Perfil epidemiológico dos casos de intoxicação por agrotóxicos de 2013 a 2017 no Brasil / Epidemiological profile of cases of intoxication by agrotoxic from 2013 to 2017 in Brazil

Maria Lúcia Henrique Ramos, Viviane da Silva Lima, Renato Elói da Silva, João Victor do Nascimento Nunes, Gabriela Cavalcante da Silva

Abstract


Introdução: O processo produtivo químico-dependente adotado pelo agronegócio, que considera os agrotóxicos como essenciais ao combate de pragas, proporciona impactos maléficos à saúde humana. Tornando o uso dos mesmos e a relação com seus efeitos uma preocupação global. Objetivo: Este estudo buscou analisar o perfil epidemiológico dos casos de intoxicação por agrotóxicos no Brasil. Metodologia: Trata-se de um estudo retrospectivo e de abordagem quantitativa fundamentada, teoricamente, em publicações relacionadas, entre o período de 2015 a 2020 e análise de dados relacionados à intoxicação por agrotóxicos no Brasil disponíveis nas plataformas DATASUS (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde) referentes aos registros do SINAN NET por meio da Interface Tabnet e no SINITOX (Sistema Nacional de informações Tóxico-farmacológicas) do Ministério da Saúde no período de 2013 à 2017. Resultados: Houve prevalência de intoxicação no sexo masculino, na faixa etária de 20 – 39 anos, residentes na zona urbana. Intoxicação em circunstâncias acidentais representando 46,4% dos casos no Sinitox e casos relacionados à tentativa de suicídio com 52,6% segundo Sinan. A maioria das intoxicações por agrotóxicos evoluem para cura. Por meio da analise de dados dos sistemas foi possível observar ainda a prevalência de casos subnotificados mediante inconsistência entre os registros de casos entre os bancos de dados utilizados. Conclusão: Evidenciou-se a necessidade de utilização e manejo adequados dos agrotóxicos, de maneira que seja possível reduzir danos à saúde de trabalhadores rurais. Assim como a importância do uso de EPI´s no manejo, capacitação e vigilância por parte dos profissionais de saúde.

Keywords


Agroquímicos, Praguicidas, Envenenamento e exposição à praguicidas.

References


ANVISA. Agencia Nnacional De Vigulância Sanitária. Anvisa aprova novo marco regulatório para agrotóxicos. Disponivel em: http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/anvisa-aprova-novo-marco-regulatorio-para-agrotoxicos/219201 Data de acesso: 17 de abril de 2020.

AQUINO, C; MARX, L.; MEDINA, M. D. P. Caracterización de la intoxicación ocupacional por pesticidas en trabajadores agrícolas atendidos en el Hospital Barranca Cajatambo 2008-2017. Horizonte Médico (Lima), v. 19, n. 2, p. 39-48, 2019.

BRASIL. FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA.SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES TÓXICO-FARMACOLÓGICAS. Casos Registrados de intoxicação Humana. Disponível em: https://sinitox.icict.fiocruz.br/dados-nacionais Data de Acesso: 15 de abril de 2020.

BRASIL. Lei n°7.802, de 11 de julho de 1989. Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências. Disponivel:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L7802.htm Data de acesso: 15 de abril de 2020.

BRASIL. MINISTERIO DA SAÚDE. INTOXICAÇÃO EXÓGENA – NOTIFICAÇÕES REGISTRADAS NO SINAN NET- BRASIL. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinannet/cnv/Intoxbr.def Data de acesso: 15 de abril de 2020.

BRASIL. PROJETO DE LEI Nº 6.299, DE 2002. Altera os arts 3º e 9º da Lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989, que dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=1654426 Data de Acesso: 20 de abril de 2020.

Caldas, E. D. (2016). Pesticide Poisoning in Brazil. Reference Module in Earth Systems and Environmental Sciences. doi:10.1016/b978-0-12-409548-9.10282-9

CARGNIN, M. C. dos S.; ECHER, I. C.; SILVA, D. R. da. Fumicultura: uso de equipamento de proteção individual e intoxicação por agrotóxico. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online. Rio de Janeiro. Vol. 9, n. 2 (abr./jun. 2017), p. 466-472, 2017.

CORCINO, C. O. et al. Avaliação do efeito do uso de agrotóxicos sobre a saúde de trabalhadores rurais da fruticultura irrigada. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, p. 3117-3128, 2019.

DALBÓ, J.; FILGUEIRAS, L. A.; MENDES, A. N. Effects of pesticides on rural workers: haematological parameters and symptomalogical reports. Ciencia & saude coletiva, v. 24, p. 2569-2582, 2019.

FERREIRA, M. J, M.; VIANA JÚNIOR, M. M. A expansão do agronegócio no semiárido cearense e suas implicações para a saúde, o trabalho e o ambiente. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 20, p. 649-660, 2016.

HENDGES, C. et al. Human intoxication by agrochemicals in the region of South Brazil between 1999 and 2014. Journal of Environmental Science and Health, Part B, v. 54, n. 4, p. 219-225, 2019.

LEONG, Wye-Hong et al. Application, monitoring and adverse effects in pesticide use: The importance of reinforcement of Good Agricultural Practices (GAPs). Journal of environmental management, v. 260, p. 109987, 2020.

MAGALHÃES, A. F. A.; CALDAS, E. D. Exposição e intoxicação ocupacional a produtos químicos no Distrito Federal. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 72, 2019.

MAPA, Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Resumo de registros de agrotóxicos e afins 2005 - 2019, 2020. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/insumos-agropecuarios/insumos-agricolas/agrotoxicos/informacoes-tecnicas

MURAKAMI, Y. et al. Intoxicação crônica por agrotóxicos em fumicultores. Saúde em Debate, v. 41, p. 563-576, 2017.

OLIVEIRA, L. R. de.; BENEDETTI, A. de O. C. Suicídio em Mato Grosso-Brasil: 1996 a 2015. Journal of Health & Biological Sciences, v. 6, n. 4, p. 391-398, 2018.

PEDROSA, N. F. N. C. et al. Análise dos principais fatores epidemiológicos relacionados ao suicídio em uma cidade no interior do Ceará, Brasil. Journal of Health & Biological Sciences, v. 6, n. 4, p. 399-404, 2018.

PORTO, M. F. de S. O trágico Pacote do Veneno: lições para a sociedade e a Saúde Coletiva. Cadernos de Saúde Pública, v. 34, p. e00110118, 2018.

QUEIROZ, P. R. et al. Sistema de Informação de Agravos de Notificação e as intoxicações humanas por agrotóxicos no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 22, p. e190033, 2019.

RISTOW, L. P. et al. Fatores relacionados à saúde ocupacional de agricultores expostos a agrotóxicos. Saúde e Sociedade, v. 29, p. e180984, 2020.

SANTOS, A. de O. et al. Utilização de equipamentos de proteção individual e agrotóxicos por agricultores de município do recôncavo Baiano. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 15, n. 1, p. 738-754, 2017.

SILVÉRIO, A. C. P. et al. Avaliação da atenção primária à saúde de trabalhadores rurais expostos a praguicidas. Revista de Saúde Pública, v. 54, p. 09, 2020.

TAVEIRA, B. L. S.; ALBUQUERQUE, G. S. C. de. Análise das notificações de intoxicações agudas, por agrotóxicos, em 38 municípios do estado do Paraná. Saúde em Debate, v. 42, p. 211-222, 2018.

VARONA, M. E. et al. Determinantes sociales de la intoxicación por plaguicidas entre cultivadores de arroz en Colombia. Revista de Salud Pública, v. 18, p. 617-629, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-119

Refbacks

  • There are currently no refbacks.