Estudo preliminar de indicadores de impactos ambientais: estrada do aeroporto e o escoamento de águas pluviais no centro urbano de Tucuruí-PA / preliminary study of environmental impact indicators: airport road and rainwater flow in the urban center of Tucuruí-PA

Marcio André de Souza Lopes, Yarnel de Oliveira Campos, Lucas Nunes Franco, Agnes da Silva Araújo

Abstract


O município de Tucuruí localizado no sudeste do Pará, na região amazônica, possui grande potencial econômico e energético devido a usina hidrelétrica de Tucuruí (UHT). A crescente urbanização da cidade e uso da terra, potencializam a degradação da vegetação e dos recursos hídricos, devido a ausência de planejamento adequado à sustentabilidade ambiental. A pesquisa teve como objetivo identificar os principais indicadores de impactos ambientais na bacia de 4ª ordem do igarapé Santana. Diante disso, foram detectados a estrada do aeroporto que funciona como barramento ao escoamento das águas pluviais, voçoroca, ravinas profundas, tamponamento devido ações de conjuntos habitacionais (Condomínios Viva Cidade e Verdes Lagos), retirada de material para pavimentação de vias públicas e a voçoroca da nascente. O estudo ressalta a influência dos indicadores aos impactos nos canais de 2ª ordem do igarapé Santana e em sua nascente, aos transtornos ocasionados por assoreamento, bem como processos de enchentes no perímetro urbano, arriscando às condições sócio sanitárias da comunidade local. Por fim, observa-se a pesquisa com uso de indicadores ambientais mostrou-se eficiente na identificação de interferências antrópicas ao meio ambiente, sendo necessário agir perante tal situação, incluindo a sensibilização da comunidade envolvida.

 

 


Keywords


indicadores, estrada, pluviometria, urbanização.

References


BRASIL – Lei nº 12.651, de 25 de Maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12651.htm. Acesso em 21 de maio de 2019.

BRASIL- INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. IBGE cidades, 2018. Disponível em: https://cidades. ibge.gov.br/brasil/pa/tucurui/panorama. Acesso em 16/06/2019

BRASIL- Ministério da agricultura, pecuária e abastecimento. INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA - INMET (2019). “BDMEP - Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa”. Disponível em < http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=bdmep/bdmep> Acesso em 10 de Maio de 2019.

BENETTI, L. B. Avaliação do índice de desenvolvimento sustentável do município de Lages-SC através do método do painel de sustentabilidade. 2006, 2015 f. Tese de doutorado em Engenharia Ambiental- curso de Pós Graduação em Engenharia Ambiental da Universidade de Santa Catarina.

CHEROBIN, S. F. Estimativa de erosão e sua relação com os diferentes mecanismos erosivos atuantes: estudo da voçoroca Vila Alegre. Ouro Preto, 2012. 116f. Dissertação (Mestrado em engenharia Ambiental) - Universidade Federal de Ouro Preto, Minas Gerais, 2012.

FABRIANI, C. B.; CASTILHO, L. V. Moradias em áreas de risco, cidadania e participação: um desafio para a governança municipal. Revista Científica Direitos Culturais – RDC. v. 9, n. 19, 2014.

GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. da; Impactos Ambientais urbanos no Brasil. BERTRAND BRASIL, 2001. 416p.

GUIMARÃES, T. P et al. Crescimento inicial de açaízeiro em sistema agroflorestal no P. A. Belo Horizonte I, São Domingos do Araguaia, Pará. Agroecossistemas, v. 3, n. 1, p. 30-35, 2011.

HEITOR, F. D et al. Importância de implantação de sistemas agrossilvipastoris. In: I Seminário Científico da FACIG, 2015, Anais. Manhuaçu-MG. 2015.

MALHEIROS, T. F.; PHILIPPI JR., A.; COUTI¬NHO, S. M.V. Agenda 21 nacional e indicadores de desenvolvimento sustentável: contexto brasileiro. Revista Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 7-20, mar, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-12902008000100002&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 25 Jan. 2019.

MARMONTEL, C. V. F.; RODRIGUES, V. A. Parâmetros Indicativos para Qualidade da Água em Nascentes com Diferentes Coberturas de Terra e Conservação da Vegetação Ciliar. Floresta e Ambiente; p.171-181. 2015.

NUNES, A. N.; ALMEIDA, A. C.; COELHO, C. O. A. Impacts of land use and cover type on runoff and soil erosion in a marginal area of Portugal. Applied Geography, v.31. p. 687-699, 2011

REZENDE, R. E. C et al. Recuperação de área degradada por erosão hídrica em um Argisterra Vermelho Amarelo em assentamento de reforma agrária no grupo sedimentar do Arenito Bauru. Cadernos de Agroecologia, v. 10, n. 3, 2016. Disponível em: http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/cad/article/view/18797. Acesso em: 01 Jun 2019.

RIBEIRO, F. L; SILVEIRA, G. R. P. de; SANTOS, W. R. P. dos. Análise da preservação dos recursos hídricos por meio de imagem de satélite. Periódico eletrônico XI Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 11, n. 5, pp. 11-24, 2015.

RODRIGUES, F. S.; LISTO, F. L. R. Mapeamento de áreas de risco a escorregamentos e inundações em áreas marginais a rodovias na Região Metropolitana de São Paulo. Eng Sanit Ambient, v.21 n.4, 2016.

RODRIGUES, A. C. J.; PALMIERI, D. A.; RODRIGUES, R. J. Uso do geoprocessamento para planejamento, manejo e proteção de mananciais em áreas urbanas. Tekhne e Logos, Botucatu, SP, v.9, n.1, abril, 2018.

SOUSA, A. T.; FERREIRA, I. M. Diagnóstico de voçorocas em área de pastagem no município de morrinhos (GO). Espaço em revista, v. 19, n. 2, jul./dez. 2017. p. 68-83.

STRAHLER, A.N. Quantitative analysis of watershed geomorphology. New Halen: Transactions: American Geophysical Union, 1957. v.38, p. 913-920.

TUCCI, C. E. M.; BERTONI, J. C. (Org.). Inundações Urbanas na América do Sul. Porto Alegre. Associação Brasileira de Recursos Hídricos. 2003. Disponível em: http://www.cepal.org/samtac/noticias/documentosdetrabajo/5/23335/InBr02803.pdf. Acesso em: 12 Dez. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-099

Refbacks

  • There are currently no refbacks.