Capacitação em Farmacologia e Toxicologia na Atenção à Saúde com uso de metodologias ativas: Relato de experiência / Training in Pharmacology and Toxicology in Health Care using active methodologies: Experience report

Thiago Carlos Brendo Polveiro da Silva, Alexandre Apolo da Silva Coelho, Rogério Valois Laurentino, Ozélia Sousa Santos, Luis Antônio Loureiro Maués, Aline Andrade de Sousa, Leonardo de Oliveira Rodrigues da Silva, Ademir Ferreira da Silva Júnior

Abstract


A farmacologia é uma ciência em constante renovação e de descobertas científicas para os profissionais de saúde com conteúdo extenso, complexo e com forte apelo social, tendo como desafio a mudança na educação desses profissionais para atender a essa demanda. O objetivo do presente estudo é relatar a experiência de discentes de medicina sobre a utilização de metodologias ativas de aprendizagem em um curso de extensão sobre Farmacologia e Toxicologia na Atenção à Saúde, de um Programa de educação permanente em saúde no âmbito da formação e da educação continuada, da Universidade Federal do Pará (UFPA), ocorrido no segundo semestre de 2019. Trata-se de estudo descritivo, tipo relato de experiência, onde docentes da Faculdade de Medicina da UFPA utilizaram metodologias ativas de aprendizagem para contextualização dos conhecimentos com aplicações na atenção à saúde, divididos em três módulos e com as metodologias de aprendizagem listadas no quadro. A experiência relatada pelos discentes participantes mostrou que as metodologias ativas de aprendizagem foram ferramentas importantes para o aprendizado de gestão do trabalho em equipe, o desenvolvimento da capacidade de mediação, resolução de problemas, criticidade, autonomia e a relação teoria e prática, dentro das temáticas que envolvem as ciências farmacológicas, atendendo as suas expectativas em relação às metas de aprendizagem.


Keywords


Ensino, Farmacologia, Metodologias ativas.

References


AFONSO, M.L. Oficinas em dinâmica de grupo: um método de intervenção psicossocial. Editora Casa do psicólogo, ISBN: 8573964561, 172p. 2000.

AMIAMA-ESPAILLAT, C. & MAYOR-RUIZ, C. Digital Reading and Reading Competence – The influence in the Z Generation from the Dominican Republic. Comunicar (em espanhol). 25 (52): 105–114. ISSN 1134-3478. 2017.

ARAÚJO A.L.A., PEREIRA L.R.L., UETA J.M., FREITAS O. Perfil da assistência farmacêutica na atenção primária do Sistema Único de Saúde. Ciência Saúde Coletiva. 2008 abr;13 Suppl:S611-7.

BARBIERO A.J.C., HONORATO A.A., VIEIRA C.F., SILVA G.T.G., FERREIRA I.M., SILVA L.F.L., BARREIROS L.L., SILVA M.L.F.L., SEGHETO W., FONTES L.B.A. Percepção dos acadêmicos de medicina sobre a metodologia de aprendizagem baseada em equipes na disciplina de farmacologia. Revista Científica Fagoc Saúde, vol II, 43-49, 2017.

BARROS F.F., GUEDES J., ZERBINATTI L.F., RIBEIRO E.R. Emprego de metodologias ativas na área da saúde nos últimos cinco anos: revisão integrativa, Rev. Espaço para a Saúde. Dez.;19(2):108-119. 2018.

BEHRENS, Marilda Aparecida. A prática pedagógica e o desafio do paradigma emergente. Revista Brasileira de Estudos de Pedagogia, Brasília, v. 80, n. 196, p.383-403, set/dez. 1999.

BERGMANN, J., & SAMS, A. Flip your classroom: Reach every student in every class every day. Eugene, OR: International Society for Technology in Education. 2012.

BORGES, M.C. et al. Aprendizagem Baseada em Problemas. Revista Medicina (Ribeirão Preto), 47(3): 301-307. 2019.

BOROCHOVICIUS, E. & TORTELLA, J.C.B. Aprendizagem Baseada em Problemas: um método de ensino-aprendizagem e suas práticas educativas. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.22, n. 83, p. 263-294, abr./jun. 2014.

DELPHINO, et al., A utilização de metodologias ativas em cursos superiores para uma aprendizagem significativa. Innovando en educación superior: experiencias clave en latinoamérica y el caribe 2016-2017. volumen 3: Integración de tic’s. Chile. 2017.

EBBESEN J., BUAJORDET I., ERIKSSEN J., BRØRS O., HILBERG T., SVAAR H. Drug-related deaths in a department of internal medicine. Arch Intern Med. 2001 Oct; 161(19):2317-23.

FERREIRA R., MOROSINNI M. Metodologias ativas: as evidências da formação continuada de docentes no ensino superior. Rev. Docência Ens. Sup., Belo Horizonte, v. 9, 1-19, e002543, 2019.

FONTANA N.S., PARISE M.R. Monitoring of basic and clinical pharmacology: an experience report. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 5, n. 11, p. 26332-26336, nov. 2019.

GUEDES-GRANZOTTI, et al. Metodologias Ativas e as Práticas de Ensino na Comunidade: sua importância na formação do Fonoaudiólogo. Distúrbios Comun, São Paulo, v. 27 n.2 pp. 369-374, março, 2015.

LIMBERGER, J.B. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem para educação farmacêutica: um relato de experiência. Comunicação Saúde Educação v.17, n.47, p.969-75, out./dez. 2013.

LOPES, C. DE S. & ARAUJO, M. A. N. Os benefícios da aprendizagem baseada em problemas para os universitários da área da saúde: uma revisão bibliográfica. Revista Eletrônica Acervo Saúde, n. 40, p. e1695, 21 fev. 2020.

MARINE, D.C. Avaliação da experiência de estudantes de farmácia no componente curricular de farmacologia com a utilização da metodologia de aprendizagem baseada em tarefas. Foco, Nº 5, 89-110, jul/dez 2013.

MARQUES, L.M.N.S.R. As Metodologias Ativas como Estratégias para Desenvolver a Educação em Valores na Graduação em Enfermagem. Revista Escola Anna Nery, 22(3): 20180023. 2018.

MAZUR, E. Peer instruction: getting students to think in class. AIP Conference Proceedings. v. 399, n. 1, p. 981-988, mar. 1997.

MEIRINHOS, M. & OSÓRIO, A. O estudo de caso como estratégia de investigação em educação. EDUSER: revista de educação. Vol 2(2), 2010.

MICHAELSEN, L.K., KNIGHT, A.B., FINK, L.D. Team-Based Learning: A Transformative Use of Small Groups in College Teaching. Sterling, VA: StylusPublishing, LLC, 2004.

MORAN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Vol. II. 2015.

NOVAK, J. D. & GOWIN, D. B. Aprender a aprender. Lisboa, Plátano Edições Técnicas. 1996.

PARRAT-DAYAN, S. A discussão como ferramenta para o processo de socialização e para a construção do pensamento. Educ. rev., Belo Horizonte , n. 45, p. 13-23, jun. 2007.

RODRIGUES, C.S., SPINASSE, J.F., VOSGERAU, D.S.R. Sala de aula invertida - Uma revisão sistemática. EDUCERE: XII Congresso Nacional de Educação. Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: PUC-PR. 2015.

ROEHL, A., REDDY, S.L., SHANNON, G.J. The Flipped Classroom: An Opportunity To Engage Millennial Students Through Active Learning Strategies. JFCS. v. 10 5. nº 2. 2013.

SEIXAS, E.P.A., ARAÚJO, M.V.P., BRITO, M.L.A., FONSECA, G.F. Dificuldades e desafios na aplicação de metodologias ativas no ensino de turismo: Um estudo em Instituição de Ensino Superior. Revista Turismo - Visão e Ação - Eletrônica, Vol. 19 - n. 3 - set. - dez. 2017.

SILVA G.M., ARAUJO M.I.O., LIMA S.V.M.A., MENEZES R.R., MATOS T.S. Metodologias ativas no ensino em ciências da saúde na visão dos estudantes de graduação. Horizontes, v. 36, n. 3, p. 176-186, set./dez. 2018.

SOUZA J., SOUZA J.M.M., COSTA T.G., PASE C.S. importância da monitoria de farmacologia no curso de medicina: contribuição para o processo de ensino-aprendizagem. Anais do 10º salão internacional de ensino, pesquisa e extensão – SIEPE Universidade Federal do Pampa | Santana do Livramento, 6 a 8 de novembro de 2018.

STRAYER, J. E. The effects of the classroom flip on the learning environment: A comparison of learning activity in a traditional classroom and a flip classroom that used an intelligent tutoring system. Doctoral dissertation. The Ohio State University. Retrieved from http://search.pro quest.com/docview/304834174. 2007.

VIERA M.A.L., OLIVEIRA L.L., MENDES I.C. Metodologia ativa/aprendizagem baseada em equipes (team-based learning): um relato de experiência. Encontro de extensão, docência e iniciação cientifica, Centro Universitário Católica de Quixadá, 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-319

Refbacks

  • There are currently no refbacks.