Aspectos e potencialidades biológicas do gênero Croton (Euphorbiaceae)/ Biological aspects and potentialities of the genus Croton (Euphorbiaceae)

Denis Florêncio Gomes Cavalcanti, Diocielma Maria da Silveira, Gabriela Cavalcante da Silva

Abstract


Introdução: O gênero Croton configura o segundo maior da família Euphorbiaceae abrangendo 1200 espécies distribuídas majoritariamente na região centro americana, destas 300 em média são comuns no Brasil. As espécies Croton heliotropiifolius, Croton sonderianus e Croton grewioides conhecidas como velame, mameleiro e canelinha de cheiro respectivamente, são conhecidas pela população local e são facilmente encontradas e identificadas devido ao cheiro agradável que exalam. Tal odor é atribuído aos óleos essenciais presentes nas espécies, os quais são atribuídas a maioria das suas atividades terapêuticas. Esta pesquisa relata as principais atividades terapêuticas. Objetivo: Realizar um levantamento na literatura sobre as propriedades terapêuticas do gênero Croton com ênfase nas espécies Croton heliotropiifolius, Croton sonderianus e Croton grewioides. Metodologia: Trata-se de uma revisão literária, em que utilizou-se de 40 artigos, publicados nas bases de dados Science Direct, na biblioteca eletrônica Scientific Electronic Library Online (SciELO), Pubmed e Periódico Capes, com recorte temporal entre os anos 2002 até 2020. Resultados: Este estudo relata as seguintes atividades biológicas para as espécies pesquisadas: Croton heliotropiifolius ações, antibactericida, antifúngica, antioxidante, ação inibidora de acetilcolinesterase (AChE), antiparasitária de uso animal, carrapaticida, inseticida, ovicida, larvicida, nematicida e poder alelopático, vale salientar que Croton heliotropiifolius de acordo com a literatura, toxicidade de moderada a grave. À Croton sonderianus foi relatada ações gastroprotetoras, anti-inflamatória, antinoceptiva, ao passo que à Croton grewioides são citadas ações antitumoral, antioxidante, antimicrobiana, antidiarreica, atividade moduladora de resistência a antibiótico, além de efeito tóxico dos óleos essenciais e potencial larvicida, inseticida e fulmigante. Conclusão: O gênero cróton constituem uma grande fonte de metabólitos bioativos que podem converter-se em protótipos de novos medicamentos de custo acessível devido ao uso de um recurso natural, como matéria-prima.


Keywords


Fitoterapia, Toxicidade, Fitoquímicos, Croton.

References


AMARAL, J. F.Atividade antiinflamatória, antinociceptiva, e gastroprotetora do óleo essencial de croton sonderianus muell. arg. 2004.

ANGÉLICO, E. C. Avaliação das Atividades Antibacteriana e Antioxidante de Croton heliotropiifolius Kunte e Croton blanchetianus Baill. 2011. Tese de Doutorado. Master Thesis, Universidade de Campinas Grande-PB.

AQUINO, V. V. F., COSTA, J. G. M., ANGÉLICO, E. C., MEDEIROS, R. S., LUCENA, M. D. F. A., RODRIGUES, O. G. Metabólitos Secundários e ação antioxidante de Croton heliotropiifolius e Croton blanchetianus. Acta Brasiliensis, Campina Grande, Patos, Paraíba,, v. 1, n. 3, p. 28-31, set. 2017.

ARAÚJO, H. M. D. EFICIÊNCIA INSETICIDA DE CROTON SONDERIANUS MUELL SOBRE SITOPHILUS ZEAMAIS: CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. 2018.

BOCHNER, R., FISZON, J. T., ASSIS, M. A., AVELAR, K. E. S. Problemas associados ao uso de plantas medicinais comercializadas no Mercadão de Madureira, município do Rio de Janeiro, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 14, n. 3, p. 537-547, 2012.

BRITO, S. S. S. et al. Croton argyrophyllus Kunth and Croton heliotropiifolius Kunth: Phytochemical characterization and bioactive properties. Industrial Crops and Products, v. 113, p. 308-315, 2018.

CAMPOS, R. N. S. et al. Óleos essenciais de plantas medicinais e aromáticas no controle do carrapato Rhipicephalus microplus. 2012.

CAMPOS, S. C. et al. Toxicidade de espécies vegetais. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 18, n. 1, p. 373-382, 2016.

CARVALHO, J. M. et al., AVALIAÇÃO CITOTÓXICA DAS FOLHAS DE CROTON HELIOTROPIIFOLIUS KUNTH (EUPHORBIACEAE). Conapesc, Recife, v. 1, n. 1, p. 1-8, ago. 2018.

COSTA, A. C. V. et al. Perfil químico e atividade antibacteriana in vitro e em matriz alimentar do óleo essencial de Croton rhamnifolioides Pax & Hoffm. 2011.

CZELUSNIAK, K. E. et al. Farmacobotânica, fitoquímica e farmacologia do Guaco: revisão considerando Mikania glomerata Sprengel e Mikania laevigata Schulyz Bip. ex Baker. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 14, n. 2, p. 400-409, 2012.

DIAZ, M. A. N. et al. Triagem de plantas medicinais para atividades antibacterianas em cepas de Staphylococcus aureus isoladas de mastite bovina. Revista Brasileira de Farmacognosia , v. 20, n. 5, p. 724-728, 2010.

DUARTE, E. C. C. et al., Manejo de herbicidas no controle de plantas daninhas e sua influência 72 no crescimento e produção do milho híbrido AG 1051. Revista AGROTEC – v. 37, n. 1, p. 71-80, 2016. ISSN: 0100-7467.

FIGUEIREDO, W. R. S. et al. Bioactivity of oil from Croton grewioides on the control of mediterranean fruit fly. Engenharia Ambiental, Campina Grande, v. 7, n. 4, p. 113-118, dez. 2010.

FILHO, J. A. et al. Chemical composition and antibacterial activity of essential oil from leaves of Croton heliotropiifolius in different seasons of the year. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 27, n. 4, p. 440-444, 2017.

FIRMO, W. C. A. et al. Contexto histórico, uso popular e concepção científica sobre plantas medicinais. Cadernos de pesquisa, 2012.

LIMA, R. S. et al. Extratos aquosos de Annona spp. E Croton heliotropiifolius sobre Scutellonema bradys e prospecção química dos compostos. Summa Phytopathologica, v. 45, n. 2, p. 223-224, 2019.

MAGALHÃES, C. R. I. et al. Potencial inseticida de óleos essenciais sobre Triboliumcastaneum em milho armazenado. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 17, n. 4, p. 1150-1158, 2015.

MEDEIROS, V. M. de et al. Chemical composition and modulation of bacterial drug resistance of the essential oil from leaves of Croton grewioides. Microbial Pathogenesis, João Pessoa, v. 111, p. 468-471, out. 2017.

NASCIMENTO, J. C. Estudo químico e avaliação biológica de Piper klotzschianum Kunth (Piperaceae) e Cróton grewioides Baill (euphorbiaceae). 2011.

NAVAS, R.; PEREIRA, M.R.R. Efeito alelopático de Raphanus sativus em Urochloa decumbens e Lactuca sativa. REVISTA AGRO@ MBIENTE ON-LINE, v. 10, n. 3, p. 228-234, 2016.

OLIVEIRA, A. P. R. Efeito do Óleo Essencial do Croton sonderianus Muell. Arg. sobre o Trato Gastrointestinal. 2008.

QUEIROZ, M. M. F. et al. Antifungals and acetylcholinesterase inhibitors from the stem bark of Croton heliotropiifolius. Phytochemistry Letters, v. 10, p. lxxxviii-xciii, 2014.

RIINA, R.; BERRY, P. E.; VAN, E. E.; BENJAMIN, W. Molecular phylogenetics of the dragon's blood Croton section Cyclostigma (Euphorbiaceae): A polyphyletic assemblage unraveled. Systematic Botany, v. 34, n. 2, p. 360-374, 2009.

SALATINO, A.; SALATINO, M. L. F., NEGRI, G. Traditional uses, chemistry and pharmacology of Croton species (Euphorbiaceae). Journal of the Brazilian Chemical Society, v. 18, n. 1, p. 11-33, 2007.

SANTOS FILHO, L. C. et al. Efeito de extratos de Croton spp. Sobre Scutellonem abradys e Pratylenchus sp. e caracterização fitoquímica de extratos de C. heliotropiifolius. 2019.

SILVA, A. D. S. et al. Croton growioides Baill. (Euphorbiaceae) mostra atividade antidiarreica em ratos. Pharmacognosy Research, Paraíba, v. 8, n. 3, p. 202-205,2016.

SILVA, C. B. et al. SILVA, Chryslane Barbosa da et al. Determinação do potencial alelopático e composição química de extratos vegetais da espécie Croton heliotropiifolius Kunth no controle de Bidens pilosa (L.) e Digitaria insulares (L.) Fedde. 2018.

SILVA, C. G. V et al. Composition and insecticidal activity of the essential oil of Croton grewioides Baill. against Mexican bean weevil (Zabrotes subfasciatus Boheman). Journal of Essential Oil Research, v. 20, n. 2, p. 179-182, 2008.

SILVA, J. A. G. et al., Atividade tóxica in vitro de Croton heliotropiifolius Kunth (Euphorbiaceae). Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, [s.l.], v. 13, n. 1, p. 112-115, 1 jan. 2018.

SILVA, J. A. G. Investigação fitoquímica e biológica de folhas do Croton heliotropiifolius Kunth (euphorbiaceae). 2017. 76 f. Dissertação (pós-graduação) - Curso de Morfotecnologia, Universidade Federal de Pernambuco Centro de Biociências Programa de Pôs-graduação em Morfotecnologia, Recife, 2017.

SILVA, J. S. et al. Sinopse das espécies de Croton L.(Euphorbiaceae) no estado de Pernambuco, Brasil. Acta BotanicaBrasilica, v. 24, n. 2, p. 441-453, 2010.

SILVA, J. S.; SALES, M. F.; CARNEIRO-TORRES, D. S. O gênero Croton (Euphorbiaceae) na microrregião do Vale do Ipanema, Pernambuco, Brasil. Rodriguésia, [s.l.], v. 60, n. 4, p.879-901, dez. 2009.

SILVA, N. L. A.; MIRANDA, F. A. A.; CONCEIÇÃO, G. M. Triagem fitoquímica de plantas de Cerrado, da área de proteção ambiental municipal do Inhamum, Caxias, Maranhão. Scientia Plena, v. 6, n. 2, 2010.

SILVA, V. A. et al. Antimicrobial efficacy of the extract of Croton sonderianus Müll. on bacteria that cause dental caries. Revista de Odontologia da UNESP, v. 40, n. 2, p. 69-72, 2013.

SOUSA, T. K. G. Avaliação da atividade antitumoral e toxicidade do óleo essencial das folhas de Croton grewioides (Euphorbiaceae). 2014.

TAPONDJOU, A. L. et al. Bioatividades do cimol e óleos essenciais de Cupressus sempervirens e Eucalyptus saligna contra Sitophilus zeamais Motschulsky e Triboliumconfusumdu Val. Journal of Stored Products Research , v. 41, n. 1, p. 91-102, 2005.

TENÓRIO, R. F. L. Atividade biológica in vitro de extratos de Commiphora leptophloeos (Mart.) JB Gillett, Ziziphus joazeiro Mart., Croton heliotropiifolius Kunth, Abarema cochliacarpos (Gomes) Barneby & Grimes e Eugenia uniflora L. contra ixodídeos, culicídeos e nematoid. 2017.

VEIGA JUNIOR, V. F.; PINTO, A. C.; MACIEL, M. A. M. Plantas medicinais: cura segura? Química nova, v. 28, n. 3, p. 519-528, 2005.

XAVIER, M. V. A. et al. Toxicidade e repelência de extratos de plantas da caatinga sobre Tetranychus bastosi Tutler, Baker & Sales (Acari: Tetranychidae) em pinhão-manso. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 17, n. 4, p. 790-797, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-280

Refbacks

  • There are currently no refbacks.