Factors that interfere with decision making in the face of resource shortages / Fatores que interferem na tomada de decisão frente à escassez de recursos

Karla Rona Silva, Shirlei Moreira da Costa Faria, Sara Moura Martins, Marina Lanari Fernandes, Jéssica CristinaAbuid Magalhães, Fátima Ferreira Roquete

Abstract


This is an exploratory study with a qualitative approach using the narrative technique strategy with 25 health professionals, aiming to describe the factors that directly interfere in decision making in the face of resource scarcity. The study identified that the management processes, the organizational culture, the professionals' lack of understanding about the scope of the Emergency Care Unit, feelings of helplessness, lack of empowerment and discomfort in professional practice interfere with decision making. It is concluded that it is necessary to intervene through professional training, improvements in the management process and health monitoring for this professional.

 

 


Keywords


Health resource allocation. Decision-making. Resource management. Bioethics

Full Text:

PDF

References


Vasconcelos MM. A necessidade de priorizar o atendimento à pacientes: análise Bioética dos argumentos utilizados por médicos na aplicação de recursos limitados na área da saúde. 2010. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós- Graduação da Escola Nacional de Saúde Pública e Fundação Instituto Oswaldo Cruz: Rio de Janeiro; 2010.

O’dwyer GO, Oliveira SP, Seta MH. Avaliação dos serviços hospitalares de emergência do programa QualiSUS. Revista Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro. v. 14, n.5, p. 1881-1890, nov. /dez. 2009 [acesso em 02/02/2019]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v14n5/30.pdf http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000500030.

Ministério da Saúde (Brasil). Manual Instrutivo da Rede de Atenção às Urgências e Emergências no Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília, 2013 [acesso em 12 de fev. 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_instrutivo_rede_atencao_urgencias.pdf.

Randown RMV; et al. Práticas gerenciais em unidades de pronto atendimento no contexto das redes de atenção à saúde. Revista de Administração em Saúde, São Paulo. v. 16, n. 64, jul. /set. 2014 [acesso em: 03/01/2019]. Disponível em http://www.cqh.org.br/portal/pag/doc.php?p_ndoc=1500. DOI: 10.5327/Z1519-1672201400640002.

Freitas EEC, Schramm FR. A moralidade da alocação de recursos no cuidado de idosos no centro de tratamento intensivo. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, São Paulo, v. 21, n. 4, p. 432-436, out/dez. 2009.

Gonçalves, et al. Reflection and interaction: a new perspective to the teaching of nursing by means of living learning. Online Brazilian Journal of Nursing, Rio de Janeiro. v.6, n. 2, p. 1-8, 2007 [acesso em: 31/01/2019]. Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/j.1676-4285.2007.581. https://doi.org/10.17665/1676-4285.2007v6n2.

Gil AC. Como elaborar projetas de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

Minayo MCS. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21 ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

Ministério da Saúde/Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Resolução 466/2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 13 jun. 2012. Seção 1, p. 59.

Rosas MA, Bezerra AFB, Neto PJD. Uso das redes neurais artificiais na aplicação de metodologia para alocação de recursos da saúde. Revista de Saúde Pública, São Paulo. v. 47, n. 1, p. 128-136, fev. 2013.

Ministério da Saúde (Brasil). Portaria n. 1601 de 7 de julho de 2011. Estabelece diretrizes para a implantação do componente Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24h) e o conjunto de serviços de urgência 24 horas da Rede de Atenção às Urgências, em conformidade com a Política Nacional de Atenção às Urgências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 08 jul. 2011. Seção 1, p. 70-72.

Marin J, Ribeiro CDM. Problemas e conflitos bioéticos da prática em equipe da Estratégia Saúde da Família. Revista Bioética, Brasília. v. 26, n.2, p. 291-301. abr./jun. 2018 [acesso em 05/02/2019]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bioet/v26n2/1983-8042-bioet-26-02-0291.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/1983-80422018262250.

Junges JR. Revista Bioética, Brasília. v. 23, n. 2, p.163-171, abr./jun.2018 [Acesso em: 03/02/2019].Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bioet/v26n2/1983-8042-bioet- 26-02-0163.pdf. Doi: 10.1590/1983-80422018262236.

Ministério da Saúde (Brasil). Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 20 set. 1990. Seção 1, p. 18055.

Beauchamp TL, Childress JF. Princípios de Ética Biomédica. São Paulo: Loyola, 2002.

Silva KR, et al. Tomada de decisão em situação de recursos escassos: uma discussão bioética. In: XII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 2015. Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: SEGET, 2015. p. 1-8 [acesso em 03/02/2019]. Disponível em: https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos15/8122199.pdf.

Senado Federal (Brasil). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 19 jul. 2005. Seção 1, p. 26.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-136

Refbacks

  • There are currently no refbacks.