Etnobotânica e ensino: os estudantes do ensino fundamental como pesquisadores do conhecimento botânico local / Ethnobotanics and education: students of fundamental education as researchers of local botanical knowledge

Larissa Fernanda da Silva Lima, Aência Gonçalves de Oliveira, Márcia Freire Pinto

Abstract


A Etnobotânica é um ramo da Etnobiologia que estuda os conhecimentos, as percepções, as crenças e os sentimentos das pessoas sobre as plantas, bem como as diferentes interações entre elas. Por isso, acredita-se que a Etnobotânica pode aliar no ensino de Botânica de forma mais contextualizada, estimulando a investigação científica. Assim, objetivou-se realizar uma ponte entre os saberes dos estudantes e suas famílias com os saberes científicos trabalhados na escola. Em 2019, foi solicitado aos 35 estudantes de uma turma do 7º ano do ensino fundamental que realizassem um inventário das plantas cultivadas nos quintais de suas casas, com enfoque nas plantas medicinais, a fim de saber o nome popular, a indicação (doença), a parte da planta utilizada e o modo de preparo. Para esse inventários, os estudantes deveriam solicitar a ajuda dos seus parentes, realizando entrevistas. Ao todo, apenas 12 estudantes retornaram com a pesquisa e foram caracterizadas 21 plantas, que eram cultivadas nos quintais, sendo a maioria utilizada para o tratamento de enfermidades simples, como problemas digestivos e dor no estômago. O modo de preparo mais utilizado foi o chá e a parte da planta mais utilizada foram as folhas. O maior detentor de conhecimento são as avós e as mães dos estudantes. A proposta prática baseada no método científico e da realização de uma pesquisa em Etnobotânica, permitiu engajar e envolver os estudantes no processo de ensino e aprendizagem de forma contextualizada e significativa.

 

 


Keywords


Plantas medicinais, quintais, inventário.

References


ALBUQUERQUE, U.P.; MEDEIROS, P.M.; RAMOS, M.A.; JÚNIOR, W.S.F.; NASCIMENTO, A.L.B.; AVILEZ, W.M.T.; MELO, J.G. Are ethnopharmacological surveys useful for the Discovery and development of drugs from medicinal plants? Revista Brasileira de Farmacognosia-Brazilian Journal of Pharmacognosy, v. 24, p.110-115, 2014. Disponível em: DOI: http://dx.doi.org/10. 1016/j.bjp. 2014.04.003

AMOROZO, M. C. M. A abordagem etnobotânica na pesquisa de plantas medicinais. In: DI STASI, L. D. (Org.). Plantas medicinais: arte e ciência - um guia de estudo interdisciplinar. São Paulo: Editora da Unesp, 1996. p. 47-68.

AUSUBEL, D. P. The acquisition and retention of knowledge: a cognitive. View. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 2000.

BORGES, B. T.; VARGAS, J. D.; OLIVEIRA, P. J. B.; VESTENA, S. Aulas práticas como estratégia para o ensino de botânica no ensino fundamental. ForScience, v. 7, n. 2, 2019.

CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; JORGE, M. Ciência, educação em ciência e ensino das ciências. Lisboa: Ministério da Educação, 2002.

CAMPOS, M. D'O. Etnociências ou etnografia de saberes, técnicas e práticas. In: AMOROSO, M. C. M.; MING, L. C.; SILVA, S. P. (Orgs.). Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas. São Paulo: Unesp/CNPQ, 2002. p. 46-92.

BAPTISTA, G.C.S. Importância da demarcação de saberes no ensino de Ciências para sociedades tradicionais. Ciência & Educação, v.16, n0.3, 2010, p. 679-694.

BRASIL. Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_fitoterapicos.pdf> Acessado em: 01 de julho de 2020.

CECCANTINI, G.; Os tecidos vegetais têm três dimensões. Brazilian Journal of Botany, v. 29, n. 2, p. 335-337, 2006.

GUIMARÃES, M. Educação ambiental: participação para além dos muros da escola. In: MELLO, S. S. de; TRAJBER, R. (coord.) Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília. Ministério da Educação, Coordenação geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007. p. 85-93.

FRIZZO M. N.; MARIN, E. B.. O ensino de ciências nas séries iniciais. 3ª ed. Ijuí: UNIJUÍ, 1989.

FERREIRA, G. CAMPOS, M.G.P.A.; PEREIRA, B.L.; SANTOS, G.B. A etnobotânica e o ensino de botânica do ensino fundamental: possibilidades metodológicas para uma prática contextualizada. FLOVET 1 (9), 2017.

FRANCO, F.; FERREIRA, A. P. N. L.; FERREIRA, M. L. Etnobotânica: aspectos históricos e aplicativos desta ciência. Cadernos de Cultura e Ciência 10 (2): 17-23, 2011.

GÜLLICH, R.I.C.; ARAUJO, M.C.P. As muitas formas de ensinar botânica. In: Anais do I Encontro Nacional de Ensino de Biologia e III Encontro Regional de Ensino de Biologia RJ/ES. Sociedade Brasileira de Ensino de Biologia, Rio de Janeiro, 2005.

IPECE. INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ. Perfil municipal de Limoeiro do Norte, 2017. Disponível em: https://www.ipece.ce.gov.br/perfil-municipal-2017/. Acesso em: 30 ago. 2019.

LOPES, F.; BETTENCOURT, T. O ensino da biologia numa perspectiva por pesquisa: contributos de uma investigação preliminar no ensino secundário. Enseñanza de las Ciencias, Barcelona, p. 508-511, 2009. (Número extra: VIII Congreso Internacional sobre Investigación en Didáctica de las Ciencias, 8, 2009, Barcelona).

LUCAS, S.; VASCONCELOS, C. Perspectivas de ensino no âmbito das práticas lectivas: um estudo com professores do 7º ano de escolaridade. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciências, Vigo, v. 4, n. 3, 2005. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2013.

MARTIN, Gary. J. Ethnobotany: a people and plants conservation manual. Londres: Chapman e Hall. 1995.

MARTINS, A. G.; ROSÁRIO, D. L.; BARROS, M. N. et al. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais, alimentares e tóxicas da ilha Combu, Município de Belém, Estado do Pará, Brasil. Rev. Bras. Farm., v. 86, n.1, p. 21-30, 2005.

MATOS, F.J.A. Plantas medicinais: guia de seleção e emprego de plantas usadas em fitoterapia no nordeste do Brasil. 2.ed. Fortaleza: Imprensa Universitária da Universidade Federal do Ceará, 2000. 144p.

MELO, S.; LACERDA, V. D.; HANAZAKI, N. Espécies de restinga conhecidas pela comunidade do Pântano do sul, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Rodriguésia, v. 59, n. 4, p. 799-812. Rio de Janeiro. 2008. ISSN 2175-7860.

MERHY, Thiago Saide Martins; SANTOS, Marcelo Guerra. A Etnobotânica na escola: interagindo saberes no ensino fundamental. Revista Práxis, Rio de Janeiro, RJ, v. 9, n. 17, p.10-22, jun. 2017.

MUNE, S.E.; GARCIA, M.F.F. A etnobotânica como instrumento de integração do Ensino da disciplina de Botânica no Ensino Fundamental e Médio. In: Coletânea do 7° Encontro “Perspectivas do Ensino de Biologia”, São Paulo, 2000.

NASCIMENTO, A.S.; CARDOSO, J.V.M.; SANTOS, F.W.R.; SILVA, I.S.; MACÊDO, J.R.A. Ensino de Biologia: resgate cultural do etnoconhecimento associado ao uso de plantas medicinais. Brazilian Journal of Development, Curitiba, 6 (5): 31084-31096, 2020.

SIQUEIRA, A.B.; PEREIRA, S.M. Abordagem Etnobotânica no ensino de Biologia. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient. E-ISSN 1517-1256, v. 31, n.2, p. 247-260 , jul./dez. 2014. Disponível em:< https://periodicos.furg.br/remea/article/view/4711> . Acesso em: 29 de junho de 2020.

PEREIRA, C.O.; LIMA, E.O.; OLIVEIRA, R. A.G.; TOLEDO, M.S.; AZEVEDO, A.K.A.; GUERRA, M.F.; PEREIRA, R.C. Abordagem etnobotânica de plantas medicinais utilizadas em dermatologia na cidade de João Pessoa-Paraíba, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 7, n. 3, 2005.

POZO, J. I. A aprendizagem e o Ensino de Fatos e Conceitos. In: COLL, C.; POZO, J. I.; SARABIA, B.; VALLS, E. Os conteúdos da Reforma. Porto Alegre: Artmed, 2000, p 17-71.

OGAWA, M. Ensino de ciências em um multiscience perspectiva. Ciência da Educação, 79 (5), 583- 593.1995.

OLIVEIRA, F.L.G. Conhecimentos e percepções sobre serpentes: um estudo de caso com estudantes de uma escola pública em Limoeiro do Norte, Ceará, brasil. Monografia (Graduação em Ciências Biológicas). Universidade Estadual do Ceará. 2019.

PEREIRA, S. M., SIQUEIRA, A. B. Abordagem etnobotânica no ensino de biologia. V simpósio sobre formação de professores: educação básica: desafios frente às desigualdades educacionais. Tubarão, Santa Catarina, Unisul, v. 5, 8p, 2013.

SANT’ANNA, G. C. C.; AOYAMA, E. M. Kits didáticos: o que os alunos pensam sobre esse recurso?. Revista Ciencias & ideias, v. 9, n. 3, p. 237-251, 2018.

SANTOS, J.F.L.; AMOROZO, M.C.M.; MING, L.C. Uso popular de plantas medicinais na comunidade rural da Vargem Grande, Município de Natividade da Serra, SP. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.10, n.3, p.67-81, 2008.

SILVA, C.G.; MARINHO, M.G.V.; LUCENA, M.F.A.; COSTA, J.G.M. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais em área de Caatinga na comunidade do Sítio Nazaré, município de Milagres, Ceará, Brasil. Revista Brasileira Plantas med [online]. Vol. 17, n.1, p.133-142, 2015. ISSN 1516-0572. http://dx.doi.org/10.1590/1983-084X/12_055.

SILVEIRA, A.P.; FARIAS, C.C. Estudo etnobotânico na educação básica. Poiésis, Tubarão, 2(1): 14 – 31, Jan./Jun. 2009.

URSI, Suzana et al. Ensino de Botânica: conhecimento e encantamento na educação científica. Estudos Avançados, [s.l.], v. 32, n. 94, p.7-24, dez. 2018. Fap UNIFESP (SciELO).

VÁSQUEZ, S. P. F.; MENDONÇA, M. S.; NODA, S. N. Etnobotânica de plantas medicinais em comunidades ribeirinhas do Município de Manacapuru, Amazonas, Brasil. SciElo. Acta Amazonica, v. 44, n. 4, p. 457 - 472. Manaus. 2014. ISSN 0044-5967.

VEIGA JUNIOR, Valdir F.; PINTO, Angelo C. and MACIEL, Maria Aparecida M.. Plantas medicinais: cura segura? Revista Quím. Nova [online]. Vol.28, n.3, p. 519-528. 2005. ISSN 0100-4042.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-425

Refbacks

  • There are currently no refbacks.