Gestão de resíduos sólidos – Implantação da conteinerização no município de Capela do Alto – SP / Solid waste management - Implementation of conteinerization in the municipality of Capela do Alto - SP

Mayara Domingues de Moraes

Abstract


A urbanização das cidades, o crescimento populacional e o consumo desenfreado têm contribuído para o aumento da produção de resíduos sólidos urbanos (RSU). O descarte por sua vez segue a mesma linhagem da produção, porém de maneira incorreta na maior parte do tempo, causando grandes influências no ar, água e solo. (FADINI; FADINI, 2001)  

Hoje os brasileiros descartam cerca de 76 milhões de toneladas de lixo, a qual 30% poderia ser reaproveitado, mas apenas 3% é encaminhado a reciclagem. Em cerca de dez anos, o número de municípios que aderiram os programas de reciclagem passou de 81 para 900. Um em cada três lares no país realizam a separação do resíduo orgânico do seletivo. Um valor baixo em relação a quantidade de municípios existentes no Brasil (GLOBO, 2015).

Diante de toda problemática gerada pelo descarte inadequado dos resíduos, buscou-se medidas para o gerenciamento dessa questão. A conteinerização surge como uma medida preventiva para a gestão adequada dos resíduos sólidos. O simples armazenamento dos resíduos que são descartados nos contentores até o momento da retirada, evitando que os mesmos fiquem expostos, além da otimização no serviço de coleta e operação (CONTEMAR AMBIENTAL, 2017).


Keywords


Resíduos Sólidos. Armazenamento Adequado. Gerenciamento de Resíduos.

References


CONTEMAR AMBIENTAL. Coleta Mecanizada. Disponível em: . Acesso em: 25 de Agosto de 2017.

FADINI, P. S.; FADINI, A. A. B. Lixo: desafios e compromissos. Disponível em: . Acesso em: 28 de Agosto de 2017.

GLOBO. Apenas 3% de todo o lixo produzido no Brasil é reciclado. Disponível em: . Acesso em: 27 de Agosto de 2017.

GERBI, Monique. Diagnóstico dos resíduos sólidos urbanos no município de Passo Fundo com ênfase na conteinerização. 2014. 76 páginas. Monografia, Engenharia Ambiental, Unesp – Sorocaba.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-135

Refbacks

  • There are currently no refbacks.