Estado neoliberal e juventudes / Neoliberal state and yougster

Rodrigo Ferreira de Moraes, Jaqueline do Nascimento Rodrigues Pinto, Benedita Alcidema C.S. Magalhães

Abstract


Este texto propõe analisar a inserção das “juventudes” da classe trabalhadora na sociedade capitalista, compreendendo o capitalismo e a luta de classes como questões fundamentais para definir a identidade destas juventudes na sociedade moderna. Para isso realizou-se pesquisa bibliográfica, destacando autores que debatam o conceito de juventude, Estado e Neoliberalismo, tendo como método de análise o materialismo histórico dialético. Este estudo proporcionou uma maior reflexão acerca da posição da juventude perante as condições de produção capitalista num espaço marcado pelas contradições próprias da luta de classes. Toma o Estado capitalista e o neoliberalismo enquanto instrumentos de perpetuação do Capital em detrimento ao trabalho e essa situação como definidora da condição juvenil, determinando especificidades à parcela trabalhadora das juventudes. Neste sentido, faz-se necessário a ruptura com o capital para que as juventudes da classe trabalhadora possam ter a possibilidade de transformação radical de sua vida.


Keywords


Capitalismo, Estado Neoliberal, Juventudes.

References


AZEVEDO, Janete M. Lins de. A educação como política pública. 3. Ed.-Campinas, SP: Autores Associados, 2004. -(Coleção polêmicas do nosso tempo: vol.56)

ARAÚJO, R. M. de L; ALVES. João. P da C. Juventude, Trabalho e Educação: questões de diversidade e classe das juventudes na Amazônia. Acesso em: set 2014.Disponível em :http://www.anpae.org.br/simposio26/1comunicacoes/RonaldodeLimaAraujo-Comunicacao Oral-int.pdf.

BRASIL. Lei 12.852, de 5 de agosto de 2013. Institui o Estatuto da Juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e diretrizes das políticas públicas de juventude e o Sistema Nacional de Juventude - SINAJUVE.

CARNOY, Martin. Educação, economia e Estado: base e superestrutura: relações e mediações. 3. Ed./ Martin Carnoy; [ tradução Dagmar M. L.Zibas].-São Paulo: Cortez ; Autores Associados,1987 .

DAYRELL, J. A escola "faz" as Juventudes? Reflexões em torno da socialização. Educ.Soc., Campinas, vol.28, n.100-Especial, p.1105-1128, Out. 2007. Disponível em http;//www.cedes.univamp.br

______ CARRANO, Paulo; MAIA Carla Linhares, (orgs). Juventude e ensino médio: sujeitos e currículo em dialogo - Belo Horizonte: Editora: UFMG, 2014

FRIGOTTO, G. Estrutura e sujeitos e os fundamentos da relação trabalho e educação In: LOMBARDI, J.C, SAVIANI, D. e SANFELICE, J. (Org.). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas SP: Autores associados, 2002.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Juventude, trabalho e educação no Brasil: perplexidades, desafios e perspectivas. In: NOVAES, Regina; Vannuchi, Paulo (org.) Juventude e Sociedade. Trabalho, Educação, Cultura e Participação. São Paulo; Fundação Perseu Abramo, 2004.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A produtividade da escola improdutiva: um (re)exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. 9ª ed. São Paulo: Cortez, 2010.

LEFEBVRE, Henri. Lógica Formal/Lógica Dialética. Tradução: Carlos Nelson Coutinho. 5ª ed. RJ: Civilização Brasileira.1991.

MARX, K e ENGELS, F. Manifesto do partido comunista. Tradução de Sueli Tomazini Barros Cassal.-Porto Alegre; L&M, 2008.

PERONI, Vera. Política educacional e papel do Estado: no Brasil dos anos 1990 São Paulo: Xamã, 2003

ROTTA, Edemar; REIS, Carlos Nelson do. Desenvolvimentismo e políticas sociais: apontamentos para o debate em curso. In: Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n.6, p.33716-33739 jun. 2020.

SOUZA, Jessé. A cegueira do debate Brasileiro sobre as classes sociais. Artigo acesso em Dezembro de 2014 em http://interessenacional.uol.com.br/index. Php/edicoes-revista/a-cegueira-do-debate-brasileiro-sobre-as-classes-sociais/

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2013/. Acesso Set. de 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-260

Refbacks

  • There are currently no refbacks.