Diagnóstico de Saúde dos Trabalhadores em uma Empresa Agropecuária do Vale do São Francisco: Um relato de experiência / Diagnosis of Workers' Health in an Agricultural Company in the São Francisco Valley: Experience report

Diogo Siqueira Leite, Viviane de Araújo Gouveia, Wellington Manoel da Silva

Abstract


Identificar o perfil de saúde ampliada dos trabalhadores em uma empresa Agropecuária do Vale do São Francisco. Estudo descritivo, do tipo relato de experiência de um estágio, vivenciado por meio do Programa de Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade, com abordagem quali-quantitativa, desenvolvido em dois polos de uma empresa agropecuária no Estado de Pernambuco. Durante o estágio foi realizada coleta de dados secundários a partir da consulta ao banco de informações socioeconômicas, ambientais e de saúde referentes a 400 trabalhadores. A experiência do estágio possibilitou identificar que a maioria dos trabalhadores da empresa correspondeu ao sexo masculino, com média de idade de 33 anos, classificaram-se como não brancos, com renda de 1 salário mínimo. Quanto às comorbidades, a maioria referiu problemas dentários (79,2%), Hipertensão (8,6%), Problemas renais (8,6%). Em relação aos hábitos de risco à saúde, a maioria referiu Etilismo (52,6%) e Sedentarismo (46,2%). Quanto ao acesso ao serviço de saúde, cerca de 70% dos pesquisados informaram que utilizam o Serviço Único de Saúde (SUS). A maioria dos trabalhadores apresentaram acesso ao SUS para atendimento de saúde. Porém, os indivíduos utilizavam a combinação entre o uso do SUS e o sistema privado. para atendimentos relacionados aos serviços odontológicos.


Keywords


Diagnóstico da situação de saúde, Promoção da saúde, Saúde do Trabalhador, Medicina de Família e Comunidade.

References


BAGYURA, Z., et al. Cardiovascular screening program in the Central Hungarian region. The Budakalász Study. Orvosi hetilap. 2014; 155(34):1344-1352.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção em Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária à Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Projeto da Saúde. As Cartas da Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

DANTAS, R. C. O., et al. Determinantes do controle da pressão arterial em homens assistidos na atenção primária à saúde. Revista O Mundo da Saúde. 2016; 40(2):249-256.

FLORINDO, A. A. Epidemiology of leisure, transportation, occupational, and household physical activity: prevalence and associated factors. Journal of Physical Activity and Health. 2009; 6:625-32.

HALLAL, P.C. Tendências temporais de atividade física no Brasil (2006-2009). Revista brasileira de epidemiologia. 2011;14(Supl. 1):53-60.

IMADA, K.S., et al. Fatores socioeconômicos, higiênicos e de saneamento na redução de diarreia na Amazônia. Revista de Saúde Pública. 2016; 50:1-11.

JIANG, B., et al. Hypertension detection, management, control and associated factors among residents accessing community health services in Beijing. Scientific reports. 2014; 4:45-48.

KLEBA, M.E., et al. Estimativa rápida participativa como ferramenta de diagnóstico na estratégia saúde da família. Revista Grifos. 2015; 38/39:159-177.

KNUTH, A.G. Prática de atividade física em brasileiros: Resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) – 2008. Ciências e Saúde Coletiva. 2011; 16(9):3697-3705.

MALTA, D.C., et al. Diferenciais dos fatores de risco de Doenças Crônicas não Transmissíveis na perspectiva de raça/cor. Ciências e Saúde Coletiva. 2015; 20(3):713-25.

MALTA, D.C. et al. Padrão de atividade física em adultos brasileiros: resultados de um inquérito por entrevistas telefônicas, 2006. Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2009; 18(1):7-16.

MARTINS, M. A. S. S., et al. Hipertensão Arterial e Estilo de Vida em Sinop, Município da Amazônia Legal. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2010; 94(5):639-44.

MELLO, G.A; Viana, A.L.D. Uma história de conceitos na saúde pública: integralidade, coordenação, descentralização, regionalização e universalidade. História, Ciências, Saúde. Rio de Janeiro: Manguinhos, 2012.

PAZ, M.G.A.; Almeida, M. F.; Günther, W. M. R. Prevalência de diarréia em crianças e condições de saneamento e moradia em áreas periurbanas de Guarulhos, SP. Revista Brasileira de Epidemiologia. 2012;15(1):188-97.

QUEIROGA, V.M., et al. Cuidados Paliativos de Idosos no Contexto da Atenção Primária à Saúde: uma revisão da literatura. Brazilian Journal of Development, 2020; 6(6): p. 38821-38832.

RAPSOMANIKI, E. et al. Blood pressure and incidence of twelve cardiovascular diseases: lifetime risks, healthy life-years lost, and agespecific associations in 1.25 million people. The Lancet. 2014 May 31;383(9932):1899-911.

RIBEIRO, P. C. et al. Ferramentas para o diagnóstico comunitário de saúde na consolidação da estratégia saúde da família. Tempus, Actas de Saúde Coletiva. 2012; 6(4):161-74

SAJULIANI, A. F. Pré-hipertensão e risco cardiovascular global. Revista Brasileira de Hipertensão. 2009;16(2): 103-107.

SILVA, N.M., et al. Vigilância de Chikungunya no Brasil: Desafios no Contexto da Saúde Pública. Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2018;27(3): 2017-2127.

SOARES, R.A.S., et al. Determinantes Socioambientais em Saúde: O Brasil Rural versus o Brasil Urbano. Tempus, actas de saúde coletiva, 2015; 9(2):221-235.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA (SBC), Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN). VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2010; 95(1 Supl.1):1-51.

TABORDA, M.; RANGEL, M. Pesquisa Quali-quantitativa On-line: Relato de uma experiência em desenvolvimento no campo da saúde. Revista Atas CIAIQ. 2015; v. 1.

ZATU, M. C., et al. A comparison of the cardiometabolic profile of black South Africans with suspected non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD) and excessive alcohol use. Alcohol. 2015;49(2): 165-172.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-127

Refbacks

  • There are currently no refbacks.