A influência do tempo após o tratamento de sementes de soja sobre a sua geminação em Mineiros – Goiás / The influence of time after the treatment of soybean seeds on its twining in Mineiros – Goiás

Vinicius Oliveira Sousa, Rogério Machado Pereira, Ricardo Gomes Tomáz, Glicélia Pereira Silva, Joaquim Júlio de Almeida Junior, Diego Oliveira Ribeiro, Adriano Bernardo Leal

Abstract


A produção de soja tem aumentado a cada ano que se passa e ocupa um papel de destaque na economia brasileira. Porém, os produtores de soja possuem vários desafios para produzir de forma eficiente. Dentre estes desafios pode se destacar a questão do tratamento de semente que visa controlar pragas e patógenos que podem prejudicar a germinação e desenvolvimento da cultura no campo. Neste contexto, este trabalho teve por objetivo avaliar diferentes tempos após o tratamento de sementes de soja realizado com os produtos Power Seed New, Cruiser 350 FS e Apron RFC na dosagem de 100 ml de cada produto para cada 100 Kg de semente. Os tratamentos realizados consistiram na variação do tempo de plantio das sementes após receberem o tratamento com os produtos fitossanitários listados acima em 12, 24; 48, 72 horas e a testemunha que consistiu no plantio das sementes sem o tratamento com os produtos. Em cada tratamento avaliou se a altura de plantas, diâmetro de caule e comprimento de raízes após 15 dias do plantio. Com as variáveis avaliadas foi obtido a média, o erro padrão de cada uma e foram submetidas a Analise de Variância e posteriormente comparadas pelo teste Tukey a 5% pelo software SISVAR. Os dados obtidos revelaram que não existem efeitos negativos no desenvolvimento da cultura à medida que ocorre o aumento do tempo entre o tratamento de sementes e a realização do plantio das sementes tratadas. Dessa forma, esse trabalho permite desmitificar que à medida que o tempo passa após o tratamento de sementes o produtor perde a qualidade das suas sementes.

 

 


Keywords


Adaptabilidade, Glycine max, Armazenamento, Sanidade.

References


CAMILO, Giselli L. et al. Qualidade fisiológica de sementes de soja durante o armazenamento após revestimento com agroquímicos. Rev. de Ciências Agrárias, Lisboa, v. 40, n. 2, p. 180-189, jun. 2017. Disponível em . acessos em 22 set. 2019. http://dx.doi.org/10.19084/RCA16145.

CONAB. Acompanhamento da safra brasileira de grãos. Brasília: Conab, v. 1, n.1, 2018.

DAN, Lilian Gomes de Moraes et al. Qualidade fisiológica de sementes de soja tratadas com inseticidas sob efeito do armazenamento. Rev. bras. sementes, Londrina, v. 32, n. 2, p. 131-139, June 2010. Available from .acces on 21 Sept. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222010000200016.

MARTINS, J. F. S.; BOTTON, M.; CARBONARI, J. J. Efeito de inseticidas no tratamento de sementes e na água de irrigação no controle de Oryzophagus oryzae (Costa Lima), em arroz irrigado. Revista Brasileira de Agrociência, v. 2, p. 27-32, 1996.

BAUDET, L.; PESKE, F. Aumentando e desempenho das sementes. Seed News, Pelotas, v. 9, n. 5, p. 22-24, 2007. Disponível em: . Acesso em: 5 fev. 2016.

SILVA, M.T.B. Inseticidas na proteção de sementes e plantas. Seed News, v.2, n.5, p.26-27, 1998.

GIANASI, L. et al. Eficiência do fungicida captan associado a outros fungicidas no tratamento químico de sementes de soja. Summa Phytopathologica, v. 26, n. 2, p. 241-245, 2000.

HUNGRIA, M.; CAMPO, R. J.; MENDES, I. C. Fixação biológica do nitrogênio na cultura da soja. Londrina: Embrapa Soja, 2001. 48 p.

BRANDELERO, E. M.; PEIXOTO, C. P.; RALISCH, R. Nodulação de cultivares de soja e seus efeitos no rendimento de grãos. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 30, n. 3, p. 581-588, 2009.

LANTMANN, A. F. Nutrição e produtividade da soja com molibdênio e cobalto. Brasília: Embrapa, 2002. (Coletânea Rumos e Debates). Disponível em: . Acesso em: 11 dez. 2011.cesso em: 20 de novembro de 2018.

SANTOS, C.S.A. Capim Mandu submetido à inoculação com bactérias diazotróficas associativas em Latossolo vermelho de Cerrado. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias e Tecnológicas). Universidade Federal de Mato Grosso. Rondonópolis: UFMT, 2013, p.69




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-186

Refbacks

  • There are currently no refbacks.