Vulvovaginites durante a gestação - importância do tratamento imediato / Vulvovaginites during pregnancy - importance of immediate treatment

Ana Karollaine da Silva de Holanda, Karleandro Pereira do Nascimento, Rafhael Fonseca, Kamila Elen Alves Nogueira, Thecia Larissa da Silva Ribeiro, Dara Barbosa dos Santos, Karolaine da Silva Quirino, José Gudenberg Nogueira de Souza

Abstract


As vulvovaginites são caracterizadas pela inflamação da vagina, vulva e ectocérvice, que provocam sintomas nas mulheres como disúria, dispareunia de introito e apresentam corrimento vaginal geralmente amarelado e fétido. O presente trabalho tem como objetivo analisar a produção cientifica referentes as vulvovaginites que mais acometem as gestantes e identificar as consequências para mãe e para o feto advindas do não tratamento precoce. Diante disso, o estudo trata-se de uma revisão de literatura tendo como base os principais sites de pesquisa científicas como: Bireme, LILACS, Sciello e MEDLINE. Sendo selecionados artigos dos últimos 7 anos. Foi notável durante as pesquisas que as vulvovaginites apresentam uma prevalência considerável durante o período gestacional. Para evitar suas sequelas tanto paras as mães quantos para os fetos, é necessário uma investigação durante as consultas de pré-natal, para que seja possível um diagnóstico precoce. Portanto, conclui-se que a vulvovaginite é considerado um problema de saúde pública que merece uma atenção especial.  Essa atenção não deve ser negligenciada durante a assistência do pré-natal, pois já é comprovado cientificamente suas complicações para a mãe e para o feto, além das grandes chances de se evitar sequelas quando diagnosticado e tratado precocemente.


Keywords


Infecções vaginais, Gravidez, Pré-natal.

References


ALVES, J. et al. Exame colpocitológico (papanicolau): O conhecimento das mulheres sobre o preventivo no combate do câncer de colo do útero. Revista Faculdade Montes Belos (FMB), v. 9, n. 2, p. 125-141, 2016.

BONFANTI, G.; GONÇALVES, T. L. Prevalência de gardnerella vaginalis, candida spp. e trichomonas vaginalis em exames citopatológicos de gestantes atendidas no Hospital Universitário de Santa Maria- RS. Revista Saúde, Santa Maria, v. 36, n. 1, p.37-46, jan/jun, 2010.

BROCKLEHURST P, GORDON A, HEATLEY E, MILAN SJ. Antibiotics for treating bacterial vaginosis in pregnancy. Cochrane Database Syst Rev., v. 1. 2013.

BRAVO, R.S.; GIRALDO, P.C.; CARVALHO, N.S.; GABIATTI, J.R.E.; VAL, I.C.C.; GIRALDO, H.P.D.; PASSOS, M.D.L. Tricomoníase Vaginal: o que se Passa?. DST - J bras Doenças Sex Transm. Rio de Janeiro, v. 22, n. 2, p. 73-80. 2010.

COSTA, M.C; AZULAY D. Doenças sexualmente transmissíveis na gestação: uma síntese de particularidades. Anais brasileiros de dermatologia, Rio de Janeiro, v. 85, n. 6, p. 767-85, nov/dez. 2010.

LIMA, T. M.; TELES, L.M.R.; OLIVEIRA, A.M.; CAMPOS, F.C.; BARBOSA, R.C.C.; PINHEIRO, A.K.B.; DAMASCENO, A.K.C. Corrimentos vaginais em gestantes: comparação da abordagem sindrômica com exames da prática clínica da enfermagem. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo 2013; 47(6).

LIMA, M. C. L.; ALBUQUERQUE, T. V.; BARRETO, A. C.; REHN, V. N. C. Prevalência e fatores de risco independentes à tricomoníase em mulheres assistidas na atenção básica. Acta Paul Enferm, v. 26, n. 4, p. 331-337, 2013.

MEIRELES, J. F. F.; NEVES, C. M.; CARVALHO, P. H. B.; FERREIRA, M. E. C. Imagem corporal de gestantes: associação com variáveis sociodemográficas, antropométricas e obstétricas. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., v. 37, n. 7, p. 319-324, 2015.

MILHOMENS, P.M.; MACHADO, M.C.A.M.; MORAES, F.C.; BORGES, K.R.A.; DINIZ, M.R.F. Prevalência dos agentes etiológicos das vulvovaginites através de resultados de exames citopatológicos. Rev. Invest. Biomédica, São Luís, 6: 92-102, 2014.

NUNES, R. D.; FRANÇA, C. O.; TRAEBERT, J. L. Prevalência de vulvovaginites na gestação e sua associação com complicações perinatais. Arq. Catarin Med., v. 47, n. 1, p. 121-132, 2018.

PEREIRA, K. G. P. et al. Atenção à saúde da mulher no pré-natal. Revista Brasileira de Educação e Saúde, v. 5, n. 4, p. 01-08, 2015.

SILVA, J.C.; DEGLMANN, R.C.; COSTA, J.G.; GIACOMETTI, C. Relação entre vaginose bacteriana e prematuridade. FEMINA-FEBRASGO, v.38, n.2, p. 80-2. Rio de Janeiro, fev., 2010.

SILVEIRA, R. S. O. Construção de uma tecnologia em saúde para aumento da adesão de gestantes ao exame Papanicolau. 2017. 49 f. Monografia (Graduação) - Centro Universitário Católica de Quixadá, Quixadá/CE, 2018.

SOUZA, G. N.; VIEIRA, T.C.S.B.; CAMPOS, A.A.S.; LEITE, A.P.L.; SOUZA, E. Tratamento das vulvovaginites na gravidez. FEMINA- FEBRASGO, Rio de Janeiro, v. 40, n. 3, p. 126-8, maio-jun., 2012.

URSI, E. S. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. 2005. 130 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, 2005.

ZIMMERMMANN, J. B. et al. Frequência e etiologia de fluxos genitais na gravidez. Rev Fac Ciênc Méd Sorocaba, v. 21, n. 2, p. 65-68, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-322

Refbacks

  • There are currently no refbacks.