Ambivalências, heterogeneidades e contradições do discurso de uma companhia da indústria alimentar / Ambivalences, heterogeneities and contradictions in the discourse of a food industry company

Antonio Nilson Alves Cavalcante, Roberta Michele Barbosa Freitas

Abstract


O artigo, ora apresentado, debruça-se sobre os aspectos analíticos em torno da dimensão social de relatórios socioambientais divulgados por uma companhia brasileira da indústria alimentar que assume destaque no nível da economia do país. Nosso objetivo é analisar de que forma podemos avaliar a dimensão social do discurso que é apresentado nesses relatórios socioambientais que constituem o corpus de nosso estudo, de modo a perceber como esses articulam elementos ideológicos diversos, diante das questões de sustentabilidade e aspectos ecológicos. Quanto ao recurso teórico-metodológico, nosso corpus será investigado a partir da Análise de Discurso Crítica, a qual entra em perspectiva com as considerações de certos autores do campo da Linguística Aplicada.

 

 


Keywords


Discurso, ideologia, relatórios socioambientais.

References


BOFF, L. Sustentabilidade: o que é, o que não é. Petrópolis – RJ: Vozes, 2015.

CALLENBACH, Ernest. Ecologia: um guia de bolso. Trad. Dinah de Abreu Azevedo. São Paulo: Peirópolis, 2001.

COELHO, A. L. A. L. et al. “Análise do discurso da sustentabilidade em uma empresa do setor de energia elétrica”. Revista Gestão & Conexões, Vitória, 2012, n. 1, p. 122-158, jul./dez. Disponível em:. Acesso em: 20 agosto 2018.

DALY, H. A economia do século XXI. Trad. de Renato Souza. Porto Alegre, Mercado Aberto, 1984.

FAIRCLOUGH, N. Análise crítica do discurso como método em pesquisa social científica. Trad. Iran Ferreira de Mel. Linha d’Água, v. 2, nº 25, 2012, p. 307-329.

__________. Critical discourse analysis in transdisciplinary research. In: WODAK, R.; CHILTON, P. A New Agenda in (Critical) Discourse Analysis: Theory, Methodology and Interdisciplinarity. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 2005, p. 53-70.

__________. Discurso e mudança social. Trad. Izabel Magalhães (org.) Brasília: Ed. UNB, 2008.

FURTADO, C. Em busca de novo modelo: reflexões sobre a crise contemporânea. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

LARA, L. G. A. de; OLIVEIRA, S. A. de. “A ideologia do crescimento econômico e o discurso empresarial do desenvolvimento sustentável”. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, 2017, nº 2, p. 326-348, abr./jun. Disponível em:. Acesso em: 20 agosto 2018.

MERICO, L. A transição para a sustentabilidade. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

MOITA LOPES, L. P. “Da aplicação da Linguística à Linguística Aplicada indisciplinar”. In: PEREIRA, R. C. e ROCA, P. Linguística Aplicada: um caminho com diferentes acessos. São Paulo: Contexto, 2011, p. 11-24.

__________________. “A transdisciplinaridade é possível em Linguística Aplicada?”. In: SIGNORINI, Inês; CAVALCANTI, Marilda (orgs.). Linguística aplicada e transdisciplinaridade: questões e perspectivas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2007, p. 101-114.

PENNA, C. G. O estado do planeta: Sociedade de consumo e degradação ambiental. 3ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Editora Record, 2012.

PENNYCOOK, A. “Uma linguística aplicada transgressiva”. In: LOPES, Luiz Paulo da Mota (org.). Por uma linguística aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006, p. 67-84.

RAJAGOPALAN, K. Por uma linguística crítica: linguagem, identidade e a questão ética. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-330

Refbacks

  • There are currently no refbacks.