Câncer colorretal com obstrução em alça fechada e ruptura do ceco: um relato de caso / Colorectal cancer with closed loop obstruction and cecum rupture: a case report

Thaís Ribeiro Garcia, Louinne Ribeiro Issa Teixeira, Miguel Carlos Azevedo Cruz, Rafaela Melo Macedo, Eduardo Francisco Cardoso, Jalsi Tacon Arruda

Abstract


O câncer colorretal (CCR) refere-se a neoplasia que afeta toda a extensão do cólon. Já o câncer do retossigmoide refere-se a presença de neoplasia na porção final do cólon sigmoide e reto. O CCR apresenta alta incidência em todo o mundo, atingindo a faixa etária de 35 a 80 anos. Os principais fatores de risco para a doença são a alimentação gordurosa e deficiente em fibras, consumo frequente de bebidas alcóolicas, idade acima de 50 anos e história de pólipos colorretais ou de doenças inflamatórias do intestino. O diagnóstico da doença pode ser realizado por pesquisa de sangue oculto nas fezes e colonoscopia. O tratamento pode ser cirúrgico, quimioterapia e radioterapia, usadas isoladas ou associadas, a depender da história clínica do paciente. O presente estudo tem como objetivo relatar um caso clínico de câncer no retossigmoide, evoluindo com obstrução em alça fechada com ruptura do ceco. A paciente apresentou evolução pouco comum do câncer de retossigmoide. Tal quadro clínico propiciou diversas complicações no caso e a paciente infelizmente foi a óbito. Os dados descritos podem contribuir com os conhecimentos sobre essa patologia, implicações envolvidas, formas de diagnóstico, terapêutica e prognóstico.


Keywords


Câncer de retossigmoide, Diagnóstico, Neoplasia, Prognóstico.

References


Belhamidi MS, Sinaa M, Kaoukabi A, et al. Profil épidémiologique et anatomopathologique du cancer colorectal: à propos de 36 caswe [Epidemiological and pathological profile of colorectal cancer: about 36 cases]. Pan Afr Med J. 2018;30:159. doi:10.11604/pamj.2018.30.159.15061

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Falando sobre câncer do intestino. Instituto Nacional de Câncer, Sociedade Brasileira de Coloproctologia, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn, Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva, Sociedade Brasileira de Cancerologia, Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica. - Rio de Janeiro: INCA, 2003. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/publicacoes/Falando_sobre_Cancer_de_Intestino.pdf. Acesso em: 18/04/2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Instituto Nacional de Câncer. INCA. Câncer de intestino. Biblioteca Virtual da Saúde, Ministério da Saúde. 2019. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/folder/cancer_intestino.pdf. Acesso em: 18/04/2020.

Crespo SJV, Marchiori E, Mendes LF. Obstrução em alça fechada com ruptura do ceco: obstrução em alça fechada com ruptura do ceco: aspectos na tomografia computadorizada – relato de um caso. Radiol Bras, 2001, maio-jun;34(3):187-189.

De Oliveira AR, De Oliveira AR, Brandão LB, Barbalho AP, Maia LMO, Passos MAT. A importância da colonoscopia nas doenças inflamatórias intestinais. Revista de Saúde. 2019, jan./jun.; 10(1)Supp.: 08-12.

Mehta A, Goswami M, Sinha R, Dogra A. Histopathological Significance and Prognostic Impact of Tumor Budding in Colorectal Cancer. Asian Pac J Cancer Prev. 2018;19(9):2447-2453. doi:10.22034/APJCP.2018.19.9.2447

Oliveira MM, Latorre MRDO, Tanaka LF, Rossi BM, Curado MP. Disparidades na mortalidade de câncer colorretal nos estados brasileiros. Rev. Bras. Eepidemiol. 2018;21:e180012. doi:http://dx.doi.org/10.1590/1980-549720180012.

Pedrosa LCS, Silva OS, Guilherme FJA, Souza DC, Santos MSS. Cuidados de enfermagem ao paciente com câncer de retossigmóide e uso de ileostomia: estudo de caso. Revista Rede de Cuidados em Saúde, 2015;9(2):1-4.

Silva M, Errante P.R. Câncer colorretal: fatores de risco, diagnóstico e tratamento. Revista UNILUS Ensino e Pesquisa, 2016;13(33):133-140.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-278

Refbacks

  • There are currently no refbacks.