Incubação de empreendimentos econômicos solidários e a cultura da solidariedade: experiências de autogestão na Amfruvale / Incubation of solidary economic enterprises and the culture of solidarity: experiences of self-management in Amfruvale

Sandro Benedito Sguarezi, Márcia Regina Ferreira, Raoni Fernandes Azerêdo, Elariana C. Pedroso Gonçalves Barros, Krys Ellem Honório Cardoso, Sonia Aparecida Beato Ximenes de Melo, Anderson Gheller Froehlich, Cleci Grzebieluckas

Abstract


O  artigo apresenta uma experiência de autogestão na Associação de Mulheres Rurais Frutos de Vale (AMFRUVALE) e sua interação com a Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) através do Programa de Extensão da Incubadora de Organizações Coletivas Autogeridas, Solidárias e Sustentáveis (IOCASS). O  trabalho procura examinar as relações entre Universidade e Comunidade com o  objetivo de evidenciar as  possibilidades do desenvolvimento da cultura da solidariedade por meio da prática da autogestão. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, pautada na pesquisa-ação, em fase de desenvolvimento, por isso, um procresso inacabado. A princípio utilizou-se referencial teórico acerca do desenvolvimento da cultura  e da autogestão, com o intuito de subsidiar a análise referente a experiência prática de seu uso pela AMFRUVALE. Tudo isso entrelaçado com o suporte ofertado pela incubadora da UNEMAT para que a associação consolide novas práticas levando em consideração suas necessidades, a cultura, o ambiente local  e potencialidades. O apoio que a Universidade oferece via processo de Incubação de Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) faz com que tanto as associações e cooperativas, quanto a própria UNEMAT se fortaleçam em favor do bem um comum, a resistência em relação a padrões hegemônicos de relacionamento, aprendizagem, assessoramento, produção, comercialização e sustentabilidade tanto econômica quanto educacional e social que buscam o desenvolvimento local por meio do fomento de uma cultura de solidaderiedade. Os resultados mostram ainda que as Mulheres, sócias da AMFRUVALE se apropriaram de conhecimentos que fortalecem essa cultura da solidariedade.

 


Keywords


Cultura de Solidariedade, Economia Solidária. Autogestão; Comercialização em EES.

References


BARTHOLO, R. SANSOLO, D. G.; BURSZTYN, I. Turismo de base comunitária. Letra e Imagem, Rio de, 2009.Disponível em: . Acesso em: 04 de jul. de 2019.

BOISIER, S. “Y si el desarrollo fuese uma emergencia sistemica?”. In: Redes, Santa Cruz do Sul, v.8, n.1, p. 9-42, jan./abr. 2003.

BOISIER, S. Desarrollo (Local): ¿De qué estamos hablando? Cuadernos Regionales n.1, Santiago de Chile, Universidad de Talca, 2001.

BOISIER, S. Em busca do esquivo desenvolvimento regional: entre a caixa-preta e o projeto político. Planejamento e Políticas Públicas, n.13, p. 111-143, jun. 1996.

BOISIER, S. Sinergía e innovación local. Semestre Económico, v. 12, n.24, p. 21-35, Medellín, Colômbia, oct. 2009.

FARIA, M. S. Autogestão, cooperativa, economia solidária: avatares do trabalho e do capital. 2005. Tese (Doutorado em Sociologia) — Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

FERREIRA, R, M. SILVA, F.ZANATTA, R. Da dialogicidade entre universidade e comunidade: um estudo de caso da extensão universitária a partir do exercício da democracia dialógica na pesquisa-ação. Caderno Gestão social. V.3, n.1, p.53-68, jan/jun- 2012.

GADOTTI, M. A questão da educação formal/não formal. In: INSTITUTTO INTERNATIONAL DES DROITS DE L’ENFANT (IDE). Droit àl’éducation: solution à tous les problèmesouproblème sans solution? Sion (Suisse), 18 a 22 de outubro.2005. Disponível em: https://docplayer.com.br/5445484-A-questao-da-educacao-formal-nao-formal.html>. Acesso em 04 de jul.de 2019.

GÓMEZ, M. G. O. ¿ Neoliberalismo autogestivo? La cultura de autogestión para el desarrollo como una herramienta analítica. PARA UN ANÁLISIS CRÍTICO DEL CONCEPTO DE POSCOLONIALIDAD, p. 416, 2013

KLIKSBERG,B. Repensando o Estado para o Desenvolvimento Social: superando dogmas e convencionalismos. São Paulo: Cortez Editora, 1998.

MOTHÉ, D. Autogestão. In: CATTANI, Antonio D. Et al. (orgs): Dicionário Internacional da Outra Economia. Almedina/CES: Coimbra, 2009.

PISTRAK, M. Fundamentos da escola do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2002.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Relatório do Desenvolvimento Humano. Sustentar o progresso humano: Reduzir as vulnerabilidades e reforçar a resiliência. 2014.

REIS,E.P. Desigualdade e Solidariedade: uma releitura do “famililiarismo amoral” de Banfiel. In; Processo e escolhas; estudos da sociologia politica.Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria,thioll 1998.

SACHS, I.. Desenvolvimento e cultura. Desenvolvimento da cultura. Cultura do desenvolvimento. Organizações & Sociedade, v.12, n.33, p. 151-165, abr./jun. 2005.

SAMPAIO, C. A. C. Gestão que privilegia uma outra economia: ecossocioeconomia das organizações. Blumenau: EDIFURB, 145, p. 2010

SGUAREZI, S. B. Epistemologias do sul: interfaces entre autogestão, transconhecimento transustentabilidade. XXIX ALAS-CHILE – 2013 – XXIX CONGRESO LATINOAMERICANO DE SOCIOLOGÍA - Grupo de Trabajo Nº18. Santiago do Chile. De 29 de set. a 4 out. 2013.

SGUAREZI, S. B.; LIMA, E. R. De.; SGUAREZI, T.T. A atuação da universidade no desenvolvimento do trabalho coletivo associativista e da produção científica. Revista Cult. Ext. Unemat (Univ. do Estado de Mato Grosso), Vol. 1, Ano 1, Nº. 1, p. 36-47, jan./jun. 2016.

SIMÕES DE ARRUDA, C. Al.; VILANOVA, S. R. F. e CHICHORRO, J. F. Turismo rural e agricultura familiar: o caso de Nossa Senhora do Livramento-MT. Interações (Campo Grande) vol.9 no.2 Campo Grande July/Dec. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-70122008000200004

SINGER, P. Introdução à economia solidária. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2002.

THIOLLENT, M. Metodologia de pesquisa ação. 7a ed. São Paulo: Cortez Editora, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-054

Refbacks

  • There are currently no refbacks.