O uso de drogas ilícitas na gravidez e as consequências para a mãe e para o feto / The use of illicit drugs in pregnancy and the consequences for the mother and fetus

Eduarda Vianna Guimarães Balestra, Lorena Torres Magalhães, Pedro Wilson Xavier Teixeira, Gabriel Ventura Machado Amaral, Fellipe Honório de Paula Silveira, Mariana Figueiredo Guedes D’Amorim

Abstract


O uso de drogas ilícitas na gravidez é uma temática preocupante. As substâncias contidas em diferentes tipos de drogas ilícitas causam consequências para a mãe e para o feto no período pré-natal e, para o recém-nascido no período pós-natal. É notório que a facilidade crescente ao acesso as drogas vem incrementando em quantidade e gravidade as consequências materno-fetais. Este trabalho tem por objetivo ressaltar a importância dos aspectos clínicos, epidemiológicos e fisiopatológicos do uso de drogas ilícitas durante a gravidez através de uma revisão integrativa da literatura. A busca foi realizada a partir de fontes secundárias de vinte artigos nos bancos de dados Scielo, Medline e PubMed. Após avaliar quanto a prevalência e gravidade de intercorrências optou-se pelo enfoque em três principais drogas: crack, cocaína e maconha. A partir da análise dos artigos, concluiu-se que a maconha é a droga de maior prevalência de uso e a cocaína e seus derivados (crack) provocam abundantes alterações materno-fetais.


Keywords


Gravidez, drogas Ilícitas, consequências

References


AVILLA, R. M., et al. Brief Report: Factors Associated With Attrition Rate in a Supportive Care Service for Substance Using Pregnant Women in Brazil The American Journal on Addictions, 26: 676–679, 2017.

CORRADINI, H. B. Cocaína: Efeitos na gestante e nas crianças. Pediatria (Säo Paulo), v. 18, n. 4, p. 171-4, 1996.

COSTA, G.M., et al. Pregnant crack addicts in a psychiatric unit. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 61, n. 1, p. 8-12, 2012.

CUNHA, G. B.; ROTTA, N. T. Prevalência da exposição pré-natal à cocaína em uma amostra de recém-nascidos de um hospital geral universitário. Jornal de pediatria (Rio de Janeiro). Vol. 77, n. 5 (2001), p. 369-373, 2001.

DE SOUZA SANTOS, R. M.; GAVIOLI, A. Risco relacionado ao consumo de drogas de abuso em gestantes. Northeast Network Nursing Journal, v. 18, n. 1, 2017.

DOS REIS NUNES, T., et al. O abuso de cocaína na gravidez. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba. ISSN eletrônico 1984-4840, v. 16, n. 4, p. 199-202, 2014.

GASPARIN, M., et al. Comportamento motor oral e global de recém-nascidos de mães usuárias de crack e/ou cocaína, Rev. Soc. Bras. Fonoaudiol. Vol. 17 n°4, 2012.

HAAS, L. Fator neurotrófico derivado do cérebro na síndrome da fibromialgia. 2008. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

JACOB, D. S. et al. Gravidez na Adolescência: Uma análise teórica de determinantes sociais/Adolescent Pregnancy: A theoretical analysis of social determinants. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 2, p. 8080-8088, 2020.

LOPES, T. D.; ARRUDA, P. P. As repercussões do uso abusivo de drogas no período gravídico/puerperal. Saúde e Pesquisa, v. 3, n. 1, 2010.

MAIA, J. A., et al. Consequências do uso de drogas durante a gravidez. Revista Enfermagem Contemporânea, v. 4, n. 2, p. 121-128, 2016.

MARDINI, V., et al. IL-6 and IL-10 levels in the umbilical cord blood of newborns with a history of crack/cocaine exposure in utero: a comparative study. Trends in psychiatry and psychotherapy, v. 38, n. 1, p. 40-49, 2016.

MARDINI, V., et al. TBARS and BDNF levels in newborns exposed to crack/cocaine during pregnancy: a comparative study, Rev. Bras. Psiquiatr. Vol. 39, n°3 Vol. 88, 2017.

MITSUHIRO, S. S., et al. Gravidez na adolescência: uso de drogas no terceiro trimestre e

prevalência de transtornos psiquiátricos. Rev Bras Psiquiatr, v. 28, n. 2, p. 122-5, 2006.

OLIVEIRA, T. A., et al. Perinatal outcomes in pregnant women users of illegal drugs. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia/RBGO Gynecology and Obstetrics, v. 38, n. 04, p. 183-188, 2016.

PORTELA, G. L. C. Perception of pregnant on consumption of illicit drugs in pregnancy. Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog., Vol. 09 nº 2, novembro, 2013.

REIS, F. T.; LOUREIRO R. J. Repercussões neonatais decorrentes da exposição ao crack durante a gestação. Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog., Vol. 11, nº 4, 2015.

RENNER F. W., et al. Repercussões neonatais do uso materno de crack. BOLETIM CIENTÍFICO, v. 1, n. 2, p. 63, 2012.

ROCHA, P. C., et al. Prevalência e fatores associados ao uso de drogas ilícitas em gestantes da coorte BRISA. Cadernos de Saúde Pública, v. 32, n. 1, 2016.

SATIE KASSADA, D., et al. Prevalência do uso de drogas de abuso por gestantes. Acta Paulista de Enfermagem, v. 26, n. 5, 2013

STEPHEN, G.; WHITWORTH, M. K.; COX, S. Substance misuse in pregnancy. Obstetrics, Gynaecology & Reproductive Medicine, v. 24, n. 10, p. 309-314, 2014.

STRATHEARN, L.; MAYES, L. C. Cocaine addiction in mothers. Annals of the New York Academy of Sciences, v. 1187, n. 1, p. 172-183, 2010.

TARGINO, Raquel; HAYASIDA, Nazaré. Risco e proteção no uso de drogas: revisão da literatura. Psic., Saúde & Doenças, Lisboa , v. 19, n. 3, p. 724-742, dez. 2018 .

WRONSKI, J. L., et al. Uso do crack na gestação: vivências de mulheres usuárias. Revista de Enfermagem UFPE On Line. Recife. Vol. 10, n. 4 (abr. 2016), p. 1231-1239, 2016.

YAMAGUCHI, E. T., et al. Drogas de abuso e gravidez. Revista de Psiquiatria Clínica, v. 35, n. suppl 1, p. 44-47, 2008.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-066

Refbacks

  • There are currently no refbacks.