Valores Pessoais e Significados Atribuídos ao Trabalho por Concludentes de Administração Pública / Personal Values and Meanings Attributed to Work by Public Administration Students

Fabiana Pinto de Almeida Bizarria, Alexandre Oliveira Lima, Maria Aparecida da Silva, Antônia Karoline Torres Silveira

Abstract


A pesquisa parte da questão: como os significados atribuídos ao trabalho, em função das expectativas advindas com o termino do curso, refletem valores pessoais de discentes de administração pública? Para tanto, foram analisadas 23 entrevistas com concludentes de uma Instituição de Ensino Superior do Ceará. As categorias analíticas e empíricas que balizam o estudo são os valores pessoais, em seus dois polos (Abertura a Mudança versus Conservadorismo e Autotranscedência versus Autopromoção) e Significados do trabalho (Auto-expressão, Desgaste e desumanização, Responsabilidade, Recompensas e independência econômica e Condições materiais). Em torno de expectativas da transição para vida adulta, o Contexto de vida agregou seis códigos (Desafios, Dignidade, Existência humana, Honestidade, Responsabilidade e Flexibilidade). Em relação à transição Universidade-Mercado de trabalho, o Contexto de trabalho reuniu seis códigos (Competências, Equipe, Qualidade de vida, Justiça distributiva, Reconhecimento e Qualificação). Foram codificadas expectativas de recompensa emocional e financeira (Instrumentalidade), e preocupações em torno da Sociedade, em atenção ao Desenvolvimento econômico e social, às Normas sociais e ao Altruísmo. Constatou-se maior relação entre significações e valores de autopromoção, ao passo que recompensa emocional, contexto de trabalho e de vida apontam necessidades de realização e experiências efetivo-emocionais no trabalho. O valor segurança reflete um importante volume de citações, ao passo que a conclusão do curso suscita preocupações relacionadas à estabilidade financeira e de como projetos de vida-trabalho podem garantir subsistência.

 

 


Keywords


Empregabilidade, Universitários, Autopromoção, Estabilidade Financeira, Realização.

References


ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 2ed. São Paulo: Boitempo, 2009.

BANDEIRA-DE-MELLO, R.; SILVA, A. B. (Org.). Pesquisa Qualitativa em Estudos Organizacionais: Paradigmas, Estratégias e Métodos. São Paulo: Saraiva, 2006.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BAUER; M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: Um manual prático. 5ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

BORGES, L. de O.; ÁLVARO, J. L. O Psicólogo e as relações de trabalho. In.: BORGES, L., de O., MOURÃO, L. O trabalho e as organizações: atuações a partir da psicologia. Porto Alegre: Artmed, 2013.

BORGES, L. de O.; YAMANOTO, O. H. O mundo do trabalho In.: ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; BASTOS, A. V. B (Org.). Psicologia, organização e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

BORGES, L. O. A estrutura fatorial dos atributos valorativos e descritivos do trabalho: Um estudo empírico de aperfeiçoamento e validação de um questionário. Estudos de Psicologia, v. 4, n. 1, pp. 107-139, 1999.

BORGES, L. O.; ALVES FILHO, A. A mensuração da motivação e do significado do trabalho. Estudos de Psicologia, v. 6, n. 2, pp. 177-194, 2001.

BORGES, L.; de O.; ALVES-FILHO, A.; TAMAYO, A. Motivação e significado do trabalho. In.: SIQUEIRA, M. M. M e col. Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2008.

CAMPOS, B. A. Estrutura de valores relativos ao trabalho: um estudo em empresas juniores. In.: TEIXEIRA, M. L. M. Valores Humanos & Gestão: novas perspectivas. São Paulo: Editora Senac, 2008.

CHANLAT, J. F. Quais carreiras e para qual sociedade? (II). Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 36, n. 1, mar. 1996.

COSTA, L. V. Construção e validação de uma escala de percepção de sucesso na carreira. Revista de Carreiras Pessoas – RECAPE, v. 3, n. 1 jan./fev./mar./abr./ 2013.

DUARTE, M. de F.; SILVA, A. L. A reconstrução da carreira em ambientes de trabalho em transformação. Organização & Sociedade, Salvador, v. 20, n. 67, dez. 2013.

GBADAMOSI, G.; CARL EVANS, C.; RICHARDSON, M.; RIDOLFO, M. Employability and students’ part-time work in the UK: does self-efficacy and career aspiration matter? British Educational Research Journal, v. 41, n. 6, pp. 1086–1107, December 2015.

GOUVÊA, R. Q. Da filosofia dos valores a uma ciência dos valores. In.: TEIXEIRA, M. L. M. Valores Humanos & Gestão: novas perspectivas. São Paulo: Editora Senac, 2008.

GRAD, H. A influência da experiência ocupacional: escala de valores e significados do trabalho em quatro grupos ocupacionais. In.: TEIXEIRA, M. L. M. Valores Humanos & Gestão: novas perspectivas. São Paulo: Editora Senac, 2008.

HOFSTADE, G. Culture and Organizations. International Studies of Management & Organization, v. 10, . 4, 1981.

INGUSCI, E.; MANUTI, A.; CALLEA, A. Employability as mediator in the relationship between the meaning of working and job search behaviours during unemployment. Electronic Journal of Applied Statistical Analysis, v. 9, n. 1, pp. 1-16, abr. 2016.

ITKIN, D. Career beginnings for business majors. Occupational Outlook Quarterly, v. 52, n. 4, pp. 24– 33, 2008.

JUDGE, T. A.; CABLE, D. M.; BOUDREAU, J. W.; BRETZ, R. D. An empirical investigation of the predictors of executive career success. Personnel Psychology, v. 48, n. 3, pp. 485-519, 1995.

KOEN, J.; KHLEHE, U.; VAN VIANEN, A. E. M. Training career adaptability to facilitate a successful school-to-work transition. Journal of Vocational Behavior, v. 81, n. 3, pp. 395-408, 2012.

LASSANCE, M. C.; SARRIERA, J. C. Carreira e saliência dos papéis: Integrando o desenvolvimento pessoal e profissional. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 10, n. 2, pp. 15-31, 2009.

LEMOS, C. G.; BUENO, J. M. H.; SILVA, P. L. da; GENICOLO, V. C. Referenciais de carreira e identidade profissional em estudantes universitários. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 27, n. 2, jun. 2007.

MAGALHÃES, M. de O.; BENDASSOLLI, P. F. Desenvolvimento de carreira nas organizações. In.: BORGES, L., de O., MOURÃO, L. O trabalho e as organizações: atuações a partir da psicologia. Porto Alegre: Artmed, 2013.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2007.

MOW. INTERNATIONAL RESEARCH TEAM. The meaning of working. London: Academic Press, 1987.

PORTO, J. B. ; PILATI, R. Escala revisada de Valores Relativos ao Trabalho (EVT-R). Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 23, n. 1, 2010.

PORTO, J. B.; TAMAYO, A. Valores no trabalho. In.: SIQUEIRA, M. M. M. e col. Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2008.

ROCHA, J. B.; KUBO, E. K. M.; LEITE, N. R. P.; FARINA, M. C.; OLIVA, E. C. Percepção de Sucesso na Carreira da Mulher Executiva Brasileira. Revista de administração da Unimep, v. 12, pp. 47-72, 2014.

RODRIGUES, A. L.; BARRICHELLO, A.; MORIN, E. M. Os sentidos do trabalho para profissionais de enfermagem: um estudo multimétodo. Revista de Administração de Empresas – RAE, v. 56, n. 2, Mar-Abr. 2016.

RODRIGUES, M. Os valores mudam ao longo da carreira? Um estudo sobre a mudança percebida na hierarquia dos valores do trabalho. In.: TEIXEIRA, M. L. M. Valores Humanos & Gestão: novas perspectivas. São Paulo: Editora Senac, p. 197-211, 2008.

ROHM, R. H. D.; LOPES, N. F. O novo sentido do trabalho para o sujeito pós- moderno: uma abordagem crítica. Cadernos EBAPE.BR, v. 13, v. 2, janeiro, abr./ jun. 2015.

ROKEARCH, M. Chance and Satability in American Value Systems. Public Opnion Quaterly, v. 38, n. 2, 1974.

ROS, M.; GRAD, H. O significado do valor trabalho relacionado à experiência ocupacional: uma comparação entre professores primários e estudantes do CAP. In.: TAMAYO, A.; PORTO, J. B. (Org.). Valores e comportamento nas organizações. Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

SCHOOLER, C; MULATU, M. S.; OATES, G. Occupation self-direction, intelectual functioning, and self-directed orientation in order workers: findings and implications for individuals and societies. American Journal of Sociology, v. 110, n. 1, 2004.

SCHWARTZ, S. An Overview of the Schwartz Theory of Basic Values. Online Readings in Psychology and Culture, v. 2, n. 1, 2012.

SCHWARTZ, S. H. Are there universal aspects in the structure and contents of human values? Journal of Social Issues, v. 50, n. 4, p. 19-45, 1994.

SCHWARTZ, S. H. Há aspectos universais na estrutura e no conteúdo dos valores humanos? In.: ROS, M.; GOUVEIA, V. V. Psicologia social dos valores humanos: desenvolvimentos teóricos, metodológicos e aplicados. São Paulo: Editora Senac, 2006.

SCHWARTZ, S. H. Universals in the content and structure of values: Theoretical advanced and empirical tests in 20 countries. Advanced in experimental social psychology, v. 25, p.1-65, 1992

.

SCHWARTZ, S. H. Valores humanos básicos: seu contexto e estrutura intercultural. In.:

SCHWARTZ, S. H.; BARDI, A. Value hierarchies across cultures: Taking a similarities perspective. Journal of Cross Cultural Psychology, v. 32, n. 3, pp. 268-290. 2001.

SILVA, C. S. C. da; TEIXEIRA, M. A. P. Experiências de Estágio: Contribuições para a Transição Universidade-Trabalho. Paidéia (Ribeirão Preto), Ribeirão Preto, v. 23, n. 54, abr. 2013.

SILVA, N.; ZANELLI, J. C.; TOLFO, S. da R. Diagnóstico e gestão da cultura nas organizações. In.: BORGES, L. de O.; MOURÃO, L. O trabalho e as organizações: atuações a partir da psicologia. Porto Alegre: Artmed, 2013.

TAMAYO, A. Contribuições ao estudo dos valores pessoais, laborais e organizacionais. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 23, n. spe, 2007b.

TAMAYO, A. Hierarquia de valores transculturais e brasileiros. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 23, n. spe, 2007a.

TEIXEIRA, M. L. M; MONTEIRO, R. S. Valores pessoais no ambiente de negócios. In.: TEIXEIRA, M. L. M. Valores Humanos & Gestão: novas perspectivas. São Paulo: Editora Senac, 2008.

TYMON, A. The student perspective on employability. Studies in Higher Education, v. 38, n. 6, pp. 841–856, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-184

Refbacks

  • There are currently no refbacks.