Efeito das “falhas de pinha” da Araucaria angustifolia no enraizamento de miniestacas de Sequoia Sempervirens / Effect of Araucaria angustifolia “pinecone failures” on rooting of Sequoia Sempervirens minicuttings

Alex Nascimento de Sousa, Lucas Bonez de Lemos, Bruno Nascimento, Carolina Moraes, Gabriel Souza, Mariane de Oliveira Pereira, Márcio Carlos Navroski

Abstract


A propagação vegetativa por miniestaquia possibilita a obtenção de várias plantas idênticas a partir de uma única planta matriz. Entretanto, vários fatores podem influenciar a capacidade e a rapidez no enraizamento das estacas, como: os ambientais, o estado fisiológico, a maturação, o tipo de propágulo, o uso de fitormônios e substratos, e a época de coleta da estaca. Desse modo, este trabalho teve como objetivo testar o efeito das concentrações de “falhas de pinha” misturado ao substrato, no enraizamento de miniestacas de Sequoia sempervirens. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com cinco repetições de cinco estacas cada, sendo conduzido pelo esquema bifatorial (4x4), sendo quatro clones de sequoia e quatro concentrações de “falhas de pinha”, o que se totalizou em 16 tratamentos com cinco repetições. As variáveis analisadas foram: porcentagem de enraizamento, número de raízes por miniestaca, e a formação de calos na base das miniestacas. Comparando-se todos os clones, A100 teve melhores médias para enraizamento e número de raízes, porém teve uma resposta negativa a adição das “falhas de pinha”, ao contrário do clone A130, que aumentou as médias com a adição do material. Desta maneira, recomenda-se as “falhas de pinha” como insumo para produção de mudas originadas por miniestacas, já que pode favorecer a produção de acordo com o clone utilizado.

 

 


Keywords


Propagação vegetativa, Silvicultura, Miniestaquia, Produção de mudas

References


ALVARES, C. A.; STAPE, J. L.; SENTELHAS, P. C.; GONÇALVES, J. L. M.; SPAROVEK, G. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, n. 6, p.711-728, 2014. http://dx.doi.org/10.1127/0941-2948/2013/0507

CALDEIRA, M. V. W.; DELARMELINA, W. M.; LÜBE, S. G.; GOMES, D. R.;GONÇALVES, E. O.;ALVES, A. F.;. Biossólido na Composição de Substrato para a produção de mudas de Tectona grandis. Floresta, Curitiba, v. 42, n. 1, p.77-84, 2011.

COWN, D.. Redwood in New Zealand – an end-user perspective. NZ Journal of forestry, v. 52, n. 4, p. 35-41, 2008.

SCOTT, G. W.; MASON, W. L.; JINKS, R. L.. The redwoods and red cedar coast redwood (Sequoia sempervirens), giant redwood (Sequoiadendron giganteum) and western red cedar (Thuja plicata) species, silviculture and utilisation potential. Quarterly Journal of Forest, v. 110, n. 4, p. 244–256, 2016.

DIAS, P. C.; OLIVEIRA, L. S.; XAVIER, A.; WENDLING, I.. Estaquia e miniestaquia de espécies florestais lenhosas no Brasil. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, v. 32, n. 72, p.453-462, 2012.

FACHINELLO, J. C.; HOFFMANN, A.; NACHTGAL, J. C. Propagação de plantas frutíferas. Embrapa Informações Tecnológicas, Brasília, p. 221, 2005.

FERREIRA, Daniel Furtado. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 35, n. 6, p. 1039-1042, 2011.

HAN, M; LI, S. L.. Seedling techniques of redwood in North America. Hubei Forestry Science and Technology China, v. 44, n. 5, p. 83–84, 2015.

HARTMANN, H. T.; KESTER, D. E.; DAVIES JÚNIOR, F. T.; GENEVE, R. L. Plant propagation: principles and practices. Ed. 7, New Jersey: Prentice-Hall, p.880, 2002.

HOPPE, J.M.. Produção de sementes e mudas florestais, Caderno Didático. Edição 2. Santa Maria, 2004.

JACINTO, R. C.; BRAND, M. A.; CUNHA, A. B.; SOUZA, D. L.; SILVA, M. V.. Utilização de resíduos da cadeia produtiva do pinhão para a produção de pellets para geração de energia. Floresta, Curitiba, v. 47, n. 3, p. 353-363, 2017.

JONES, D. A.; O’HARA, K. L. Carbon density in managed coast redwood stands: Implications for forest carbon estimation. Forestry, v. 85, n.1, p. 99-110, 2012.

LEMOS, L. B.; SOUZA, P. F.; MENEGUZZI, A. NAVROSKI, M. C.; STUANI, G. R.; SILVA, V. V.. “Falha” de pinhas incorporadas no substrato não afetam o crescimento de mudas de Eucalyptus benthamii Maiden & Cambage. In: XII Simpósio Florestal Catarinense, 2016, Lages. Anais XII Simpósio Florestal Catarinense, 2016.

LIMA, C. C.; OHASHI, S. T.. Substrato no enraizamento de estacas provenientes de mudas de Schizolobium parahyba var. amazonicum. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v. 13, n. 23, p. 1270-1282, 2016.

LIU, C.; XIA, X.; YIN, W.; HUANG, L.; ZHOU, J.. Shoot regeneration and somatic embryogenesis from needles of redwood (Sequoia sempervirens (D.Don.) Endl.). Plant Cell Reports, Bruxelas, v. 25, p. 621-628, 2006.

LUNA,T.VegetativePropagationOfCoastalRedwood(Sequoiasempervirens(Lamb.exD.Don)Endl.). Native Plants Journal, Washington, v. 9, n. 1, p. 25-28, 2008.

MANTOVANI, A.; MORELLATO, L. P. C.; REIS, M. S.. Fenologia reprodutiva e produção de sementes em Araucaria angustifolia (Bert.) O. Kuntze. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 27, n. 4, p. 787-796, 2004.

MATTOS, JR. O pinheiro brasileiro. Ed. 2, Lages: Artes Gráficas Princesa LTDA. p. 225, 1994.

MORAES, D. G.; BARROSO, D. G.; FIGUEIREDO, F. A. M. M. A.; SILVA, T. R. C.; FREITAS, T. A. S.. Enraizamento de miniestacas caulinares e foliares juvenis de Toona ciliata M. Roemer. Magistra, Cruz das Almas, v. 26, n. 1, p. 47-54, 2014.

NAVROSKI, M.C.; PEREIRA, M.O.; HESS, A.F.; SILVESTRE, R.; ÂNGELO, A.C.; FAZZINI, A.J.; ALVARENGA, A.A. Resgate e propagação vegetativa de Sequoia sempervirens. Floresta, v. 45, n. 2, p. 383–392, 2015.

PAIVA, H. N.; GOMES, J. M.. Propagação vegetativa de espécies Forestais. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2001.

PEREIRA, M. O; ÂNGELO, A. C.; NAVROSKI, M. C.; DOBNER JÚNIOR, M.; OLIVEIRA, L. M.. Vegetative rescue and rooting of cuttings of different stock plants of Sequoia sempervirens. Cerne, Lavras, v. 23, n. 4, p. 435-444, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/01047760201723042452.

PEREIRA, M. O.; ÂNGELO, A. C.; NAVROSKI, M. C.; NICOLETTI, M. F.; NASCIMENTO, B.; SÁ, A. C. S.; OLIVEIRA, L. M.; LOVATEL, Q. C.. Rooting of mini-cuttings of Sequoia sempervirens using different clones and cultural environments. Bosque, Valdivia, v. 40, n. 3, p. 335-346, 2019. http://dx.doi.org/10.4067/s0717-92002019000300335.

RODRIGUES, L. A.; MUNIZ, T. A.; SAMARÃO, S. S.; CYRINO, A. E.. Qualidade de mudas de Moringa oleifera Lam. cultivadas em substratos com fibra de coco verde e compostos orgânicos. Revista Ceres, v. 63, n. 4, p.545-552, 2016. http://dx.doi.org/10.1590/0034-737x201663040016

TREVISAN, R.; SCHWARTZ, E.; KERSTEN, E.. Capacidade de enraizamento de estacas de ramos de pessegueiro (Prunus persica L.) Batsch) de diferentes cultivares. Revista Científca Rural, Bagé, v. 5, n. 1, p. 29-33, 2000.

WENDLING, I.; FERRARI, M.; DUTRA, L. F. Produção de mudas de corticeira-domato (Erythrina falcata Bentham) por miniestaquia a partir de propágulos juvenis. Colombo: Embrapa Florestas, p.130, 2005.

WENDLING, I.; XAVIER, A. Miniestaquia seriada no rejuvenescimento de clones de Eucalyptus. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 38, n.4, p. 475-480, 2003.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-341

Refbacks

  • There are currently no refbacks.