Análise da responsabilidade civil na era tecnológica / Analysis of civil responsibility in the technological age

Hugo Crivilim Agudo, Beatriz Vieira Muchon

Abstract


O presente trabalho analisa a evolução da tecnologia e dos inventos tecnológicos, bem como de seus respectivos impactos no direito. Passa-se pelo domínio da agricultura, as revoluções industriais e a descoberta do motor a vapor, que retirou os limites da força humana no processo produtivo, chegando, na contemporaneidade, ao surgimento da internet e, em passado mais recente, a “internet das coisas” - assim compreendida como os objetos de uso diversos, que são conectados a uma rede (pública ou privada) e que possuem capacidade de tomar decisões de per si, a partir de determinadas configurações de seu detentor. Afere compatibilidade e a aplicabilidade da sistemática de responsabilidade civil positivada. Demonstra as peculiaridades da aplicação da responsabilidade civil quando, na situação jurídica, houver a participação de um objeto autômato e/ou dotado de inteligência artificial. Vale-se, ainda, das diretrizes da análise econômica do direito para aumentar a efetividade da reparação, evitando uma reparação hipossuficiente ou, por outro lado, um desestímulo ao desenvolvimento de novas tecnologias.

 

 


Keywords


Novas tecnologias. Análise Econômica do Direito. Responsabilidade Civil.

References


BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. AMARAL, Francisco. Direito Civil: introdução. 8. ed. rev., atual e aum. Rio de Janeiro: Renovar, 2014.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.

BRYNJOLFSSON, Erik. A segunda era das máquinas: trabalho, progresso e prosperidade em uma época de tecnologias brilhantes. Rio de Janeiro: Alta Books, 2015.

CASE, Steve. Terceira onda da internet: a reinvenção dos negócios na era digital; tradução Lizandra Magon de Almeida. São Paulo. HSM, 2017.

CAVALIERI FILHO, Sergio. Programa de Responsabilidade Civil. 11. ed. São Paulo. Atlas, 2014.

IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2017 [online]. Disponível em: “https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101631_informativo.pdf”. Acessp em 30 de dezembro de 2018.

JOHNSON, Steven. Como chegamos até aqui: A história das inovações que fizeram a vida moderna possível; tradução Claudio Carina. 1 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2015. 248 p.

KELLY, Kevin. Inevitável: As 12 forças tecnológicas que mudarão o mundo. Tradução de Cristina Yamagami. – São Paulo: HSM, 2017. 368 p.

O’BRIEN, Kevin J. Talk to Me, One Machine Said to the Other [online]. The New York Times Company, 2012. Disponível em: “https://www.nytimes.com/2012/07/30/technology/talk-to-me-one-machine-said-to-the-other.html”. Acesso em 30 de dezembro de 2018.

PINHEIRO, Patricia Peck. Direito digital. 5. ed. rev., atual. e ampl. de acordo com as Leis n. 12.735 e 12.737, de 2012. São Paulo: Saraiva, 2013.

PRESSE, France. CES 2018: novos robôs 'emocionais' buscam ler sentimentos humanos [online]. 2018. Disponível em: “https://g1.globo.com/economia/tecnologia/noticia/ces-2018-novos-robos-emocionais-buscam-ler-sentimentos-humanos.ghtml”. Acesso em 30 de dezembro de 2018.

ROSENVALD, Nelson. As funções da responsabilidade civil: a reparação e a pena civil. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

SCHWAB, Klaus. A quarta revolução industrial; tradução Daniel Moreira Miranda. São Paulo: Edipro, 2016.

VELJANOVSKI, Cento. A Economia do Direito e da Lei – uma introdução. Fran-cesco J. Beralli (Trad.) Rio de Janeiro: Instituto Liberal, 1994.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-117

Refbacks

  • There are currently no refbacks.