O ensino de botânica por meio de sequência didática: uma experiência no ensino de ciências com aulas práticas / The teaching of botany through didactic sequence: an experience in teaching science with practical classes

Maria da Conceição Pereira Barbosa, Josivan Washington M. dos Santos, Flávia Carolina Lins da Silva, Betânia Cristina Guilherme

Abstract


As aulas do ensino de ciências ainda são estruturadas na metodologia tradicional. Nas aulas de botânica percebemos que esse problema gera a falta de motivação nos educandos, pois faltam interação, e participação direta no do processo de construção do conhecimento. Para a botânica, determinados conteúdos representam verdadeiros desafios para serem ministrados, e o docente precisa além das aulas teóricas com aplicação de conceitos, interagir com os discentes utilizando outras metodologias. A partir dessa problemática elaboramos uma proposta de intervenção composta por uma sequência didática, tendo como base aulas práticas, onde os educandos participaram ativamente do processo de construção do conhecimento. Tendo como objetivo registrar a importância das aulas práticas de botânica para a construção do conhecimento dos estudantes do ensino fundamental. A pesquisa foi realizada com 58 estudantes do 7º Ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Ministro Jarbas Passarinho, situada em Camaragibe-PE. O trabalho é de natureza qualitativa e para a coleta de dados utilizamos a aplicação de um questionário pré e pós-realização da sequência didática com atividades práticas, onde os educandos desenvolveram o processo reprodutivo e evolutivo das briófitas e pteridófitas, através de aulas práticas. Os resultados encontrados evidenciaram que, os mesmos, tinham dificuldades na compreensão desses dois grupos de plantas, porém, a sequência didática desenvolvida colaborou com a construção do conhecimento dos estudantes, através dos trabalhos realizados pelos mesmos. Consideramos que o objetivo proposto foi alcançado, pois os educandos refletiram criticamente, e produziram as atividades relacionando o conhecimento prévio com o conhecimento científico, internalizando uma aprendizagem significativa.

 


Keywords


Sequência didática, Aulas práticas, Aprendizagem significativa.

References


ALVES, S. M. Freire e Vigotski: um diálogo entre a pedagogia freireana e a psicologia histórico-cultural. Chapecó: Argos, 2012.

AUSUBEL, D. Aquisição e retenção de conhecimentos: Uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Editora Plátano. .2003

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico: contribuições para uma psicanálise do conhecimento. Tradução Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro:Contraponto, 1996.

BERBEL, N. A. N. Metodologia da problematização: uma alternativa metodológica apropriada para o ensino superior.Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 16, n. 2, ed. esp., p. 9-19, out. 1995.

BITENCOURT, I. M. A. Botânica no Ensino Médio: Análise de uma Proposta Didática baseada na Abordagem CTS. 2013. Dissertação (Mestrado); Universidade Estadual do sudoeste da Bahia, Jequié/BA. 2013.

BRITO, A.E.R.M.; PÔRTO, K.C. Guia de Estudos de Briófitas: briófitas do Ceará. Fortaleza, EUFC. 2000.

CHAVES, B.E. Pteridófitas: as primeiras plantas vasculares. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – CCS CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Disponível em: . Acessado em: 13/07/2019.

DUTRA, V. F.; IGLESIAS, D. T.; CHAGAS, A. P.; THOMAZ, L. D. Biologia das plantas vasculares Botânica 2. Universidade Federal do Espírito Santo Secretaria de Ensino a Distância. Vitória, 2015.

FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Moraes, 1980.

FREITAS, J. F.; ALMEIDA, D. A. S.; CAVALCANTE, F. S.; LIMA, R. A. O ensino-aprendizagem de briófitas em uma escola pública do município de Porto Velho-RO. Biota Amazônia ISSN 2179-5746. Macapá, v. 8, n. 4, p. 42-44, 2018.

GRADSTEIN, S.R., et all., Guide to the Bryophytes of Tropical America. Memoirs of The New York Botanical Garden V. 86: Ed. Board, 2001.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas. 2008

G. Fernando. Projeto Teláris. 2 ed. São Paulo: Ed. Ática, 2015.

GOFFINET, B.; SHAW, A. J. Bryophyte Biology. NewYork: Cambridge University Press. 2009. GRADSTEIN, S.R., CHURCHILL, S.P. & SALAZAR-ALLEN, N. Guide to the bryophytes of Tropical America. Memoirs of the New York Botanical Garden 86: 1-577. 2001.

HALLINGBÂCK, T.; HODGETTS, N. Mosses, liverworts & hornworts: a status survey and conservation action plan for bryophytes. IUCN, Gland. 2000.

KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. 4. ed. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 2011.

MOURA, R. M. Professor reflexivo no ensino de ciências utilizando a sequência didática interativa. In: VI Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade. Anais do Educonse, São Cristovão, Sergipe, 2012.

MOREIRA, M. A. A teoria do desenvolvimento cognitivo de Piaget. In: MOREIRA, M.A. Teorias de aprendizagem. São Paulo: EPU. 1999. p.95-107.

MOUL, R. A. T. M; LINS, F. C. L. S. Construção de conceitos em botânica a partir de uma sequência didática interativa: proposições para o ensino de Ciências. Revista Exitus, Santarém/PA, Vol. 7, N° 2, p. 262-282, 2017.

OLIVEIRA, M. M. Círculo hermenêutico-dialético como sequência didática interativa, Interfaces Brasil / Canadá, v. 11, n. 1, p. 235 – 251, 2011.

OLIVEIRA, M. M.. Sequência didática interativa no processo de formação de professores. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

PARANÁ, Diretrizes curriculares da educação básica. Ciências. Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Paraná, 2008.

NOGUEIRA, A. C. O. Cartilha em quadrinhos: um recurso dinâmico para se ensinar botânica. In: ENCONTRO “PERSPECTIVAS DO ENSINO DE BIOLOGIA”,6., 1997, São Paulo. Coletânea. São Paulo: USP, 1997. p. 248-249.

PAVIN, M. E. Briófitas: diversidade e importância. 2001. UniCEUB, Brasília. Disponível em: Acesso em: 02 dez. 2013.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS, T. Tratado da argumentação: a nova retórica.

São Paulo: Martins Fontes, 2005.

RAVEN, P.H.; EVERT R.F.; EICHHORN, S.E. Biologia Vegetal. 8ª ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan. 2014.

SILVA, S. C. G. M.; OLIVEIRA, M. M. Sequência didática interativa trabalhada como proposta CTS com a temática aquecimento global para a Educação Básica, Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 33, n. 1, p. 345 – 364, 2016.

SILVA, L. H. A.; ZANON, L. B. A experimentação no ensino de ciências. In: SCHNETZLER, R. P.; ARAGÃO, R. M. R. (Orgs.). Ensino de Ciências: fundamentos e abordagens. Piracicaba: CAPES/UNIMEP, 2000.

SILVA, J. N.; GHILARD-LOPES, N. P. Botânica no Ensino Fundamental: diagnósticos de dificuldades no ensino e da percepção e representação da biodiversidade vegetal por estudantesRevista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol. 13, Nº 2, 115-136 (2014).

SILVA, P. G. P. O Ensino da Botânica no Nível Fundamental: um enfoque nos procedimentos metodológicos. Baurú: UNESP, 2008. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência), Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, 2008.

SOUSA, J. L. DA S.; TAVARES, S. I. R.; DIAS, T. M. DE L.; SILVA, W. A.; SILVA, J. J.; SILVA, M. J.; MONTEIRO, M. G. M. B. MELO, V. C. F.; CORREIA, J. M. Abordagem experimental: construção do conhecimento científico acerca do conteúdo de modelo cinético químico molecular. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n.6, p. 35255-35269. 2020.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002. 3ª Edição. TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VIEIRA, S. A.; OHIRA, M. A. Sequência didática para o ensino de briófitas. In: Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE (Artigos) v.1, 2013.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Tradução de Ernani F. da F. Rosa. Porto Alegre: Artmed, 1998.

WINDISCH, P. G. Pteridófitas da Região Norte-Ocidental do Estado de São Paulo: Guia para excursões. 2a ed. Campus de São José do Rio Preto - SP: UNESP. 1990.

ZANON, D. A. V.; FREITAS, D. A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental: ações que favorecem a sua aprendizagem. Rio de Janeiro, 2007. Ciências & Cognição. V. 10, n. 1, p. 93 – 103.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-217

Refbacks

  • There are currently no refbacks.