Promoção da empatia para redução de comportamentos agressivos: análise do grupo focal / Promotion of empathy to reduce aggressive behaviors: focus group analysis

Marília Pereira Dutra, Lilian Kelly de Sousa Galvão, Cleonice Pereira dos Santos Camino

Abstract


Este trabalho objetiva avaliar a eficácia do desenvolvimento empático para reduzir comportamentos agressivos na infância. Para tanto, realizou-se uma pesquisa-intervenção com o uso de uma técnica racional-afetiva. Participaram da pesquisa 15 alunos/as, com idades de 9 a 12 anos (M=9,9; DP=0,83), do sexo masculino e do feminino, do 4º ano do ensino fundamental de uma escola pública da Paraíba. No presente estudo, será apresentado os resultados da Análise de Conteúdo dos dados referentes às falas das crianças, produzidas em um grupo focal e registradas em um diário de campo. Esses dados foram organizados em cinco categorias: “Avaliação positiva do programa”, “Aprendizados sobre os diferentes tipos de comportamentos agressivos”, “Percepção de mudanças de sentimentos e comportamentos”, “Ganhos acadêmicos em relação às disciplinas curriculares” e “Percepção de mudanças de comportamento na turma”. De um modo geral, esses resultados demonstram que a promoção da empatia além de favorecer a redução de comportamentos agressivos na infância, pode contribuir com o bem-estar pessoal e social e facilitar a aquisição de habilidades acadêmicas e de habilidades sociais, como o altruísmo. Espera-se que esse estudo possa auxiliar outros profissionais da área na execução de projetos voltados para a fomentação de uma cultura de paz.

 

 


Keywords


Comportamentos agressivos, Empatia, Infância.

References


BARBOSA, G. A. J.; SANTOS, A. A. A.; RODRIGUES, M. C., FURTADO, A. V.; BRITO,N. M. Agressividade na infância e contextos de desenvolvimento: família e escola. Psico, 42 (2), 228-235, 2011.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 1977.

BERMÚDEZ, A. C. Metade dos diretores do país diz que alunos agridem funcionários na escola. UOL, São Paulo, 25 de abril de 2019. Disponível em: . Acesso em: 27 de jun. de 2019.

BRASIL, Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. RESOLUÇÃO Nº 510, de 07 de abril de 2016. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf. Acesso em: 17 jan. 2019.

BRYANT, B. K. An index of empathy for children and adolescents. Child Development, 53, 413-425. 1982.

BUSHMAN, B.J.; HUESMANN, L.R. Agression. In: S.T. FISKE (eds.), Handbook of social psychology. 5ª ed., New York, John Wiley & Sons, p. 833-863, 2010.

BUSS, A. H.; PERRY, M. The aggression questionnaire. Journal of Personality and Social Psychology, 63, 452-459, 1992.

CRUZ, F. M. L.; MACIEL, M. A. „Excluir‟, „xingar‟, „bater‟: sentidos de violência na escola segundo estudantes da Paraíba. Psicologia Escolar e Educacional. 22(2). 291-300, 2018.

DUTRA, M. P. et al. Empatia e comportamento pró-social: intervenção educacional na infância. IV Congresso Nacional de Educação. João Pessoa- PB. Anais IV CONEDU. v.1. 2017. Disponível em: https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/anais.php. Acesso em: 10 ago. 2019.

ELIAS, L.C.S.; MARTURANO, E.M.; MOTTA-OLIVEIRA, A.M.A. Eu posso resolver

problemas: um programa para o desenvolvimento de habilidades de solução de problemas interpessoais. Temas em psicologia, 20(2):521-536, 2012.

FERREIRA, R. A. Brasil lidera ranking de violência contra professores. Jornal da USP, 06 de dez. de 2016. Disponível em: . Acesso em: 27 de jun. de 2019.

GARAIGORDOBIL, M.; GALDEANO, P. G. Empatía em niños de 10 a 12 años. Psicothema, 18; (2): 180-186p., 2006.

GOMES, L. B.; CREPALD, M. A. VIEIRA, M. L.; BIGRAS, M. A percepção de professores acerca da agressividade em pré-escolares. Barbarói (Unisc Impresso), v.37, p. 88-104, 2012. HOFFMAN, M. L. Empathy and moral development: implications for caring and justice. Cambridge, England: Cambridge University Press, 2003.

JUSTI, A.; TAVARES, I. Professor é esfaqueado por aluno dentro de sala de aula no Paraná, diz polícia. G1 PR. RPC Cascavel, 23 de abril de 2019. Disponível em:

. Acesso em: 27 de jun. de 2019.

LANDIM, I.; BORSA, J. C. Revisão sistemática sobre programas de intervenção para redução de comportamentos agressivos infantis. Contextos clínicos. v. 10, p. 110-129, 2017.

MORENO, J.E.; FERNANDES, C. Empatía y flexibilidade yoica, su relación com la agressividade y la prosocialidad. Limite: Revista de Filosofia y Psicologia, 6(23), 41-55, 2011.

MORGAN, D. L. Focus group as qualitative research. London: Sage, 1997.

NITKOWSKI, D.; PETERMANN, F.; BÜTTNER, P.; KRAUSE-LEIPOLDT, C.;

PETERMANN, U. Behavior modification of aggressive children in child welfare: Evaluation of a combined intervention program. Behavior Modification, 33(4):474-492, 2009.

PAVARINO, M. G.; DEL PRETTE, A.; DEL PRETTE, Z. A. P. Agressividade e empatia na infância: Um estudo correlacional com pré-escolares. Interação em Psicologia. v. 9, n. 2, p.215-225, 2005a.

PAVARINO, M. G.; DEL PRETTE, A.; DEL PRETTE, Z. A. P. O desenvolvimento da

empatia como prevenção da agressividade na infância. Psico, 36, 127-134, 2005b.

SOUZA, R.M. Competência social em crianças em idade escolar: um processo de diagnóstico- interventivo. Psicologia em Revista, 16(1-2):165-177, 2007.

TRAD, L. A. B. Grupos focais: conceitos, procedimentos e reflexões baseadas em experiências com o uso da técnica em pesquisas de saúde. Physis, Rio de Janeiro , v. 19, n. 3, p. 777-796, 2009.

VARGAS, A. Dois jovens matam oito pessoas e ferem onze em um ataque suicida contra uma escola pública e uma locadora. Revista Istoé. São Paulo, 15 de mar. de 2019. Disponível em:

. Acesso em: 27 de jun. de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-326

Refbacks

  • There are currently no refbacks.