Socialização e comunicação em libras com música na escola / Socialization and communication in libras with music in school

Luciana R. de Melo, Juliana M. Bussolotti

Abstract


A inclusão do indivíduo surdo no ensino regular em sala de ouvintes, faz com que todos envolvidos no desenvolvimento escolar tenham que buscar formas para se relacionar com as pessoas que dependem de uma comunicação visual gestual, sendo assim a Libras uma língua fundamental para que a comunicação aconteça. Para tanto, este estudo tem por objetivo realizar troca de prática pedagógica em aulas de libras em duas escolas do Litoral Norte de São Paulo. De cunho teórico de pesquisa bibliográfica, relata vivencias por meio de atividades escolares, a partir das quais foi possível a construção de um texto científico que traz para este diálogo as práticas pedagógicas desenvolvidas nos diferentes modelos de educação de surdos por meio das abordagens: Oralismo, Comunicação Total e Bilinguismo.  Também foi realizada uma pesquisa ação, em que duas docentes puderam realizar troca de experiências por intermédio de recursos tecnológicos. A partir de um projeto de socialização e comunicação de crianças surdas na escola, o desafio é fazer com que todas as crianças das diversas séries do período em que as crianças surdas estão matriculadas possam participar do projeto e ampliar a outras escolas de um Município do Litoral Norte de São Paulo.


Keywords


Comunicação, Inclusão, Libras.

References


BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Livraria Porto, 1994.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017.

/livro.pdf. Acesso em: Maio 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. A Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC, 2008. Disponível em: http://peei.mec.gov.br/arquivos/politica_nacional_educacao_especial. Acesso em Maio 2020.

BRASIL. Plano de Desenvolvimento da Educação: razões, princípios e programas, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/livro

CREPALDE, Roselene. Jogos, brinquedos e brincadeiras. Curitiba: IESDE Brasil S.A, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto Nº 5626 de 2005; regulamenta a Lei Nº 10.436, 24 de abril de 2002. Brasília: MEC, 2005.

BRASIL. Lei Nº 12.319/2010, de 01 de setembro de 2010. Regulamenta a profissão de Tradutor e Intérprete de Libras. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/lei/112319.thm. Acesso em Maio de 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo:Paz e Terra. 1996.

GAUTHIER, C.; BISSONETTE, S.; RICHARD, M. Ensino explícito e desempenho dos alunos. Petrópolis, Vozes: 2014. Cap. 6 e 7

GAUTHIER, C.; BISSONETTE, S.; RICHARD, M. Ensino explícito e desempenho dos alunos. Petrópolis, Vozes: 2014. Cap. 4 e 5

GESSER, A. Libras? Que língua é essa? Crenças e preconceitos em torno da língua de

sinais e da realidade surda. Ed: Parábola. São Paulo, 2009.

IZQUIERDO, I. Memória. Porto Alegre: ArtMed, 2011. Cap.1: O que é a memoria.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 9.ed. São Paulo: Cortez;Brasília, DF: UNESCO, 2004.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: BACICH, L.; MORAN, J. (Org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.p.1-25.

MITRE, S.M. et al . Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, supl. 2, p. 2133-2144, Dec. 2008. Available from

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232008000900018&Ing=en&nrm=iso

OLIVEIRA, Mari Angela Calderari. Intervenção Psicopedagógica na Escola. 2ª edição. Curitiba. IESDE Brasil S.A. 2009.

OLIVEIRA, Eloiza da Silva Gomes de. (et al) Tópicos especiais em educação inclusiva. Curitiba/PR:IESDE Brasil, 2014.

O ENSINO EXPLÍCITO: Um meio para tornar eficaz nosso saber pedagógico – entrevista com Clermont Gauthier

file:///C:/Users/Anna/AppData/Local/Packages/Microsoft.MicrosoftEdge_8wekyb3d8bbwe/TempState/Downloads/24491-77353-1-PB%20(2).pdf

PACHECO, José. Aprender em comunidade. São Paulo: Edições SM, 2014.

PADILHA, Paulo Roberto. Planejamento dialógico: como construir o projeto político-pedagógico da escola. 4. ed. São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire. 2003 (Guia da escola cidadã; v.7)

PRETTO, N.; ASSIS, A. Cultura digital e educação: redes já. In: PRETTO, N.; SILVEIRA, A. (Org.). Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder. Salvador: EDUFBA, 2008.

ROLDÃO, M.C. Estratégias de ensino: o saber e o agir do professor. Vila Nova de Gaia, Portugal: Fundação Manuel Leão, 2010. Cap.IV

SILVA, Daniel Vieira da; HAETINGER, Max Gunther. Ludicidade e psicomotricidade. Curitiba, PR: IESDE Brasil, 2013.

Souza, Mariana Aranha de. [Org.] Currículo e suas diversidades de práticas e de abordagens / Mariana Aranha de Souza (Org.), Suzana Lopes Salgado Ribeiro (Org.) - Taubaté/SP: Ed Unitau, 2018. 320p.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e linguagem. Tradução Jéferson Luiz Camargo; revisão técnica José Cipolla Neto. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

VYGOSTKY , Lev Semyonovich . Obras escogidas II: pensamiento y lenguaje conferencias sobre psicología . Madrid : Machado Grupo de Distribución , 2014 .




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-223

Refbacks

  • There are currently no refbacks.