICIÊNCIAS, v. 21, n. 1, p. 45-49, 2017.

TEODÓSIO, Armindo S. S; DIAS, S. F. L. G.; SANTOS, M. C. L. Procrastinação da política nacional de resíduos sólidos: catadores, governos e empresas na governança urbana. Ciência e Cultura, v. 68, n. 4, p. 30-33, 2016.

TRISTÃO, José Américo Martelli; TRISTÃO, Virgínia Talaveira Valentini; FREDERICO, Elias. O processo de reciclagem do óleo lubrificante. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, v. 8, n. 2, p. 224-238, 2017.

TSAMBE, Malaquias Zildo António et al. Avaliação do sistema de gerenciamento de óleos lubrificantes usados ou contaminados no Brasil. Tecno-Lógica, v. 21, n. 2, p. 75-79, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-462

Refbacks

  • There are currently no refbacks.