Avaliação da compostagem e vermicompostagem para biodegradação da matéria orgânica / Composition and vermicomposition assessment for biodegradation of organic matter

Yankha Myllena da Silva Van Tienen, Otávio Maia Vicakas, Maiza Karine Barcia, Stéphanie Fonseca, Tatiane Bonametti Veiga, Daniele Ukan

Abstract


No Brasil, a Política Nacional de Resíduos Sólidos define a prática de compostagem como uma alternativa para destinação ambientalmente adequada dos resíduos orgânicos, diante disso, o presente estudo avaliou o potencial de biodegradação de matéria orgânica (MO) com a utilização da compostagem e da vermicompostagem. Utilizou-se duas composteiras com 70% de materiais secos e 30% de esterco bovino para ambas as técnicas, para a vermicompostagem foram usadas minhocas da espécie Eisenia fetida, inseridas após o período de pré-compostagem. Durante 10 semanas realizou-se a aeração manual, monitoramento da temperatura e determinação do teor de matéria orgânica. A eficiência de biodegradação da matéria orgânica foi mais elevada para a vermicompostagem (63%) quando comparada a técnica de compostagem (48%), pois as minhocas possuem mecanismos biológicos de depuração mais acentuados e efetivos quando comparado a outros microrganismos presentes no meio.

 

 


Keywords


compostagem, Eisenia fetida, microrganismos eficientes, resíduos orgânicos, sustentabilidade.

References


AQUINO, A. M.; ALMEIDA, D. J.; SILVA, V. F. Utilização de minhocas na estabilização de resíduos orgânicos: Vermicompostagem. Comunicado técnico – Embrapa Agrobiologia, n. 8, p. 1-6, 1992.

BEZERRA, D. E., SILVA, A. F., SILVA, G. R. B., CAMPOS, H. J. F., PEQUENO, L. A. B., MARINHO, P. R. M., LIMA, R. A., PAIVA, W. Panorama dos resíduos sólidos urbanos sob a perspectiva de um grupo de moradores da Cidade de Areia - PB. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 1, p. 3472-3483, 2020.

BRASIL. Política Nacional dos Resíduos Sólidos. Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 03 ago. 2010a.

BRASIL. Decreto nº 7.404, de 23 de dezembro de 2010. Regulamenta a Lei nº 12.305, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 23 dez. 2010b.

CANTARELLA, H.; GUAGGIO, J. A.; RAJI, B. V. Determinação de matéria orgânica. Cap. 9. In: RAJI, B. V.; ANDRADE, J. C.; CANTARELLA, H.; QUAGGIO, J. A. Análise Química para Avaliação da Fertilidade de Solos Tropicais. Campinas (SP), Instituo Agronômico, 285p. 2001.

COTTA, J. A. O.; CARVALHO, N. L. C.; BRUM, T. S.; REZENDE, M. O. O. Compostagem versus vermicompostagem: comparação das técnicas utilizando resíduos vegetais, esterco bovino e serragem. Engenharia Sanitária Ambiental, v.20, n.1, p. 65-78, 2015.

DAL BOSCO, T. C.; GONÇALVES, F.; ANDRADE, F. C.; TAIATELE JUNIOR, I.; SILVA, J. S.; SBIZZARO, M. Contextualização teórica: compostagem e vermicompostagem. In: DAL BOSCO, T. C. Compostagem e vermicompostagem de resíduos sólidos: resultados de pesquisas acadêmicas. São Paulo: Blucher, cap. 1, p.19-43, 2017.

DOMÍNGUEZ, J.; EDWARDS, C.A.; SUBLER, S. A comparison of composting and vermicomposting. Biocycle, v. 38, n. 4, p. 57-59, 1997.

DORES-SILVA, P. R.; LANDGRAF, M. D.; REZENDE, M. O. O. Processo de estabilização de resíduos orgânicos: vermicompostagem versus compostagem. Química Nova, v. 36, n. 5, p. 640-645, 2013.

KIEHL, E.J. Fertilizantes orgânicos. Piracicaba, Editora Agronômica Ceres Ltda, 492 p. 1985.

NDEGWA, P. M.; THOMPSON, S. A. Integrating composting and vermicomposting in the treatment and bioconversion of biosolids. Bioresource Technology, v. 76, n. 2, p. 107-112, 2001.

PEREIRA NETO, J.T. Manual de compostagem: processo de baixo custo. 81 p. Universidade Federal de Viçosa, 2007.

SWATI, A.; HAIT, S. Fate and bioavailability of heavy metals during vermicomposting of various organic wastes - A review. Process Safety and Environmental Protection, v. 109, p. 30-45, 2017.

SWATI, A.; HAIT, S. Greenhouse gas emission during composting and vermicomposting of organic wastes - A review. CLEAN - Soil, Air, Water, v. 46, n. 6, 2018.

ZAGO, V. C. P.; BARROS, R. T. V. Gestão dos resíduos sólidos orgânicos urbanos no Brasil: do ordenamento jurídico à realidade. Engenharia Sanitária Ambiental, v. 24, n. 2, Rio de Janeiro, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-353

Refbacks

  • There are currently no refbacks.